quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Filmes para ver, livros para ler

Desde que o cinema surgiu, há mais de 100 anos, muito se alimenta da literatura para contar histórias. Basta dar uma passada nas locadoras e ver a quantidade de títulos disponíveis, baseados em grandes obras da literatura. É o caso, por exemplo, do ótimo Os Miseráveis, que foi lançado há pouco com Hugh Jackman e Anne Hathaway, mas que já foi adaptado do livro de Victor Hugo mais de 10 vezes no cinema. Conta a história de um homem que vai preso por roubar um pão e, quando é solto anos depois, precisa reconstruir a sua vida e fugir da perseguição de um inspetor. É interessante ver que os filmes também ajudam a atrair audiência para os livros, que são descobertos e saboreados por novos leitores. Após ler e assistir (ou assistir e ler) fica impossível não fazer aquela inevitável comparação entre a obra original e adaptação. Muitas vezes, gosto de ler o livro antes de ver o filme para ter uma ideia expandida sobre a ambientação e os personagens. Mas muitas vezes também fui levado a conhecer a obra original literária após conhecer o filme e gostar da história. Dá pra comprar o filme na cabeça (de quando a gente lê), com a produção cinematográfica.


Livros, filmes e séries
Algumas obras literárias que viraram bons filmes: Grandes Esperanças, de Charles Dickens; Orgulho e Preconceito, de Jane Austen; Doutor Jivago, de Boris Pasternak; O Silêncio dos Inocentes, de Thomas Harris; Drácula, de Bram Stoker; Entrevista com o Vampiro, de Anne Rice; Harry Potter, de J. K. Rowling; O Iluminado, de Stephen King; O Senhor dos Aneis e O Hobitt, de J. R. R. Tolkien; Jogos Vorazes, de Suzanne Collins; O Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna;  Onde Andará Dulce Veiga, de Caio Fernando Abreu; Diário de uma Paixão, de Nicolas Sparks; As Vantagens de Ser Invisível, de Stephen Chbosky; O Lado bom da Vida, de Matthew Quick; O Grande Gatsby, de F. Scott Fitzgerald; As Aventuras de Pi, de Yann Martel; Ensaio sobre a Cegueira, de José Saramago; Na Estrada, de Jack Kerouac; Bilionário pro Acaso: A Criação do Facebook (de Ben Mezrich, livro que originou o filme A Rede Social); Comer Rezar Amar, de Elizabeth Gilbert; O Caçador de Pipas, de Khaled Hosseini; O Fantasma da Ópera, de Gaston Leroux; Uma Mente Brilhante, de Sylvia Nascar; O Homem Bicentário e Eu, Robô, ambos Isaac Azimov; Carrie-A Estranha, de Stephen King). 

Nenhum comentário: