terça-feira, 1 de junho de 2010

Vilson Covatti quer ser o vice de Yeda (e consolidar sua oligarquia)


A exemplo do que fez José Sarney no Maranhão, o gaúcho Vilson Covatti quer transformar sua família numa oligarquia. Covattão foi deputado estadual por vários mandatos, até que conseguiu sair da Assembleia e repassar o seu gabinete para a sua mulher, Silvana, que ele conseguiu eleger ao mesmo tempo em que conquistou uma cadeira como deputado federal. Agora, a ambição vai mais longe: Covatti quer ser o vice na chapa da governadora Yeda Crusius. Mas ele também vai trabalhar para reeleger sua esposa (apesar da pífia atuação parlamentar) e fazer com que seu filho, Luis Antônio, se torne o seu substituto na Câmara.

Aliás, esse rapaz já foi notícia na mídia há alguns anos, quando conquistou um emprego no Tribunal de Contas do Estado. Na ocasião, questionado pela jornalista Rosane Oliveira, do jornal Zero Hora, Covatti vestiu a cara-dura e disse:

- O quê? O Luis Antônio no Tribunal de Contas? Mas que notícia maravilhosa tu estás me dando. Ele deixou currículo por toda a Porto Alegre. Ele é um líder nato...

Líder ou não, não sei (mas duvido muito). Mas que os Covatti querem se tornar uma oligarquia no Rio Grande do Sul, isso é verdade. Se fizessem um remake de O Poderoso Chefão no Brasil, ninguém melhor que o Covattão para interpretar o mafioso Don Vito Corleone...

2 comentários:

Weimar Donini disse...

É a melhor maneira de enriquecer, estar na mídia, ser influente e empregar a família (ou famiglia?). Quer vida melhor? Mas ele representa quais municípios, afinal?

Cristiano Freitas disse...

Vereança, Assembléia legislativa por vários mandatos, sustentados pelos "donos dos currais", vagas no TCE, filhos seguindo os passos do pai...
Deja vu?