sábado, 8 de maio de 2010

Quem não se comunica....

... se trombica, certo? É a frase tornada célebre pelo apresentador Abelardo Barbosa, o Chacrinha. Pois bem, acabo de chegar em casa saído do programa "Expresso no Ar", apresentado pela novíssima em folha rádio Central FM. Foi a terceira edição do programa do qual eu participo, ao lado dos colegas/jornalistas/apresentadores Sandra Siqueira e João Lemes. O programa de hoje foi bem variado, dando enfoque à segurança pública, tendo a participação do delegado Marcelo Arigony e do Major Nei, da Brigada Militar. Mas o que eu quero dizer agora, pouco antes de ir pra estrada, é que a rádio Central FM se tornou um fenômeno de audiência em nossa cidade. Cheguei na Farmácia Fronteiro e o pessoal estava ouvindo. Fui na locadora, e o pessoal estava ligado. Passei em frente ao posto e as pessoas estavam sintonizadas. É incrível: a cidade inteira está ligadíssima na Central FM que, neste sábado, fará a segunda noite de sua festa, lá no Center Hall.

Na postagem anterior, comentei sobre as eleições na URI e veio um amigo perguntar se eu apoiava o Chico Gorski. Outro, perguntou se eu apoiava a Ayda Bochi. Nenhum, nem outro. Até porque meu apoio não significaria nada nem pra um e nem para outro. Apenas comentei/comuniquei que achava que não se pode subestimar adversário nenhum. Vitória não se canta antes da hora e voto é voto. Percebo que a Ayda tem seus méritos e simpatizo muito com o Chico Gorski que, na minha opinião, está com a faca e o queijo na mão para vencer. Enfim. Bom, estava falando sobre comunicação. Acredito que a Central FM (voltando ao assunto) está se configurando num fenônomo justamente porque está atraindo uma grande quantidade de ouvintes. Até mesmo meu pai, um tradicional ouvinte (quase sócio) da Rádio Santiago agora já confere a programação da Central. Isso, para mim, é um fenômeno. (não o fato do meu pai ouvir a rádio, mas de muitas pessoas estarem fazendo o mesmo). Ou seja: em termos de propaganda e retorno, se eu tivesse uma empresa, certamente investiria na Central FM.

Ainda sobre comunicação e fenômenos de mídia: não considero que os blogs sejam um fenômeno, contrariando o pensamento de muitos. Os blogs são, em verdade, uma consequência da era da informação. Assim como são os telefones celulares. Não se diz que os celulares são um fenômeno; são em verdade uma consequência da tecnologia, da mesma forma que os blogs. Mas o interessante da internet é justamente a capacidade de interação com a audiência. Bom, depois eu volto a abordar esse assunto. Aquele abraço!

Nenhum comentário: