terça-feira, 26 de março de 2013

Fato ou fofoca?

0 comentários

Fato: um acontecimento real, verídico, comprovado, com provas ou testemunhas.
Fofoca: relato fantasioso, distorcido, maldoso, irreal sobre a vida alheia.

O fato é algo a ser debatido, discutido, verificado, analisado, cientificado. Já a fofoca nasce com o malévolo objetivo de prejudicar o seu alvo, criando mentiras descabidas e que não se sustentam diante da mínima análise reflexiva. 

Ter opinião é algo bonito. Admiro as pessoas que se apresentam de cara limpa e defendem suas ideias, brigam pelo que consideram, criticam o que acreditam que deva ser criticado e o fazem de maneira a inspirar o diálogo. 

Gostar de alguém não significa ser conivente quando a pessoa age errado. Não gostar de alguém jamais deve resultar em ser injusto com tal pessoa. Se assim agimos, é porque somos fantoches da passionalidade.

É patético ver pessoas fazendo as vezes de uma comadre intrigueira, do tipo que sempre atribui aos outros as piores intenções, capaz de fazer as mais absurdas afirmativas, sem quaisquer provas sobre o que reproduz. Pois, afinal, fugiriam de qualquer debate, porque não possuem moral para fazê-lo abertamente, justamente por se basearem em fofocagem.

Opinar a respeito de fofoca é algo terrivelmente vergonhoso e quem o faz, é talvez pela incapacidade de ver o patético papel a que se presta. Já a pessoa que dissemina venenos jamais teria a dignidade de sustentar abertamente suas infâmias, justamente porque jamais poderia encarar a luz do que é verdadeiro.

Pois, o fofoqueiro foge da verdade como o Diabo foge da cruz.

quarta-feira, 20 de março de 2013

EUA e a "aliança eterna" com Israel

0 comentários

Em Jerusalém, o presidente Obama garante que EUA possui uma "aliança eterna com Israel" e que é preciso que haja paz com os palestinos. Ou seja: renova-se a aproximação com o eleitorado judeu que vive nos EUA e a política da maior potência mundial não consegue se desvencilhar da religião. A simbiose se perpetua em nome dos poderes.

Guerra do Iraque: dez anos, 174 mil mortos

0 comentários

Foi em 2003 que o então presidente dos EUA, George W. Bush, mandou milhares de soldados do Exército americano invadirem o Iraque, sob o pretexto de que o país possuia armas de destruição em massa. Dez anos depois, as tais armas nunca foram encontradas e o saldo é de mais de 174 mil mortos, sendo 122 mil civis. Dos soldados americanos que sobreviveram há vários que vivem como o jovem Ty Ziegel (acima), que estava noivo quando foi para o Iraque e voltou, em 2006, com o rosto desfigurado e sem um braço. Casou, mas sua mulher o abandonou dois anos depois. É mais um capítulo na História recente em que os EUA patrocinam mais uma guerra de terror, enquanto o restos dos líderes mundiais apenas aplaude (ou silencia) diante do "grande Satã", como definem os muçulmanos.

quarta-feira, 13 de março de 2013

Habemus Papam

0 comentários

Se você quer ter uma ideia de como funciona o conclave dos cardeais para a escolha do Papa, eis uma dica de filme: Habemus Papam (*), que apesar de ser uma obra de ficção, é claramente inspirado no conclave que elegeu Bento 16. Depois da morte do Papa, os cardeais se reúnem no Vaticano para escolher o novo líder da Igreja Católica. Quando a fumaça branca sobe, o escolhido fica apavorado em assumir tamanha responsabilidade e se recusa a sair em público. Às pressas, é chamado um psicanalista (ateu) para ajudar a reverter situação, enquanto os cardeais precisam continuar reclusos, como se o conclave ainda estivesse acontecendo, seguindo-se uma pressão mundial. Em meio a isso, a várias histórias envolvendo os religiosos, mostrando-os como figuras humanas, sujeitas a falhas e medos. O diretor usa do humor para contar uma história séria e não se aprofunda muito nas contradições da Igreja, que com a modernidade e as práticas medievais.

(*) Frase em latim que significa "Temos um Papa", dita assim que o novo líder é escolhido.

terça-feira, 12 de março de 2013

Infinitamente Mulher: só na livraria Inove

0 comentários

Estão à venda na livraria Inove os exemplares do livro Infinitamente Mulher, editados pela Casa do Poeta de Santiago e lançados em parceria com o Centro Materno Infantil. O primeiro livro, lançado em 2012, reuniu 55 escritoras. O segundo, lançado no último sábado, 09, apresenta o textos de 40 escritoras, demonstrando o talento literário feminino da Terra dos Poetas. Participam do livro: Aldorete Senhorinho Martins, Andressa Bitencourt, Angela Genro, Angélica Erd, Antonia Nery Vanti, Arlete Gudolle Lopes, Bibiana Freitas, Camila Canterle Jornada, Camilla Cruz, Ciméia Fiorin, Clarissa Guerra, Djenifer Bencke da Silva, Eduarda Bittencourt, Elizandra Minozzo, Enadir Obregon Vielmo, Erilaine Perez, Fátima Friedriczewski, Fernanda Alberti, Fernanda Lima, Gisana Monteiro, Ilma S. Bernardi, Indiara Silva, Karine Kauss Rodrigues, Lígia Rosso, Lilian Zanella, Luíza Bertuol, Luiza Ribeiro Stacowski, Maiara Jantsch, Mara Flores Pereira, Naíse Quartieri, Nara Ebres Bachinski, Nivia Andres, Rebeca Sasso, Rozelaine Aparecida Martins, Sandra Maira dos Santos da Luz, Sandra Siqueira, Sílvia Martins Ferreira, Simone Della-Flora Silveira, Suzana Lemes e Therezinha Lucas Tusi. Apresentação de Gisélle Ribeiro. Diagramação e capa: Tainã Steinmetz.
A livraria Inove fica na rua Bento Gonçalves, nº 1974. Fone 3251-6987.

domingo, 10 de março de 2013

Os últimos 10 bons filmes que assisti

0 comentários
Eu amo cinema. Quando tiver a oportunidade de fazer um curso nessa área, simplesmente por aprender mais sobre a sétima arte, ainda farei. Por ora, me delicio em ver ótimos filmes e, vá lá, outros não tão bons. Mas a mágica do cinema nos permite mergulhar fundo nas emoções dos personagens, compreender o que está sendo dito e o que está nas entrelinhas, o que o diretor apresenta e o que as nossas emoções sugerem, o que nossos olhos captam e o tanto que deixamos de perceber. A seguir, breves comentários sobre os últimos filmes que assisti, retirados de meu perfil do Filmow.

As Sessões

Antes de completar 40 anos, um homem que vive imobilizado por causa de poliomielite contraída na infância, decide contratar os serviços de uma terapeuta sexual. Ele só consegue mover a cabeça (para o lado esquerdo), mas é uma pessoa culta e cativante, numa interpretação sensível de John Hawkes. Sua terapeuta é vivida com muita competência por Helen Hunt, que o ajuda a conhecer os prazeres do sexo (e o filme mostra isso de maneira linda e poética). Me fez sorrir bastante no começo. Me fez chorar no final...


O Vôo
Conta a história de um experiente piloto de avião que se envolve (ou causa...) um acidente que põe em risco a vida de mais de 100 pessoas a bordo, quando algo dá muito errado. A única chance é fazer algo impossível de dar certo, mas a perícia do piloto consegue tal proeza e ele se transforma num herói...até começaram as investigações. "O Vôo" é mais um filme espetacular de Robert Zemeckis (diretor também de Forrest Gump, o Náufrago, a trilogia De Volta para o Futuro) e foi indicado a Melhor Roteiro, mas quem voa alto é Denzel Washington, em mais uma interpretação estupenda.

Moonrise Kingdom
Doce e melancólico, o filme apresenta personagens que parecem habitar o mesmo mundo de Os Excêntricos Tenembauns, obra-prima dirigida pelo mesmo Wes Anderson. Um cineasta autêntico, que criou o seu estilo único de compor imagens pitorescas, com ambientações que parecem complementar os saborosos diálogos. A tocante história acompanha duas crianças tidas como "estranhas" por familiares e colegas, que fogem para ficar juntas. Inicia-se uma pequena e inocente aventura que envolve e emociona neste despretensioso (mas majestoso) retrato do princípio da adolescência.

007: Operação Skyfall

James Bond nunca esteve tão elegante quanto sob a elegante direção de Sam Mendes. Pra mim está no mesmo patamar do excelente Cassino Royale. Roteiro bem desenvolvido, bom ritmo nas cenas de ação, os enquadramentos são belíssimos e o vilão de Javier Bardem foi magistralmente bem construído pelo ator, nos fazendo compreender as suas motivações e querendo saber mais sobre aquele cara. Daniel Craig está muito seguro com seu Bond. A trilha sonora é um espetáculo à parte. Os 50 anos da franquia cinematográfica 007 foram brindadas com louvor e muita competência.

Argo

A carreira de Ben Afleck como diretor está com um aproveitamento de 100%. Até agora foram três ótimos filmes, cada um superando o patamar atingido pelo anterior. Em Argo, ele demonstra firmeza como cineasta, apresentando os fatos históricos, os personagens, o drama e mandando ver no clima de suspense, dando ao público a mesma sensação de medo e incertezas vivido pelos personagens, tornando muito atraente uma história baseada em fatos reais. Se merecia ganhar o Oscar, é uma discussão que acompanhará Argo para sempre e cabe à Academia responder. Mas os méritos do filme em si são indiscutíveis. "Argo, fuck yourself!!"

O Hobbit

Amei a trilogia O Senhor dos Anéis, como quando a gente ama um grande amigo. E assisti O Hobbit como quem está louco de saudade de rever e de abraçar um grande amigo. Mas ele chegou pra mim como alguém que um dia eu conheci, mas que perdeu boa parte de seu encanto. É uma pessoa que traz algumas semelhanças com o que era, mas isso até soa de forma melancólica. Aquela amizade não é mais a mesma...

As aventuras de Pi

Uma história simples, com imagens deslumbrantes e uma mensagem de perseverança, ainda que tudo pareça perdido. Quem não se apaixonou pelo tigre Richard Parker? Há duas formas de ver a história, mas eu prefiro a do tigre.

O Mestre
A sinopse diz que o filme trata sobre a criação de uma organização religiosa, chamada A Causa (em que o líder e suas pregações se assemelham à Cientologia). No entanto, a trama do filme acaba não tendo tanta importância e, sim, as impressionantes atuações dos atores Joaquim Phoenix e Philip Seymor Hoffman. Realmente não dá pra desgrudar o olho de cada cena que eles dividem, tamanha a entrega, a técnica, o talento de ambos os atores. Em especial Phoenix que interpreta um personagem cheio de conflitos, que encontra um pouco de paz nas palavras (e no afeto) oferecido pelo Mestre. As melhores cenas: quando ambos acabam se envolvendo numa confusão e acabam indo parar atrás das grades e quando acontece um reencontro.

O Lado Bom da Vida

Sabe quando a gente está caminhando elegantemente e, num repente, torce o pé e sai mancando para, em seguida, recuperar o caminhar? Mais ou menos como o roteiro e a direção deste filme que começa muito elegante e dá uma resvalada, umas enroladas. Mas a dupla central de atores segura bem e é a razão de ser deste filme. Bradley Cooper está muito bem em seu papel e Jeniffer Lawrence vai, cada vez mais, se fiirmando como a grande estrela que o cinema contemporâneo deve aos cinéfilos. É um talento excepcional que interpreta nos suspiros, nos olhares, nas nuances e até na sua sombra. Robert De Niro e Jacki Weaver dão aqui um bom suporte, mas são os atores centrais que brilham e são o lado bom do filme.

Django Livre
 
Enquanto há diretores que fazem filmes em 3D para se aproximar da plateia, Quentin Tarantino trabalha à moda antiga (e homenageando o cinema de antigamente), mantendo as suas características tão essenciais: desenvolvendo os mais inteligentes roteiros, criando personagens icônicos, misturando deliciosas trilhas sonoras, escalando atores que parecem ter nascido para viver aqueles personagens e entregando os diálogos mais sensacionais do que quaisquer efeitos especiais. 

terça-feira, 5 de março de 2013

Infinitamente Mulher 2 será lançado

0 comentários

Como forma de homenagear o Dia Internacional da Mulher, que transcorre em 08 de março, a Casa do Poeta de Santiago e o Centro Materno Infantil se unem para fazer o lançamento do segundo volume do livro "Infinitamente Mulher", neste sábado, dia 09, às 18h, no Círculo Militar de nossa cidade. Trata-se de uma coletânea que reúne 40 escritoras, que mostram o seu talento na escrita produzindo contos, crônicas ou poesia e surgiu como forma de valorizar as mulheres que produzem literariamente em nossa cidade (conhecida como Terra dos Poetas). No ano passado, a parceria entre o Centro Materno e a Casa do Poeta produziu a 1ª edição do "Infinitamente Mulher", com a participação de 55 escritoras. Neste ano- num prazo de apenas uma semana para coleter o material e outra para produzir, diagramar e imprimir o livro- conseguimos reunir 40 escritoras. 

São elas: Aldorete Senhorinho Martins, Andressa Bitencourt, Angela Genro, Angélica Erd, Antonia Nery Vanti, Arlete Gudolle Lopes, Bibiana Freitas, Camila Canterle Jornada, Camilla Cruz, Ciméia Fiorin, Clarissa Guerra, Djenifer Bencke da Silva, Eduarda Bittencourt, Elizandra Minozzo, Enadir Obregon Vielmo, Erilaine Perez, Fátima Friedriczewski, Fernanda Alberti, Fernanda Lima, Gisana Monteiro, Ilma S. Bernardi, Indiara Silva, Karine Kauss Rodrigues, Lígia Rosso, Lilian Zanella, Luíza Bertuol, Luiza Ribeiro Stacowski, Maiara Jantsch, Mara Flores Pereira, Naíse Quartieri, Nara Ebres Bachinski, Nivia Andres, Rebeca Sasso, Rozelaine Aparecida Martins, Sandra Maira dos Santos da Luz, Sandra Siqueira, Sílvia Martins Ferreira, Simone Della-Flora Silveira, Suzana Lemes e Therezinha Lucas Tusi. Diagramação e capa: Tainã Steinmetz.

Após o lançamento, o livro estará disponível na livraria Inove.

segunda-feira, 4 de março de 2013

Influências externas ou internas?

0 comentários

Muitas vezes quando acontece algum crime, há pessoas que culpam  a influência dos filmes, dos games, das revistas em quadrinhos, das músicas, dos livros etc. Mas e o que dizer desse rapaz aí da foto, tão compenetrado na leitura da Bíblia...?