terça-feira, 4 de maio de 2010

Um shopping que padece...


Fico triste toda vez em que passo em frente ao shopping Ilha Bella, na minha cidade. E pior ainda se entro lá. Fico triste por ver aquele belíssimo espaço, um projeto tão moderno e aconchegante...vazio. Ou "tapera" como se diz aqui no sul do Brasil. O shopping possui umas pouquíssimas lojas de miudezas e presentes, além de alguns escritórios de advocacia, salões de beleza e farmácia. Agora, imagine: para o consumidor, não há atrativo algum num escritório de advocacia dentro dum shopping.

Mas e que tal ir até a praça de alimentação, com belíssimas mesas de mármore num espaço elegante e confortável? Pode até ir. Mas não tem nada por lá. Nada para comer, nada para beber. Ou, não sendo tão dramático, tem (ou tinha...) uma moça que vendia shake por lá.

Tem um restaurante, tem uma loja de lingeries, outra de celulares. E são essas as lojas âncoras de nosso shopping. Se entra umas 100 pessoas lá por dia, creio, é um recorde de público. Mas nem sempre foi assim. O Ilha Bella já teve mais lojas e mais movimento, mas foi dimuindo aos poucos. Certamente pela falta de lojas mais atrativas.

Outra coisa: durante anos os empresários aguardam a abertura de uma sala de cinema, que ficaria sob a responsabilidade de um empresário de São Francisco de Assis. Só que este nunca concluiu a sala e sequer a libera para a entrada de alguma outra empresa. E, assim, o shopping vai minguando, o que é uma pena.

Em qualquer cidade, os shopping centers são atrativos, são cartões postais. Gostaria muito que em Santiago aquele espaço ganhasse vida.

Vejo que falta, por parte dos administradores, visão de negócio, ousadia, iniciativa, falta tudo. Quantas empresas abriram em Santiago desde o ano passado? Mais de 50. Destas, quantas abriram no shopping? Não sei. Só sei que o antigo shopping Boulevard Center (que na verdade é uma galeria) tem mais lojas que o Ilha Bella.

Creio que o shopping poderia (e deveria) estar atrás desses novos empresários e atrai-los para se instalar por lá. E quando digo atrair, significa oferecer alguma coisa: desconto no aluguel, algum tipo de vantagem. E da mesma forma, o shopping poderia buscar algum tipo de parceria com a prefeitura, com o Sebrae, o Centro Empresarial o que fosse. Do contrário, vamos seguir vendo esse belo projeto padecer sem atrativos.

2 comentários:

Tainã Steinmetz disse...

E tem ainda as lojas para fora do shopping o_O diminui mais a ainda a circulação de pessoas lá dentro.

Alexandre disse...

Shopping é um lugar para ir comprar tudo que se precisa de forma tranquila, com segurança e comodidade. Hoje ele não é. E sem estacionamento ou algo do tipo, sem atrativos reais, sem praça de alimentação ele nunca será. Tenho o mesmo sentimento quando passo por lá, tristeza.