quinta-feira, 27 de maio de 2010

- Rádio Central FM se consolida como um fenômeno social, cultural e midíatico...


Faz um mês e alguns dias que entrou no ar em Santiago a rádio Central FM. Dizer que a emissora está "fazendo sucesso" é pouco diante do que ela realmente representou. Em verdade, a rádio comunitária consolidou-se como um fenômeno social, cultural e midíatico como nunca antes foi observado na minha cidade. Mas quais as razões que fizeram a jovem emissora a encontrar tão cedo o caminho do sucesso, despontando na audiência e na preferência dos ouvintes?

A Central FM está atraindo (e agradando) um público tradicional- a geração rádio de pilha- e também um totalmente novo- a geração MP4- , conseguindo sintonizá-los na mesma frequência. A rádio conseguiu conquistar carinho e respeito por pessoas de todas as faixas de idade, justamente porque dialoga com todas indistintamente, através de uma programação diversificada e que atende a todos os gostos.

É uma rádio que vai onde o povo está, no bairro, na balada, na rua e que não tem medo de ousar, sendo capaz de autocriticar-se e debochar de seu próprio sucesso (basta sintonizar no programa Radiativo, sucesso de audiência de todos os dias, às 17h30 e conferir).

Outra coisa que está ocorrendo: as empresas que anunciam e apoiam a programação estão obtendo uma resposta imediata de seu público. Alguns empresários com quem conversei dizem que alguns clientes até fazem questão de dizer que "ouviram a propaganda na Central FM".

Outro dia, encontrei o Cassal Brum, grande e valoroso sargento da Brigada Militar de Santiago, pessoa por demais querida em nossa cidade por conta de seu engajamento comunitário. Ele estava muito feliz por estar apresentando um programa na rádio comunitária Central FM, chamado Brigada Comunitária (segunda, às 20h), onde são abordados temas relativos à segurança pública. Feliz, justamente porque a rádio ofereceu a possibilidade de desenvolver tal programa, de caráter educacional, de forma livre e e sem custos. Mesmo assim, o Cassal demonstrava a preocupação em conquistar alguns apoiadores, a título de colaborar com a rádio. "A rádio está com uma audiência impressionante. Todo mundo está ouvindo. O Éldrio e o pessoal merecem muito sucesso", disse o meu amigo.

Pois bem. Quem em Santiago não conhece a Lígia Rosso? Professora na Skill, Medianeira, URI, Sinapse e Liceu, ela ainda encontra tempo para lutar em projetos culturais, sempre de forma apaixonada e sempre com um belo sorriso no rosto. No entanto, nas últimas duas semanas, esse belo sorriso da Lígia está ainda mais resplandecente. Simplesmente porque ela realizou o sonho de voltar ao rádio. E foi justamente a Central FM que proporcionou isso, que deu abertura para a criação de um programa essencialmente cultural, o Palavras e Ondas (aos sábados, às 14h).

A Central FM também oportunizou a volta do popular Barbela, com seus programas Esquina da Saudade (segunda, 21h) e Santiago Minha Terra (domingo, às 8h) e Estúdio Aberto (domingo, às 9h). O folclórico Sadi Machado também tem o seu espaço, no Proseando com o Sadi (domingo, às 10h). Sem contar, claro, o programa Expresso no Ar, apresentado pela Sandra Siqueira, por João Lemes e por mim, aos sábados, 10h ou ainda o Show Band, com o Éden de Paula, aos sábados, das 8h às 10h.

Além destes citados, há aqueles que fazem parte da prata da casa: o Nilson Pereira, a Drica, o Gonô, a Fran, o João Ramos, o Ademar Canterle, o João Garcia e, claro, o capitão de todo esse time: Éldrio Machado.

Tantas pessoas. Tantas ideologias. Tantas culturas diferentes vestindo a mesma camiseta e, com isso, interagindo com os mais diferentes segmentos da sociedade.

Como se cria um fenômeno? Não sei dizer, mas sei identificar um. E a rádio Central FM está além de ser só uma distração, uma opção de entretenimento. A rádio conseguiu legitimamente torna-se comunitária não apenas em sua concepção, mas por ter sido abraçada pela comunidade de uma forma extremamente carinhosa. Ela é nossa, é aberta, acessível, democrática, simpática, atraente, tradicional e, sobretudo, moderna.

De alto a baixo da cidade, percebo as pessoas sintonizadas na programação, comentando, discutindo, interagindo. Creio que isso se deve, especialmente, à abertura oferecida pela emissora que se coloca disposta a ouvir e valorizar o seu público.

Confira, pela internet, a programação da Central FM, clicando aqui

Nenhum comentário: