quinta-feira, 29 de março de 2012

Millôr: batizado pelo escrivão


Falecido na quarta, o escritor Millôr Fernandes se consagrou como um gênio da melhor safra do humorismo inteligente, da literatura envolvente e da ironia refinada. Mas e se o nome dele fosse Milton Fernandes, teria tido o mesmo sucesso? Era para ser, já que esse foi o nome dado pelos seus pais.

Mas no tempo em que foi registrado, na década de 30, o escrivão pegou a caneta e escreveu "Millôr", ainda que tivesse a intenção de escrever o correto, só que o corte do "t" ficou curto e acabou virando o acento circunflexo do "ô". Só aos 30 anos, quando foi fazer sua carteira de identidade é que Milton Fernandes percebeu o que estava escrito na certidão e assumiu a nova identidade que o destino escolhera: Millôr.

Nenhum comentário: