sábado, 3 de julho de 2010

Universo blogueiro e o big crunch...



Outro dia, a Tainã comentou sobre o sucesso dos vlogs (blogs de vídeos). Segundo ela, muitas pessoas não querem ler o que o outro pensa, mas querem ver e ouvir, sem perder muito tempo. O mesmo raciocínio se pode aplicar às redes sociais como o Orkut, o Twitter, o Facebook e várias outras existentes. A internet vive de modismos, como foi Formspring e não há dúvidas que outras redes serão criadas e vão atrair muitos usuários.

Criei meu primeiro blog em 2003. Naquela época, os blogs eram coisa de adolescente. Essa coisa de ficar fazendo diário virtual sobre o que se tinha feito durante o dia ou de postar uma foto, era considerado algo ingênuo. Adultos torciam o nariz e consideravam algo bobo, perda de tempo, distração. Lembro que até o meu amigo João Lemes me debochava dizendo "o que tu quer com blog? Ninguém lê". Mas o tempo passou e, hoje, ele mesmo não passa um dia sem atualizar o seu blog.

Os blogs tiveram o seu Big Crunch, que foi a expansão e explosão desse universo. Agora, já entrou na fase do Big Rip, ou seja, está começando a contrair-se, afunilar-se, diminuir o seu universo. O tempo de sucesso dos blogs, como os conhecemos, está diminuindo. Tão rápido quanto vieram, eles se vão. Só restarão os dinossauros digitais que conseguirem sobreviver às redes sociais.

Duvida? Então escolha qualquer lan house de qualquer lugar do Brasil e note o que é mais acessado pelos usuários: Orkut, Twitter, Facebook etc. Blogs? Dos clientes de lan house, poucos se dispõem a gastar suas fichas lendo o que está sendo escrito aqui ou noutro. O que acontece, na maioria dos casos, é que os próprios blogueiros se tornam clientes uns dos outros. E, claro, contam com aqueles visitantes ocasionais, parceiros ou pessoas próximas, interessadas em saber o que está sendo escrito por eles. Para o resto do mundo? Pouco importa.

Milhares de blogs ainda são criados diariamente e milhões deixam de ser atualizados, perdendo cada vez mais audiência. Fora que há uma infinidade de blogs cheios de erros gramaticais, layout horrível ou letra DESSE TAMANHO O QUE DÓI NOS OLHOS E AFUGENTA A AUDIÊNCIA, PORQUE É O MESMO QUE GRITAR.

Outra coisa que contribui é a falta de credibilidade dos blogs. O blogueiro pode ter crédito, mas o blog não. Ainda é um meio em que se propaga muita informação que requer confirmação.

Posso ver uma informação no blog do Willian Bonner e pôr fé, graças à credibilidade dele. Mas a mesma notícia, se ler antes no blog de algum Pedro Paulo José, vai me despertar a dúvida, fazendo com que busque a confirmação daquilo em algum portal confiável, como o Terra ou o ClicRBS.

Mas, enfim, os blogs e os blogueiros ainda vão existir, graças à sua multiplicidade (blogs de humor, jornalismo, política, literatura, moda, mulher pelada etc). Só que, estejam preparados para isso, a quantidade de pessoas interessadas no que é postado por aqui ou noutros blogs é que vai diminuir, justamente porque cada um estará entretido com sua rede social. E cada vez mais nos tornaremos "clientes" uns dos outros...

2 comentários:

Júlio César de Lima Prates disse...

Prezado Amigo Márcio. Parabéns pela ptertinência do debate, sempre rico e inteligente. Entretanto, ouso discordar da análise do amigo. Talvez, em tese, vc esteja certo quanto ao universo febril. Vc sabe o que quero dizer com isso. Existem os "boons", vira modismo, tudo que é guriazinha quer ter o seu, mas é tudo fogo de palha. Pessoas com tenacidade, seriedade e paixão pela escrita, a ponto de subsistirem ao longo dos anos, essas são poucas, raras. Agora, jamais essas pessoas deixarão de existir. E elas continuarão com a manifestação de liberdade criadora. E vou se assegurar MB: sempre. Veja que o blog do Saramago continuou mesmo após sua morte, sendo um dos mais visitados do mundo. Eu - logo logo - fecho uma década de blog e não me imagino longe dele. E assim é: sempre existirão os apaixonados pela escrita e que abrem mão da escrita. Agora, a legitimidade do blogueiro quem dá é a sociedade, as pessoas que leem, opinam, interagem, concordam, discordam...Mas com os jornais tambem ocorre a mesmíssima coisa. Eu até não coloco minha análise do ponto-de-vista de pessoal, posto que existem várias correntes interpretativas acerca do futuro da imprensa escrita e do próprio livro. As agências de notícias francesas, MB, tem um enfoque muito diferente das agências americanas, assim como as ligadas aos árabes divergem das judaicas. Assim, se vc ler a CARTA CAPITAL e ler a VEJA vc descobrirá dois "mundos", dois enfoques sobre os fatos bem diferentes. Para um, Chaves é um ditador e para outro é um herói latinoamericano. O que eu quero te dizer com isso, Márcio, é que não existe em falso dilema entre a seriedade e a confiabilidade dos blogs contra os jornais, pois nem os blogs e nem os jornais detém a verdade absoluta (o que a rigor não existe). Seja o blogueiro em sua ação individual e solitária, seja os jornais em sua ação e produção jornalística coletiva, ambos representam suas visões ideológicas sobre os fatos sociais e politicos. O Políbio Braga é um dos blogs mais lidos do Estado do RS, talvez o mais lido. O cara é um fenômeno digital. Eu discordo de quase tudo nele, mas eu o leio e não temos como negar a extensão de sua influência e nem sua capacidade de produzir argumentos em defesa do governo Yeda. E leio também o RS URGENTE que só mete o pau na Yeda e só faz apologia cega ao PT, mas também é um blog altamente inteligente. Ou tu acha que o blog do Nassif, do Noblat, do Cláudio Humberto, do Clovis Rossi, do Gilberto Dimenstein, da Cristina Lobo, da Lúcia Hipólito, do Diogo Mainardi, (...) deixarão de existir? Nunca. Até depois de mortos essas pessoas seguirão sendo lidas. E citei essas que são as maiores expressões nacionais, mas cada lugar tem seus blogs e seus blogueiros. Recentemente, por exemplo, Márcio, estive em Macapa, uma cidade com 230 mil habitantes, lá no norte, no outro extremo do nosso país, e a cidade é uma loucura só de blogs de jornalistas, politicos, professores, pesquisadores...manifestações interessantes que as pessoas assumem por si só, coisa que não podem fazer nos jornais, até pelas implicações e consequencias legais. Por tudo,Márcio, acho que vc criou um falso dilema entre os blogs e os jornais. Um abração.

Camila Jornada "Análise do ser" disse...

Com certeza, querido Márcio Brasil...
Parabéns pela palavras referentes a nós blogqueiros. Muitos criam contas para blogs, poucos os que escrevem e raros os sujeitos que atualizam. As pessoas detém o comodismo de atualização do momento em orkut, facebook etc, como fotos, vídeos e frases já prontas... Porém, nós blogueiros, ainda vamos ter uma maior "audiência" e até poderemos adquirir mais leitores...
Um abraço
Camila Jornada