terça-feira, 1 de junho de 2010

Eleições na URI


Eu realmente não me importo com a eleição na URI. E nem me dou ao trabalho de responder e-mails questionando a minha posição sobre o assunto. Mas quê posição? Eu não estudo na URI e nem nunca estudei, não mantenho relações comerciais, nem nada. Minha única ligação para com a universidade se dá através da amizade com alguns acadêmicos e alguns professores. E ponto. Por quê motivo eu iria ficar dando contra um candidato ou sendo simpático a outro? Não me importa, não me interessa, não me diz respeito.

Não se trata de uma eleição municipal onde todos podem opinar. É, sim, uma eleição dentro de uma instituição de ensino e, como tal, não pode se espelhar em campanhas políticas regidas pela Justiça Eleitoral. Tanto o professor Chico Gorski, quanto a professora Ayda Bochi tem os seus méritos. É aquela disputa onde se elegerá o melhor. E só espero que, vença quem for, se mantenha o respeito dentro da instituição, cujas ações são um reflexo para a comunidade. Trata-se, afinal, de uma universidade, um centro do saber, que deve se concentrar na formação de cidadãos críticos, conscientes, participativos, democráticos, evolutivos e, bem, você entendeu...

Como bem disse o amigo Giovani Pasini em sua coluna (a respeito de outro assunto, claro), as pessoas precisam brigar nas ideias, mas não entre si. Se eu quiser dar pitaco a respeito da eleição da URI, vou acabar tendo que fazer o mesmo quando tiver eleição na escola Sílvio Aquino, ou no Clube São Vicente, ou no grupo de escoteiros Toutinegra, ou na Ong Casulo, ou....

2 comentários:

Vanderlei Machado disse...

Marcio, concordo em gênero, grau, número, texto e etc...
Um abraço!

Tainã Steinmetz disse...

E adianta opinar em alguma coisa? Nem o voto dos alunos é valorizado como deveria.