sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Santiaguense reclama de descaso no Pronto Socorro do Hospital


Peço perdão aos navegantes mais costumeiros deste blog. Hoje não vou falar de filme, nem de música, nem de quadrinhos, literatura, nada disso. Mas vou falar de cultura.

Da cultura de bem atender as pessoas. De respeitar as pessoas. Uma cultura tão (ou mais) importante que outros tipos. Dito isso, quero dizer que escrevo essa postagem ainda absorvido de um sentimento de indignação, depois de haver conversado com um rapaz, um santiaguense, que reclama de descaso por parte dos profissionais do Pronto-Socorro de Santiago.

O rapaz é o Darlan Chaves Viana, que mora no bairro Guabiroba (rua Laurinda Costa, 853). Há cerca de uma semana, ele começou a sentir fortes dores na perna, sem nenhum motivo aparente. A dor foi aumentando a tal ponto que se viu impossibilitado de seguir trabalhando. No dia de hoje, 22 de janeiro de 2010, ele foi até o Pronto Socorro.

Contou-me ele que estava lá o dr. Paulo Renato Décio da Costa de plantão. Desconheço os procedimentos de atendimento no Pronto-Socorro, mas sei que há muitas pessoas que procuram atendimento às vezes por coisa pouca. E que há uma orientação de encaminhar as pessoas para os PSFs. Tudo bem.

Porém, segundo me relatou o Darlan, o médico não o atendeu. Aliás, o único atendimento que ele teve foi o da recepcionista que preencheu sua ficha conforme mostra a foto abaixo. Eis a transcrição:

"Darlan Chagas Vieiro. Paciente refere dor, + ou - 1 semana, não bateu, não caiu. Encaminhado ao posto".

E vai assinado e carimbado pelo médico plantonista. Sabe, olhando a descrição, até lembrei das anotações que faço de alguma reportagem, de alguma notícia, num pedaço qualquer de papel. Porém, isso não é um pedaço qualquer de papel e tampouco se "refere" a uma notícia. O Darlan é um cidadão.

Notem: ao se buscar atendimento no Pronto-Socorro, há um cartaz exigindo carteira de identidade do paciente.

Portanto, Darlan, como qualquer outro paciente, teve de apresentar sua carteira no Posto. Mas notem, internautas e blogueiros, a diferença entre o que está escrito no documento do Hospital e na carteira de Darlan:

Documento do Hospital: Darlan Chagas Viero
Carteira de identidade: Darlan Chaves Viana.

Além de não ser atendido corretamente, em seu direito de cidadão, o Darlan voltou para casa com a mesma dor. E com um nome diferente.

Caso a direção do Pronto-Socorro, o médico ou sei lá quem decida rever essa situação, por favor, não me mandem e-mail e nem me liguem para explicar. Liguem para o Darlan Chaves Viana. Seu celular é o 9919-6460.

Peço apenas que me informem que esse rapaz será atendido. Se isso acontecer, terei o máximo prazer de divulgar.

2 comentários:

POESIA CÁ E LÁ disse...

Muito bom teu espaço. Gostei muito de conhecer.

Um abraço

Clau Assi

Anônimo disse...

P*ta M*erda!!!

Se ocorreu com ele, ocorreu com outras pessoas, e ainda vai ocorrer com outras.

Tem que mostrar mesmo, não abafar!

Depois vemos os outros blog puxando o saco do hospital e blablabla. Claro!

Postagem muito boa!