quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Um assunto estacionado...


O ano está prestes a terminar e um importante assunto seguiu se arrastando o ano todo em Santiago, que é a questão do estacionamento rotativo. A ideia de implantar esse sistema foi proposta pela Prefeitura e a Câmara de Vereadores estuda a proposta. Como o valor oferecido parece ter sido pouco atrativo para empresas interessadas em explorar o serviço, há vereadores que já avisaram que se negam a votar pelo aumento desse valor.

Sempre me interessei por política e acompanho com uma carinhosa atenção os assuntos que são tratados em nossa Câmara de Vereadores, onde trabalhei por dois anos e meio como chefe de gabinete.

Portanto, sei como funcionam os trâmites por lá e sei da preocupação de cada agente político em querer poupar o contribuinte de algum custo, reconhecendo as já pesadas cargas tributárias que todos pagamos. No entanto, percebo que alguns vereadores estão olhando só para um lado da questão.

Penso que essa questão do estacionamento rotativo já deveria ter sido resolvida e é interessante que seja cobrado um valor justo. De qualquer forma, é certo que nenhuma empresa colocará sua estrutura à disposição se não houver uma proposta atrativa.

Querem cobrar R$ 1,50 ou R$ 2,00 a hora? Deixe que cobrem. O efeito disso será uma reeducação de muitos motoristas que moram, muitas vezes, umas poucas quadras de seu local de trabalho mas só se deslocam de carro. Essa é também uma causa e efeito para ter uma Cidade Educadora

E quem precisa do carro para se deslocar diariamente e precisa de estacionamento? Simples: que paguem. Legislar significa, sim, ter responsabilidade e pensar no bem-estar dos cidadãos. Mas o fato duma discussão como essa se arrastar fica até parecendo que ninguém quer se queimar com um assunto polêmico como esse. Vai haver queixas? Sempre. As pessoas terão de pagar por algo que tinham de graça. Azar.

Muitos vão optar por deixar o carro em casa, ao invés de encher as ruas. Menos carros nas ruas, mais pessoas andando à pé ou de ônibus, menos poluição e o meio ambiente agradece.

Nenhum comentário: