terça-feira, 13 de julho de 2010

Vou votar em...

O período eleitoral iniciou na semana passada e já estou com meus votos definidos para as eleições 2010. Escolhi meus candidatos com base no trabalho já apresentado por eles anteriormente e totalizei cinco siglas. Dizem que quem vê cara, não vê coração e nem voto. Portanto, vou abrir minhas preferências políticas. No dia 03 de outubro de 2010 vou votar em:

Chicão Gorski para deputado estadual

Chicão Gorski. PP. 11.444

Chicão Gorski é o ex-prefeito de Santiago-RS. Foi vice-prefeito por quatro anos (de 1997 a 2000) e prefeito por oito anos (de 2001 a 2008). Durante este período, desenvolveu um trabalho exemplar e que é um exemplo para o Rio Grande do Sul e também para o Brasil. Ele humanizou as políticas públicas, centralizando em ações sociais, que resulturam no surgimento de programas como o Criança Feliz, uma escola de turno oposto que atende mais de 500 crianças, que recebem alimentação, aulas de reforço escolar e participam de cursos profissionalizantes e também oficinas de arte como dança, teatro, música etc. Para Chicão, a prefeitura devia ser uma empresa prestadora de serviços e tinha a obrigação de cuidar das pessoas.

Além disso, também foi precursor ao lançar o programa Minha Casa, em parceria com a Caixa Federal, anos antes do Governo Federal criar o "Minha Casa, Minha Vida" (não confundir um com o outro). O "Minha Casa", do Governo Chicão reduziu o déficit habitacional na cidade e construiu mais de 700 casas para famílias pobres num período de seis anos. Fora isso, diversas outras áreas tiveram o apoio de Chicão, que entrou para a história como o prefeito que obteve a maior votação na cidade. Partido: PP. Legenda: 11.444.


Manuela D'Ávila para deputada federal

Manuela D'ávila. PC do B- 6565

Essa jovem política tem se destacado muito no Rio Grande do Sul e no Brasil. Nas eleições de 2006, foi a mais votada para deputada federal, consolidando o crescimento de sua sigla, pouca expressiva até então. Seu trabalho como vereadora em Porto Alegre, lhe deu as bases para atuar também no Câmara dos Deputados, onde Manuela tem feito um trabalho exemplar e especialmente voltado à juventude, que apostou nela. Para deputado federal, eu voto em Manuela D'ávila, que também foi líder estudantil e é jornalista. Partido: PC do B. Legenda: 6565.


Tarso Genro para governador do RS

Tarso Genro. PT. 13

Ainda no início do ano, me perguntaram quem seria eleito o governador do RS e eu publiquei aqui no blog que seria Tarso Genro, apesar de muitos me dizerem que, não, seria o Fogaça. Mas eu sigo apostando no Tarso e, mais: meu voto é dele. Foi vereador em Santa Maria; prefeito de Porto Alegre por duas vezes; e também por duas vezes foi Ministro do Governo Lula: esteve à frente do Ministério da Educação e também da Justiça. Já disputou o governo do Estado em duas oportunidades. Desta vez, desponta nas pesquisas e tem boas chances de se eleger. Para governador, voto em Tarso Genro. Partido: PT. Legenda: 13.


Para senador (es) vou votar:

Paulo Paim- PT. 131

A dúvida que eu tinha e que, acredito, muitas pessoas ainda têm: neste ano, os eleitores vão poder votar em dois candidatos para senador. Se fosse um voto só, iria votar no experiente senador Paulo Paim, do PT.

Germano Rigotto- PMDB. 151

Como são dois, o meu segundo voto vai para o ex-governador Germano Rigotto, do PMDB. Voto em Paulo Paim por seu histórico político, sua experiência, pelo trabalho em prol dos trabalhadores e aposentados. Partido PT: Legenda: 131. E voto em Rigotto por ter sido deputado federal e governador do RS. Somadas essas experiências, legislativa e executiva, será um bom representante gaúcho no Senado. Partido: PMDB. Legenda: 151.


Marina Silva para presidente

Marina Silva- Partido Verde. 43

Porque decidi apostar no trabalho dessa mulher para desempenhar o papel de chefe da Nação. É negra, de origem pobre, humilde e é uma liderança reconhecida em âmbito internacional. Filha de seringueiros, se formou em História. Entrou para a política tornando-se vereadora em Rio Branco. Na Câmara, causou polêmica por combater os privilégios dos vereadores e devolver benefícios financeiros que os demais vereadores também recebiam.

Com isso passou a ter muitos adversários. Mais tarde, elegeu-se deputada estadual e depois senadora. Depois, assumiu o Ministério do Meio Ambiente. (Saiba mais sobre ela). Que o Governo Lula é o mais exitoso da história do Brasil, não há o que negar. Poderia votar de olhos fechados em Dilma Rousseff (e nem de olhos bem abertos em José Serra). Mas darei um voto de confiança para Marina Silva. Gosto do discurso dela e, especialmente, da identificação dela para com as causas ambientais e sociais. Partido: PV. Legenda: 43.

Um comentário:

Weimar Donini disse...

Olá Márcio.

É de fundamental importância que a comunidade apóie um candidato que se identifique com ela. Melhor, muito melhor se dela for nativo. E ainda melhor, ideal mesmo se fez sua carreira poítica ao lado da Comunidade, galgando ali seus passos principiológicos. Vivendo e convivendo com seus representados.

Neste sentido, embora não seja adepto dos princípios (nem dos exemplos públicos), do PP (ex-Arena, ex- PFL, presidido nacionalmente por Maluf), vejo no ex-prefeito Chicão o perfil ideal para melhor representar nossa cidade na Assembléia Legislativa. Neste sentido trabalharei junto a meus familiares e a meus amigos.

Pena que a região esteja dividida em nomes que, embora exemplares pais de família, ótimos cidadãos, ótimos cristãos, não tenham como objetivo principal a defesa de Santiago já tão maltratada politicamente. Até pode ser que a gente mereça isto, pelas más opções feitas por nós no passado.

Vejo outras comunidades da região bem melhor representadas, bem mais aquinhoadas em recursos públicos estratégicos de desenvolvimento industrial, educacional, cultural. O Estado (União, Estados e Municípios) é o principal indutor das transformações. Estes entes políticos serão tocados pelos representantes que elegermos (ou não elegermos).

O território santiaguense foi deliberadamente fatiado em muitos pedaços. Criaram-se municípios inexpressivos, sem importância alguma a não ser o de servir de curral eleitoral para alguns.

Penso que o município somente será forte, respeitado e influente se conseguir parir de seu meio um legítimo e verdadeiro representante. Se estiver maciça e concretamente envolvido neste ideal, neste objetivo.

Agora me diga, que outro representante, nascido, criado e bebido a água de outros córregos, de outras regiões, de outras cidades poderá nos representar? Balela! Me enganem, que eu gosto!

Um abraço. Continua nesta luta justa.