terça-feira, 17 de agosto de 2010

Serra: "Ah, eu sou gaúcho"

Foto: Fábio Berriel

O José Serra anda mais perdido do que cusco em procissão e nem sabe para quê lado se atira e nem de que lado se atiram os seus apoiadores. Em suas primeiras propagandas eleitorais, ele demonstra que está com um sério problema de personalidade: ele pensa que é o Lula. Discursa de forma simples e emocional como o atual presidente que não frequentou muita a escola, mas fez escola na política. Serra se esforça para não parecer esnobe. Se o grande feito dos marqueteiros de Lula foi colocá-lo num terno Armani e fazê-lo parecer mais high society, a operação em Serra é o inverso. Eles tentam tirá-lo do salto alto e afastá-lo da verborragia para aproximar-se do povo. O doutor José tenta ser um "Zé". Tarefa inglória.

O Serra esteve no Rio Grande do Sul. Não achou alguma criança para pôr no colo ou algum velhinho para abraçar. Mas queimou os beiços numa cuia de chimarrão, fazendo de conta que gosta de tomar essa estranho chá amargo. Disse até que "será um gaúcho na presidência", demonstrando que além de não saber quem é, desconhece de onde veio. Para tentear um voto, só faltou dizer que iria torcer pelo Internacional na final da Copa Libertadores da América, mas aí podia perder voto dos gremistas e ele não quis arriscar... (e nem defendeu o Bolsa-família por aqui ou prometeu reforma-agrária, como tem feito lá pra cima).

Mas se ele está tão desbaratado assim, imagine como estão os seus tradicionais apoiadores. Se na última eleição que disputou, Serra contou com o apoio do PMDB e do PP gaúchos, hoje tais aliados em âmbito nacional se bandearam pro lado da Dilma Rousseff. Mas e que tal foi sua surpresa em ver representantes dessas e outras siglas dando-lhe aquele abraço apertado durante sua visita aos nossos pagos? Serra comemora o fato de estar à frente de Dilma nas pesquisas entre o povo gaúcho. Afinal, por aqui há grandes empresários e latifundiários que se identificam com o tipo de governo que implantou em São Paulo. Mas falta convencer o resto do país para reverter esse jogo. Mas para fazer isso, só se Serra fosse Lula. Mas ele não é. Mas mesmo assim, ele tenta...

Um comentário:

Cristiano Freitas Cezar disse...

E aí velhnho.
Está enganado quanto a dianteira de Serra pelos pampas.
Está tão na "rabeta" quanto em Minas.
Ajuda com a divulgação disso, porque poucos estão sabendo:
http://naoestaavenda.blogspot.com/2010/08/no-dia-da-eleicao-titulo-e-documento.html

Há braços.