terça-feira, 23 de novembro de 2010

Jayme Piva: o patrono que foi um padrinho

Jayme e eu.

Camila Jornada entrega Faces do Ser ao patrono Jayme.

Jayme, sócio-honorário da Casa do Poeta, ao lado de Giovani Pasini.

Não há dúvida de que a 12ª Feira do Livro de Santiago vai entrar para a história por vários méritos. Mas um deles, transcende o aspecto organizacional da Prefeitura e foi responsável por uma boa fatia do êxito de nossa feira: o patrono Jayme Camargo Piva.

Durante os quatro dias do evento, este santiaguense de 75 anos circulou pelos estandes com fôlego de um guri de 15, sempre acompanhado de sua querida esposa, a Vera. Os dois, como dois adolescentes, demonstravam uma energia incrível, visitando todos os estandes, conversando com as pessoas e estando o tempo todo disponíveis para tudo, em nome do amor por sua cidade.

Jayme foi mais do que o patrono de um evento. Foi, sim, um padrinho para cada um dos escritores que esteve por lá, lançando os seus livros.

Naturalmente o Jayme era a estrela da feira, mas fazia questão de compartilhar de seu brilho com todos, cumprimentando, incentivando e se fazendo presente em cada lançamento, levando o seu abraço, a sua amizade e, em numerosos casos, dizendo que as portas de sua casa, em Florianópolis, estariam abertas para os amigos.

Jayme, em nome de nossa cidade, quero dizer que foi muito bom conviver contigo. Passei a te admirar muito mais. E esse sentimento, sei bem, resume o que muito mais amigos sentiram após conversar contigo por dois minutos ou por duas horas. Tu (como me proibiu de te chamar de senhor) é uma daquelas raras pessoas que conhecemos num instante e, no outro, sentimos que conhecemos a vida toda. Tal feito se deve a tua transparência, bondade e caráter incrivelmente notáveis e inspiradores.

Foi muito bom de ter de regresso aqui, em tua Santiago dos Poetas. Terra de Túlio Piva. De Oracy Dornelles. De Aureliano Pinto. De Caio Fernando Abreu. De Jayme Piva.

2 comentários:

Jayme Camargo Piva disse...

Grande e querido amigo Márcio Brasil: Não sei como agradecer tantas e tamanhas gentilezas e atenções! Devo a ti todas as homenagens que recebi nessa minha abençoada terra natal. Inspirador que foste e admirável mentor da indicação e escolha do meu nome para Patrono da nossa grandiosa Feira do Livro, cuja aprovação diz bem do prestígio que desfrutas junto aos nossos caros conterrâneos. Evento que me proporcionou tantas alegrias e o grato ensejo de rever o pago e abraçar os fraternais amigos. Agradecido, recebe o tributo da minha admiração e a certeza de que ficarei eternamente cativo e honrado pela tua amizade. E orgulhoso por me certificar do teu carisma, da simplicidade e bondade que emanam desse teu espírito jovem e empreendedor, pleno de bondade e que te faz merecedor da estima e admiração de todos os que te cercam. Coisas que nos identificam: gostar de amigos, leituras, árvores e bichos. A mim, graças a ti, faltaram braços para tantos abraços, quando aí estive. Teu livro, recém lançado, não poderia ser melhor! Mesmo cansado da viagem de regresso, nele me debrucei para logo me abeberar dos teus notáveis escritos. Já li quase todo, encantado com a instigante variedade temática e sensibilidade poética do autor. Sim, existe muita poesia na tua literatura, cujo elegante fraseado permeia e se alterna entre a sensualidade e o romantismo. Dentre os contos que já li, ressalto "10 Segundos", impactante, dramático; James Blunt e Flores Mortas, inspiradíssimo e romântico; Bolo Frito com Sexo e Chimarrão, avançado e excitante. Todos a revelarem um autor plenificado de argúcia e maestria no domínio da escrita. Desde já te cumprimento pela beleza e magnificência da obra, cuja leitura a todos recomendarei, convicto do êxito e repercussão que haverá de obter, graças ao manifesto talento e virtuosidade do autor. Parabéns e agradecido por tudo, meu prezado Márcio, com recomendações e carinho à tua querida Tainã, pela simpatia e desvelo com que fomos - Vera e eu - por ambos recebidos.

Jayme Camargo Piva disse...

Caríssimo Márcio: Não sei como agradecer tantas gentilezas e atenções! Devo a ti todas as homenagens recebidas em nossa terra.Inspirador da indicação e escolha do meu nome para Patrono da Feira do Livro, a aprovação evidenciou teu prestígio junto aos conterrâneos. Evento que me proporcionou tantas alegrias e o ensejo de rever o pago e abraçar os amigos. Agradecido, recebe o tributo da minha admiração e a certeza de que ficarei sempre cativo e honrado pela tua amizade. E orgulhoso por me inteirar do carisma, simplicidade e bondade que emanam desse teu espírito jovem e empreendedor, pleno de bondade e que te faz merecedor da admiração de todos os que te cercam. Coisas que nos identificam: gostar de amigos, abraços, leituras, árvores e bichos. A mim, graças a ti, faltaram braços para tantos abraços, quando aí estive. Teu livro, recém lançado, não poderia ser melhor! Mesmo cansado da viagem, nele me debrucei para logo me abeberar dos teus belos escritos. Já li quase tudo, encantado com a instigante variedade temática e sensibilidade poética do autor. Sim, existe muita poesia na tua literatura, cujo elegante fraseado permeia entre a sensualidade e o romantismo. Dentre os contos que já li, ressalto "10 Segundos", impactante, dramático; James Blunt e Flores Mortas, inspirado e romântico; Bolo Frito com Sexo e Chimarrão, avançado e excitante. Todos a denotarem um autor plenificado de argúcia e maestria no domínio da escrita. Desde já te cumprimento pela beleza e magnificência da obra, cuja leitura a todos recomendo, convicto do êxito que haverá de obter, graças ao manifesto talento e virtuosidade do autor. Parabéns e agradecido por tudo, com recomendações e carinho à tua querida Tainã, pela simpatia e desvelo com que fomos - Vera e eu - por ambos recebidos.