quinta-feira, 10 de junho de 2010

E viva o livre pensar!


Em maio, completaram 77 anos do dia em que a perseguição dos nazistas aos escritores teve o seu ápice. Por dezenas de cidades alemãs, os nazistas queimaram montanhas de livros, em praça pública. A intenção de Hitler e seus seguidores era fazer uma limpeza na literatura, destruindo tudo aquilo que eles consideravam que não fosse adequado, conforme seus ditames.

Que bom que vivemos em outra época onde existe o livre pensar e o livre expressar. Onde cada um pode fazer sua escolha do que ler ou escrever, sem precisar prestar contas ou esconder seus gostos, como outrora também aconteceu aqui, no Brasil, na época em que os milicos mandavam.

Apesar de alguns resquícios, foi-se o tempo em que nazistas ou ditadores de toda ordem determinavam o que deveria ser lido ou escrito. O nazismo e o militarismo fazem parte do passado. Ou não?

Um comentário:

Tainã Steinmetz disse...

Liberdade de expressão só existe na teoria.