quinta-feira, 12 de julho de 2012

Uma luz na escuridão


Nesta semana o Brasil deu exemplo de honestidade, honra e dignidade. Foi uma notícia tão positiva, que mereceu os compartilhamentos via Facebook, curtições, retuítes, comentários nas ruas, nos bancos de táxi, nos jornais, nas rádios. E, veja só, esse exemplo não partiu de nenhum político, de algum milionário jogador de futebol, nem de poderosos empresários brasileiros. Veio do lugar mais improvável, de onde menos se esperaria algo do tipo: um casal que morava debaixo de um viaduto de São Paulo encontrou um saco com mais de 20 mil reais. Valor que tinha sido roubado de um restaurante e abandonado pelos bandidos, durante a fuga. E o que fez o casal, que vive de trocados? Chamou a polícia e entregou a pequena fortuna.

Qual dos políticos de Brasília faria o mesmo? Afinal, somos todos sabedores das tantas maracutaias e roubalheiras que muitos de nossos dignos representantes políticos já se envolveram. O dinheiro foi devolvido e os catadores se tornaram os heróis do momento. Diante da proposta de ganharem as passagens para voltar à sua terra, Maranhão, ou trabalhar para o restaurante, optaram pela segunda oferta. Outra prova de dignidade.

O motivo para terem devolvido o dinheiro, em vez de usar em proveito próprio, o que seria compreensível observando a triste realidade em que viviam? "Minha mãe me ensinou que não devo roubar. E que é preciso ser honesto", disse o catador Rejaniel, uma prova viva incontestável de que o mundo pode ser melhor se os pais souberem passar valores morais para os seus filhos.

Nenhum comentário: