sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Teoria da homossexualidade

Outro dia, na casa do amigo Giovani Pasini, começamos a debater sobre a questão da homossexualidade. Para uma parcela da sociedade, um assunto sempre polêmico. Tenho alguns amigos que são homossexuais e, portanto, é natural que os defenda em sua opção de expressar sua liberdade da forma que bem entenderem. Ou melhor: de buscar a sua felicidade!


Não compactuo, de forma alguma, de teorias que colocam o gay ou a lésbica degraus abaixo da sociedade dita "normal". Todos que aqui estamos, sob a luz do mesmo sol, temos o mesmo direito à vida e ao oxigênio que respiramos. Se a natureza, em sua perfeita multiplicidade, decidiu que convivêssemos todos no mesmo ambiente, héterossexuais, bissexuais e homossexuais, quem somos nós para dizer que esse ou aquele tem menos direito à vida? Há correntes que atestam que a homossexualidade é uma doença.

Outros dizem que é uma involução do ser humano. Mas, no geral e muitas vezes até secretamente, a sociedade condena. Há também quem acredite que ela é um novo estágio social que culminará por derrubar padrões estabelecidos. Seríamos todos, portanto, elementos "sexuais", independente do que somos, abrindo o leque de possibilidades.


Não defendo nem essa, nem aquela teoria sobre esse assunto. E de forma alguma condeno qualquer forma de expressão. Acredito, em verdade, que a homossexualidade é um processo mais do que natural. Portanto, é uma absoluta perda de tempo ficar teorizando coisas do tipo "eu respeito" ou "eu condeno". É como discordar ou concordar com a existência da chuva. Independente de nossa opinião sobre, ela vem e nos molha. Ela existe e não interessa o que pensamos sobre ela. É uma questão de entender isso. O amor é a maior das possibilidades humanas. E ele nos toca e nos une de forma espiritual. O sexo é uma função do corpo.

Uma coisa que temos que considerar é que a natureza é múltipla. Em nosso próprio planeta, ela nos brinda com uma biodiversidade que somos incapazes de enumerar. Há uma infinidade de minérios, plantas, flores, pássaros, animais etc. Mas é preciso expandir um pouco mais o nosso olhar.

É preciso lançar nossa mente para fora desse planeta. É Terra é um só, mas em nosso sistema solar existem outros planetas. E fora daqui, há um sem fim de outros nesse mesmo universo. Basta olhar para o céu e observar cada pontinho luminoso que vemos, à noite. São as estrelas que, nada mais são do que sóis, iguais ao nosso Sol. E se, em torno de nosso Sol, existem nove planetas. Imagine pelo resto desse universo quantos planetas mais existem e dos quais, jamais saberemos a existência?

E que tal que tal descobrir então que esse universo vasto aí "fora" é apenas um? Que existe uma coisa chamada multiverso? E que existe uma infinidade de outros universos coexistindo na mesma vibração, na mesma harmonia, com suas várias variantes. São infinitos universos, planetas, seres viventes, ecossistemas e tudo o mais. Ou seja: a multiplicidade é muito, mas muito maior, do que possa supor nossa vã filosofia, nosso pequeno universo, nossos ridículos e insignificantes problemas e nosso limitadíssimo intelecto.

Voltando à Terra: o que seria, então, a homossexualidade? Pois bem, se compreendemos que a natureza é perfeita e, nela, nada se perde tudo se transforma, fica mais fácil observar, por exemplo, que a homossexualidade não é exclusiva dos seres humanos. Ela está presente também entre os animais.

Acredito, portanto, que a homossexualidade é fruto de uma seleção do próprio planeta. É uma das sábias facetas da Mãe-Natureza quando percebe que há muitos indivíduos procriadores e, portanto, decide pelo surgimento de seres que, por sua opção, vão tornar-se atraídos por pessoas do mesmo sexo. E, portanto, não terão interesse em gerar filhos. Portanto, nada mais do que uma forma natural de controlar a natalidade.

Independente do que pensamos sobre o assunto ou não importando o tamanho dos preconceitos que carregamos, isso sempre aconteceu e vai seguir acontecendo. Aceitar isso, seria simplesmente abdicar de uma das tantas tolices que alimentamos. Desengarrafar no mínimo um dos tantos pré-conceitos que formulamos. A vida é múltipla e inteligente. Portanto, basta tentarmos ser assim também.

10 comentários:

Meus Momentos disse...

Se as pessoas olhassem verdadeiramente para o proprio umbigo, garanto q ninguem teria preconceitos...abç

Simone Simon Paz disse...

Puxa! Há muito tempo não leio uma crônica tão bem escrita e lúcida sobre o assunto. Penso como você. A maioria das teorias são do tempo, o amor é da eternidade. Vivam e deixem viverem. Há anos atrás, pesquisei a homossexualidade para um trabalho de faculdade, e selecionei casos de leões, araras e lobos. Parabéns, tuas crônicas são ótimas.

João Ninguém disse...

Bom texto. Eu iria justamente comentar que homossexualidade não é exclusivo dos seres humanos e, para colocar um pouquinho de cultura inutil, as hienas NÃO sabem quando fazem sexo com um macho ou com uma fêmea. Muito coerente quando diz que não precisamos concordar ou discordar, precisamos aceitar e ponto.

Clara disse...

No dia em que as pessoas desviarem a atenção para os valores humanos, lidarão melhor com a homossexualidade. Concordo plenamente com o que disse sobre controle natural de natalidade. A natureza é inteligente. Muito lúcidas as suas crônicas! Abraço. : )

Cristiano Contreiras disse...

Parabéns pela construção do post, é de blogs assim que precisamos. Espaço pra sensibilizar e refletir, sempre.

Você sumiu, que houve? abs

Maria Iaci disse...

Percebo que muitos dos homofóbicos o são porque imaginam que todos os homossexuais vivem em permanentes orgias e que têm a libido à flor da pele. O que não é verdade. Conheço alguns até bem pacatos e caseiros, bons companheiros, bons filhos, bons amigos, bons vizinhos e excelentes profissionais -- enfim, pessoas de bem. Ótima crônica, Márcio! Muito bem escrita. Um abraço pra você.

Andrei disse...

Olá Márcio. Obrigado por me passar esse link. Garanto que foi de muita utilidade. E seria ainda mais se, todas as pessoas desse nosso mundo (tanto santiaguenses, gauchos, brasileiros; como pessoas de outros países [usando um tradutor, ou não]) lessem esse artigo.

Se isso acontecesse, garanto que as pessoas ficariam mais flexíveis nesse assunto, que não é nenhum bicho de sete cabeças.

Levando em conta também que, toda regra tem sua exceção.....

-Pois bem. Mais uma vez, digo que sou seu fã e que, a cada post, a cada texto, fico mais fã ainda.

Um garande abraço.
Até qualquer dia.
Andrei R. Lopes

Anônimo disse...

Valioso amigo Márcio que belo texto, um ensaio reflexivo que nos revela a riqueza da diversidade humana e o quanto pode ser triste a pobreza pensante daqueles que, na hipocrisia condenão a constituição singular da pessoa. Parabéns amigo! Prof. Rodrigo

Anônimo disse...

tem varias teoriasdo homossexsualismo,uma q me entrigor e me fez pensar muito é q diz que quando bb se forma no útero da mãe recebem hormonio masculino para o cérebro só q nao manda o suficiente para destinguir se é homen ou mulher,o qvc acha sobre isso?

Anônimo disse...


A homossexualidade ocorre apenas em humanos. Nós humanos escolhemos quando queremos fazer sexo, os animais não. Neles ocorre o que se chama de cio. o homossexualismo humano não é doença; nem se nasce homossexual. É uma escolha que a pessoa faz.