segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Auditório Cultural Caio Fernando Abreu


Quem me conhece - e talvez quem acompanhe meu blog- sabe que eu não sou o tipo de "coruja que gaba o próprio toco". Ou seja: não sou de ficar falando o que eu fiz de bom ou de bem e blá, blá, blá. Portanto, me perdoem: esse post será uma excessão - (atualização: o blogueiro Júlio Prates me alertou do erro que deixei, despercebido. O correto é exceção. Mantenho o erro e faço a correção aqui nas entrelinhas)- porque quero demonstrar minha felicidade de ver uma ideia minha se tornando concreta.

A foto acima, que ilustra essa postagem, foi retirada do site da Câmara de Vereadores de Santiago e mostra uma obra sendo feita. Ocorre que o prédio que aparece na foto está localizado ao lado do prédio da Câmara e estava em desuso há um bom tempo. Lá em 2007, esse mesmo prédio esteve em vias de ser demolido, de ser colocado abaixo, meramente para se tornar um estacionamento...

Pois bem. Na epoca, eu sugeri aos vereadores (e isso isso foi publicado no jornal Expresso Ilustrado e também comentado na Rádio Santiago) que o referido prédio não fosse demolido e, sim, reformado e adaptado para que se transformasse num auditório multicultural. E ainda sugeri que fosse colocado o nome de Caio Fernando Abreu, escritor santiaguense que até então, pouco reconhecimento obteve de seus conterrêanos.

Ocorre que nossa cidade possui um déficit de espaços para apresentações de teatro, dança, palestras, reuniões etc. E o prédio em questão se tranformaria na melhor localização possível para um ambiente cultural.

Enfim, resumo da ópera: Os vereadores Nelson Abreu e Miguel Bianchini foram os únicos que me deram ouvidos em 2007 e somarem-se a essa proposta. Bem como o prefeito na época, o Chicão.

Calhou a sorte do Nelson Abreu se tornar presidente da Câmara em 2008 e do Bianchini o sucedê-lo em 2009. E ambos tiveram papel decisivo para que o auditório multicultural viesse a se tornar uma realidade. O Nelson Abreu economizou mais de R$ 130 mil reais de seu orçamento para essa obra. E o Bianchini também não mediu esforços e nem economias para que esse projeto saísse do papel, tendo o apoio e a sensibilidade de nosso atual prefeito, o Júlio Ruivo.

Graças ao trabalho deles, eis que o Auditório Multicultural Caio Fernando Abreu vai se tornar uma realidade em Santiago, com seu palco e seus mais de 200 lugares. E eu não posso esconder a minha felicidade de ter sido um dos idealizadores dessa ideia, que mostrou-se boa, afinal. Porém, devo ressaltar: de nada adianta uma boa ideia, se não há pessoas sensíveis e com visão de futuro à frente de algum empreendimento.

Nesse sentido, ao mesmo tempo em que relembro (feliz, devo dizer) minha participação nesse processo, é preciso render mesuras para os vereadores Nelson Abreu, Miguel Bianchini e Davi Vernier (que acaba de assumir a presidência da Câmara e é um atuante líder e incentivador cultural) e também ao prefeito Júlio Ruivo e ao ex-prefeito Chicão.

Nossa cidade ganhará uma maior identidade cultural com esse Auditório. E o escritor Caio Fernando Abreu terá, afinal, o reconhecimento merecido de sua gente com uma obra que fincará o seu nome em nosso solo.

Me perdoem os amigos que lêem esse blog, acaso eu esteja demasiadamente "gabola" em minhas reminiscências. Mas sou humano e, como tal, não posso deixar de me sentir feliz por ter sido, de alguma forma, útil e contribuído com minha cidade através de uma simples ideia.

Nenhum comentário: