sábado, 29 de janeiro de 2011

Carta aberta ao blogueiro

O professor Rodrigo Smolareck, grande amigo, enviou-me o texto abaixo, intulado como carta aberta, onde faz referência a um texto publicado por mim no jornal Expresso Ilustrado, onde abordei sobre a questão da união homossexual e do direito que todos possuem de buscar sua felicidade da forma que queiram. Confira a carta do Rodrigo:

"Valioso amigo Márcio!
Sobre teus escritos com o título: FORMAS DE AMAR


Trago algumas reflexões tornando público minha admiração e meu singular respeito pela tua incontestável capacidade de ponderar sobre importantes assuntos que envolvem o desenvolvimento cultural da comunidade, e também, claro, nos desafia a tirarmos o pó de ideias ultrapassadas acerca de várias questões que envolvem o sujeito promovido como pessoa.

Em teu artigo intitulado: “FORMAS DE AMAR” publicado no Jornal Expresso Ilustrado, em expedição de 28/01/2011, preciso parabenizá-lo com a grandeza que mereces e registrar:

Lendo um carinhoso escrito de Silvério Trevisan sobre Homossexualidade, seus trajetos e holocausto revelado ao longo dos tempos com os famosos “ massacres santos” onde pessoas eram queimadas vivas em nome de Deus. Uma atitude desumana, maldosa, em última instância repugnante! PENSEI... CÁ COM OS MEUS BOTÕES...

- A sociedade construída em sua dureza no aceite a condição do outro seja de raça, cor, gênero, ou qualquer outra forma que não a dita “normal” aponta aos seres humanos presos a essa condição uma discriminação tão doentia que caberia perguntar realmente se a homossexualidade de alguém desenha seu caráter.

Estou convicto que não! Há tanto heterossexual sem escrúpulos, corrupto caminhando por aí que nem caberia registrar nomes, basta dar uma olhada no cenário político mundial: dinheiro escondido na cueca, na meia, e sei lá os outros lugares que ainda não descobrimos. Assim: dizer que a homossexualidade de alguém define seu caráter É MITO, um “engano maldoso”.

- Os negros, assim como os homossexuais sabem a dor de serem discriminados junto à condição de existir na dignidade, pois aprenderam a viver das sobras de uma sociedade por vezes hipócrita que condena o que talvez muitos vivem nos porões de suas intimidades, julgar o outro sem conhecer a sua história de vida só pela sua sexualidade é tão ridículo que me atrevo a registrar que somos construídos com a colaboração do outro: pai, mãe, amigos, colegas de trabalho, logo se estes não me aceitam em minha condição revelarei o que poderei ser diante do ódio dos ignorantes.

Por fim, registro minha tranqüilidade em falar da condição humana, pois acredito no respeito ao outro como singular outro, na sua condição, inclusive sexual. Os estudos que tenho feito ao longo desses quase dez anos, me fazem compartilhar de uma verdade atual:

AQUELES QUE NÃO APRENDEREM A CONVIVER E RESPEITAR AS DIVERSIDADES HUMANAS ESTÃO CONVIDADOS A NAUFRAGAREM EM SUA PROPRIA IGNORÂNCIA.

Felicitações amigo Márcio pela abordagem atual acerca de um tema tão relevante e presente em nossas vidas: A homossexualidade.


Prof. Esp.Rodrigo Dalosto Smolareck
Pedagogo; Psicopedagogo Clínico e Institucional; MBA em Pedagogia e Psicopedagogia Empresarial

Nenhum comentário: