segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Dica de filme: Faroeste Caboclo

0 comentários
Faroeste Caboclo é um bom filme. Tem uma direção firme, atuações bem corretas dentro da linguagem do cinema (detesto aqueles filmes brasileiros em que os atores interpretam como se estivessem numa peça de teatro, como em Nosso Lar, ou numa novela da Globo, como em Somos Tão Jovens), boa trilha sonora, diálogos bem escritos e direção de fotografia muito bem concebida. O ator Fabrício Boliveira, que faz o João de Santo Cristo, está muito bem e Ísis Valverde, como Maria Lúcia, mostra que é realmente uma atriz versátil. Falo neles por serem os principais, mas todos os demais atores também estão muito bem seguros em suas atuações.

O filme prende do início ao fim e gostei muito da ambientação (como a participação relâmpago de uma certa banda de rock). Mas é inevitável que, ao longo de Faroeste Caboclo, o filme, o espectador fique identificando passagens da música. Apesar disso, o longa não se prende só à letra escrita por Renato Russo e cria rumos diferentes, mostrando personalidade própria, ainda que acompanhe de perto os versos de Faroeste Caboclo, a música. É um bom filme? Sem dúvida. Mas fiquei com essa dúvida: será que se a música não existisse e, sim, só o filme, será que ele cativaria?

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Últimos bons filmes que vi:

1 comentários
O Grande Gatsby- O clássico da Literatura ganha uma versão estilística de Baz Luhrmann, que parece se divertir mesmo é com as cenas das festas (a la Moulin Rouge). O filme é envolvente, mas carrega demais no romance, deixando de desenvolver um pouco mais a personalidade de Gatsby. De qualquer maneira, o filme vale muito a pena por Leonardo Di Caprio, que torna-se cada vez mais um dos melhores atores da atualidade. Por fora, seu personagem possui 32 anos, mas por dentro parece ter mais de 50, graças à interpretação admirável de Di Caprio.


Guerra Mundial Z- Há alguns anos, filmes de zumbi reuniam atores pouco conhecidos, tinham orçamento limitado, efeitos praticamente caseiros e uma produção trash, Este Guerra Mundial Z é estrelado por Brad Pitt, tem efeitos da Industrial Light & Magic (ou seja, superprodução) e direção do excelente Marc Foster, que elevaram o conceito de "filmes de zumbi" a um nível épico em escala global. Na história, um vírus se espalha rapidamente e destrói a humanidade. Sobreviver se torna algo muito perigoso diante de um inimigo tão poderoso: o próprio homem. Destaque para as cenas em que os infectados se amontoam uns em cima dos outros (como bactérias) ou se jogam desvairados contra o que seja para aplacar sua fome carnívora. Filmão! Envolvente e empolgante. Gostei muito.


Medo da Verdade- Medo da Verdade confirmou o talento de Ben Afleck como roteirista (algo que já tinha mostrado em Gênio Indomável) e revelou um diretor promissor, dando início a uma nova fase em sua carreira. Além de, também, mostrar que seu irmão, Casey Afleck, é um ator capaz de segurar um filme. O roteiro é muito bem trabalhado, equilibrando muito bem o drama e o suspense com o desaparecimento de uma menina de quatro anos. Por fim, o filme cria uma dúvida na consciência do protagonista e que divide opiniões, instigando um debate sobre ética, quanto à solução encontrada por ele para a resolução do caso em que trabalha. Afinal, nem sempre a verdade parece ser a melhor solução. Surpreendente.

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

O 11 de setembro...

1 comentários

...é uma data que será sempre histórica para a humanidade. E, para mim, ganhou um novo significado. Em 11 de setembro de 2012, segurei a Selina pela primeira vez. Com certo medo, com receio, com expectativa, com alegria, estabelecendo o princípio de uma nova relação.

Num ano apenas a vida é capaz de te fazer conhecer um universo de novos sentidos, se você está disposto a aprender. Obrigado a todos que fazem/fizeram/farão parte dessa existência.