quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Bianchini: com a certeza do dever cumprido

Ontem recebi ligação do vereador Miguel Bianchini, que nessa semana entregou o cargo de presidente da Câmara para seu colega Davi Vernier. O Bianchini estava muito feliz com o resultado de seu trabalho em um ano à frente do Poder Legislativo local. Além de ter concretizado um projeto antigo de ampliação do espaço físico, foi ele quem tomou à frente e pelejou pela construção do Auditório Multicultural da Câmara, como já foi comentado em postagens anteriores. O Bianchini demonstrou grande satisfação de ver esse projeto bem encaminhado, observando que procurou fazer uma administração enxuta, economizando e garantindo recursos para que essa obra fosse viabilizada.

No ano passado, a Câmara fez um repasse de mais de R$ 100 mil para a prefeitura, auxiliando no momento em que o Executivo decretou contenção de despesas e, mesmo assim, ainda sobrou dinheiro para deixar comprado tijolo, tesouras, cobertura e palco do auditório. Agora, depois de haver encaminhado o Auditório, o Bianchini se dá por feliz. E agora vai se dedicar a uma outra construção, mas essa particular. Disse-me que está construindo uma casa numa pequena propriedade que possui no interior. E que está fazendo isso sozinho. Aizá, Bianchini.
********
Deixem-me fazer uma correção: numa postagem anterior, considerei que o vereador Nelson Abreu, quando foi presidente da Câmara em 2008, teria deixado uma quantia de R$ 130 mil para o auditório da Câmara, mas devo corrigir a informação. Tal economia, em si, aconteceu durante o período em que ele foi presidente, porém, disso aí não foi possível aplicar um centavo na construção do auditório iniciada no ano passado.

É que essa devolução de dinheiro ocorreu de forma natural quando do retorno do orçamento legislativo ao Executivo. Como não deixou nada empenhado ou reservado, o dinheiro entra no bolo todo, tornando-se novamente peça orçamentária do município. Resumindo: a economia e a devolução aconteceram, mas não ajudou em nada na construção do auditório.

Nenhum comentário: