quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Seriam os ossos de Jesus?


Lançado há cinco anos, o documentário O Túmulo Perdido de Jesus, exibido regularmente pelo Discovery, motivou uma ação judicial. O diretor do filme, Simcha Jacobovici, entrou com uma ação por danos morais contra o antropólogo Joe Zias, que aponta como falso o conteúdo do documentário, que apresenta imagens de uma tumba, em Jerusalém, onde supostamente estariam os restos mortais de Jesus, o nazareno. 

Dentro, haveria ossários, com os nomes de Yeshua bar Yosef “(Jesus filho de José); “Maryam” (Maria), “Yosa” (apelido de José), “Matya” (Matheus),”Yeuda bar Yeshua” (Judas filho de Jesus) - e, para espanto dos estudiosos, “Marya'ne”(Maria Madalena). A tumba seria do século I. Historiadores ligados ao Vaticano, desqualificam tais investigações, justificando que esses nomes eram comuns na época (e que tal a combinação deles?) e que os ossos de Jesus não poderiam jamais ser encontrados porque ele "subiu aos céus".

A diferença entre religião e Ciência é simples. Uma prega a fé cega e a outra necessita da comprovação.
----------------------

"Não é possível convencer um crente de coisa alguma, pois suas crenças não se baseiam em evidências; baseiam-se numa profunda necessidade de acreditar."
Carl Sagan

Um comentário:

Cassal Machado Brum disse...

A melhor descrição da fé, eu aprendi nos Mórmons. Fé é creditar em algo que não se vê, mas que se sabe ser verdadeiro.