quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Valeu, Rogério Abreu!

4 comentários

Eu e a Penny, lendo o livro Design na TV-Pensando Vinheta

Recebi um exemplar do livro Design  na TV-Pensando Vinheta, escrito pelo conterrâneo Rogério Abreu, que é formado em Desenho Industrial (UFSM), mestre em design pela PUC-RJ e especialista em Graphic Design and Art Director, pela Art Institut of Vancouver (Canadá). O Rogério trabalhou na TV Globo, onde integrou a equipe de Hans Donner, sendo responsável pela produção de vinhetas televisivas, aberturas de novelas e demais programas da emissora. 

O livro esmiuça justamente o universo da TV, do cinema, revelando como são os bastidores da criação de uma atração, bem como o papel desempenhado por cada profissional (autor, diretor, produtor, figurinista etc). O grande lance de Design na TV-Pensando em Vinheta é também um retrospecto analisando a evolução das aberturas de novelas, começando por Olhai Os Lírios do Campo, de 1980, até às Filhas da Mãe, de 2000. Tem um capítulo dedicado também a todo o processo de criação da abertura de O Beijo do Vampiro, de 2003, que foi toda feita por Rogério Abreu. Comecei a ler o livro e estou gostando muito, já que a linguagem usada pelo autor é bastante atrativa. Uma agradável aula de marketing.

Ói, ói o trem...

0 comentários

O trem passou, trazendo boas lembranças...
Aqui estou, tentando manter atualizado o meu blog pessoal, que já há alguns anos tornou-se minha pequena pátria, meu recanto de pensamentos, meu armário de guardados empoeirados. A audiência por aqui reduziu na mesma proporção que a frequência de atualizações e isso é bom, creio eu. Me permite postar o que quiser e usar isso aqui como bem quiser, sem tentar agradar ou mesmo desagradar...

Então, pra espanar um pouco a poeira, eis umas fotos que fiz há poucos dias. É o trem passando ali pela Estação, como tantas vezes fez diariamente e que há anos deixou de fazer. Por isso mesmo, é que foi algo incomum e que corri para fotografar.


A passagem do trem em Santiago. Algo tão comum
há um tempo atrás, um evento extraordinário nos dias atuais...

O recinto da Estação era como se fosse o pátio de minha casa...
O recinto da Estação era como se fosse o pátio de minha casa, onde brincava por cima dos vagões, pegando carona nos trens. Eu e outros amigos, como o Chico Diello. Era lá que também que disputávamos algumas partidas de taco e de futebol. Quando era pequeno, toda vez que tinha algum sonho ruim e acordava com medo, ficava calmo quando percebia o barulho dos trens na Estação. Era sinal de que, lá fora, a vida continuava normal...

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Os filmes indicados ao Oscar 2012

0 comentários

Os Descendentes entre os indicados ao Oscar.
Foi divulgado nesta manhã a lista dos filmes indicados ao Oscar, o maior prêmio do cinema. O novo filme de Martin Scorcese, "A Invenção de Hugo Cabret" lidera com 11 indicações, seguido pelo filme mudo "O Artista", da França, com 10 indicações. Também com várias indicações, Os Descendentes, que recebeu o Globo de Ouro de Melhor Filme.Confira todos:

Melhor filme
Os Descendentes
A Árvore da Vida
Histórias Cruzadas
A Invenção de Hugo Cabret
O Homem Que Mudou o Jogo
Cavalo de Guerra
O Artista
Meia-Noite em Paris
Tão Perto e Tão Forte

Melhor ator
George Clooney - Os Descendentes
Brad Pitt - O Homem Que Mudou o Jogo
Jean Dujardin - O Artista
Demián Bichir - A Better Life
Gary Oldman - O Espião que Sabia Demais

Melhor atriz
Glenn Close - Albert Nobbs
Viola Davis - Histórias Cruzadas
Rooney Mara - Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres
Meryl Streep - A Dama de Ferro
Michelle Williams - Sete Dias com Marilyn

Melhor ator coadjuvante
Kenneth Branagh -Sete Dias com Marilyn
Nick Nolte - Guerreiro
Max Von Sidow - Tão Perto e Tão Forte
Jonah Hill - O Homem Que Mudou o Jogo
Christopher Plummer - Toda Forma de Amor

Melhor atriz coadjuvante
Bérénice Bejo - O Artista
Jessica Chastain - Histórias Cruzadas
Janet McTeer - Albert Nobbs
Melissa McCarthy - Missão Madrinha de Casamento
Octavia Spencer - Histórias Cruzadas

Melhor diretor
Woody Allen - Meia-Noite em Paris
Terrence Malick - A Árvore da Vida
Alexander Payne - Os Descendentes
Michel Hazanivicous - O Artista
Martin Scorsese - A Invenção de Hugo Cabret

Melhor roteiro adaptado
A Invenção de Hugo Cabret
Tudo pelo Poder
Os Descendentes
Bridget O'Connor - O Espião que Sabia Demais
O Homem Que Mudou o Jogo

Melhor roteiro original
Meia-Noite em Paris
O Artista
Margin Call - O Dia Antes do Fim
Missão Madrinha de Casamento
A Separação

Melhor filme em lingua estrangeira
A Separação (Irã)
Bullhead (Bélgica)
Monsieur Lazhar (Canadá)
Footnote (Israel)
In Darkness (Polônia)

Melhor longa animado
Gato de Botas
Kung Fu Panda 2
Rango
Um Gato em Paris
Chico & Rita

Melhor trilha sonora original
As Aventuras de Tintim
O Artista
O Espião que Sabia Demais
A Invenção de Hugo Cabret
Cavalo de Guerra

Melhor canção original
"Man or Muppet" - Os Muppets
"Real in Rio" - Rio

Melhores efeitos visuais
Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 2
A Invenção de Hugo Cabret
Gigantes de Aço
Planeta dos Macacos - A Origem
Transformers: O Lado Oculto da Lua

Melhor maquiagem
Albert Nobbs
Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 2
A Dama de Ferro

Melhor fotografia
Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres
O Artista
A Invenção de Hugo Cabret
A Árvore da Vida
Cavalo de Guerra

Melhor figurino
Anônimo
O Artista
A Invenção de Hugo Cabret
Jane Eyre
W.E. - O Romance do Século

Melhor direção de arte
O Artista
Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 2
A Invenção de Hugo Cabret
Cavalo de Guerra

Melhor documentário
Hell and Back Again
If a Tree Falls
Paradise Lost 3: Purgatory
Pina
Undefeated

Melhor documentário de curta-metragem
God is the Bigger Elvis
The Barber of Birmingham: Foot Soldier of the Civil Rights Movement
Incident in New Baghdad
Saving Face
The Tsunami and the Cherry
Blossom

Melhor montagem
Os Descendentes
O Artista
Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres
O Homem Que Mudou o Jogo
A Invenção de Hugo Cabret

Melhor curta
Pentecost
Raju
The Shore
Time Freak
Tuba Atlantic

Melhor curta animado
Dimanche
The Fantastic Flying Books of Mister Morris Lessmore
La Luna
A Morning Stroll
Wild Life

Melhor edição de som
Drive
Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres
Cavalo de Guerra
A Invenção de Hugo Cabret
Transformers: O Lado Oculto da Lua

Melhor mixagem de som
Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres
Cavalo de Guerra
A Invenção de Hugo Cabret
Transformers: O Lado Oculto da Lua
O Homem Que Mudou o Jogo

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

'Ai, se eu te pego' em Inglês...

0 comentários

Após infectar as rádios de todo o pais com sua...sua..."música", Michel Teló lança uma versão em inglês de Ai, se eu te pego, que virou "Oh, If I Catch You". Pois é. Quando você pensa que o Brasil é um país lindo, só que tem uma política que nos envergonha, descobre que pode surgir algo como...isso. Clique acima e chore. Ou ria.

2012 e o fim

1 comentários

Nos anos 60, uma música foi capaz de levar as pessoas para as ruas e marchar de mãos dadas, manifestando indignação contra o sistema de governo. "Pra não dizer que não falei das flores", de Geraldo Vandré, era cantado nas ruas. Motivou as pessoas a lutarem contra a ditadura e inspirou uma geração de artistas como Chico Buarque. Que na década de 70 voltou ao Brasil (após exílio no exterior) e lançou a música "Construção", uma crônica sobre a vida e a morte de um operário, que ganhava pouco, trabalhava demais e cuja vida não valia nada, pois sua morte "atrapalha o tráfego/o sábado".  A inteligência dos versos de Chico inspirou Renato Russo. Que nos anos 80, com a banda Legião Urbana definiu a juventude da época como "Geração Coca-Cola" (Quando nascemos fomos programados/A receber o que vocês/Nos empurraram com os enlatados/Dos U.S.A., de nove as seis).

Na mesma época, Cazuza botava o dedo na cara de todo mundo com os versos de "Brasil, mostra a tua cara". Nos anos 90, uma música sua foi gravada por Cássia Eller  "Malandragem" marcou época, ao mesmo tempo em que definiu a (nova) mulher (pós) moderna. E veio os anos 2000, com seus hits ouviu-grudou, como Festa no Apê e porqueiras do tipo. Chegamos em 2012 e Michel Teló espalha pelo mundo os versos de "Ah, se eu te pego", cantado em coro pelas ruas, bares, mas de uma maneira que faria Geraldo Vandré se submeter a uma lobotomia. Se o mundo vai acabar neste ano, não sei. Mas a inteligência na música brasileira já se foi...