quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Os melhores e os piores filmes que eu vi em 2009

1 comentários
E estamos vivendo as últimas horas de 2009. Não vou falar sobre o que passou ou o que virá. Só decidi postar aqui a lista de filmes que assisti esse ano. Para meu ritmo, foram poucos filmes. De qualquer forma, aqui estão eles, relacionados em três grupos, os ótimos, os bons e os ruins e, entre esses, os filmes que são de outros anos, mas que revi em 2009. Sorte que assisti poucos filmes ruins. Fica como dica para quem quiser assistir. Abração:



Filmes ótimos (Recomendo muito!)



  1. (500) Dias com Ela
  2. A Menina no País das Maravilhas
  3. Avatar
  4. Deixa Ela Entrar
  5. Distrito 9
  6. Dúvida
  7. Foi Apenas um Sonho
  8. Mamma Mia
  9. Marley e Eu
  10. Milk, a Voz da Igualdade
  11. A Mulher Invisível
  12. Nick & Norah: Uma Noite de Amor e Música
  13. O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford
  14. O Casamento de Rachel
  15. O Curioso Caso de Benjamin Button
  16. O Leitor
  17. O Lutador
  18. Quem Quer Ser um Milionário?
  19. Rec
  20. Se Beber, Não Case
  21. Senhores do Crime
  22. Star Trek
  23. Três vezes amor
  24. Trovão Tropical
  25. Vick Cristina Barcelona
  26. Wall E
  27. Watchmen


Já tinha visto e assisti de novo:
  1. Batman Begins
  2. O Cavaleiro das Trevas
  3. O Homem de Ferro
  4. O Fantástico Destino de Amélie Poulan
  5. Cidade de Deus
  6. Pulp Fiction
  7. Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças
  8. 12 Macacos
  9. A Vida é Bela
  10. O Auto da Compadecida
  11. O Diabo Veste Prada
  12. Borat
  13. Superbad
  14. O Cheiro do Ralo
  15. Deuses e Monstros
  16. Pequena Miss Sunshine
  17. O Senhor dos Anéis: Trilogia
  18. Matrix
  19. Drácula de Bram Stoker
  20. Entrevista com o Vampiro



Filmes bons (recomendo médio)
  1. A Proposta
  2. Arrasta-me para o inferno
  3. Agente 86
  4. A Troca
  5. Atividade Paranormal
  6. Brüno
  7. Cloverfield
  8. Ligeiramente Grávidos
  9. Ele Não Está Tão a Fim de Você
  10. Encurralados
  11. Gran Torino
  12. Hellboy e o Exército Dourado
  13. Mulher Maravilha
  14. Noivas em Guerra
  15. Nome Próprio
  16. Nossa Vida sem Grace
  17. O Amor não tem Regras
  18. O Mistério das Duas Irmãs
  19. O Procurado
  20. Pagando Bem, que Mal Tem?
  21. Ponto de Vista
  22. Promessas de um Cara de Pau
  23. Queime Depois de Ler
  24. Rebobine, por Favor
  25. Sangue Negro
  26. Segurando as Pontas
  27. Sex And City
  28. Um beijo roubado
  29. Zombieland

Já tinha visto e assisti de novo:
  1. Menina Má.Com
  2. Onze homens e um segredo
  3. Sete anos no Tibet
  4. O Incrível Hulk
  5. Sin City
  6. Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal
  7. Juno
  8. Tropa de Elite
  9. Abril Despedaçado
  10. Ratatuile
  11. Duro Matar 4.0
  12. Rocky Balboa
  13. Feitiço do Tempo



Filmes ruins (Para mim, foi tempo perdido)

  1. 2012
  2. A Órfã
  3. A Verdade Nua e Crua
  4. Ano Um
  5. Cinturão Vermelho
  6. Crepúsculo
  7. Hancock
  8. Heróis
  9. Maldita Sorte
  10. O Mistério de Grace
  11. Transformers 2: a Vingança dos Derrotados
  12. X-Men Origens: Wolverine
  13. Stardust, o Mistério da Estrela

Já tinha visto e vi de novo (Ou seja, burrice...)
  1. Batman e Robin
  2. Cazuza, o Tempo Não Para
  3. Motoqueiro Fantasma

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Kate Dennings...

0 comentários
...ainda vou dar um beijo nela. É uma promessa para 2010.

Banda Caais

0 comentários

No próximo domingo, os guris da banda Caais participarão da festa de aniversário de Santiago, apresentando algumas das músicas de seu disco “Trilha Sonora”. O nome da banda, Caais, é formada pelas primeiras letras das palavras compaixão, angústia, amor, infelicidade e sacrifício, temas sempre presentes nas músicas. Os integrantes são Rafael Montanha (vocal e guitarra), Lucas Pimenta (guitarra), Marcello Oliveira (baixo) e Alexandre Gulart (bateria).

A Caais também vai estar participando do Metal Zone Festival, que vai acontecer no Chaparral Bar, no dia 09 de janeiro. Ingressos à venda na Black Beans e Deleon Tattoo.

Saiba mais sobre a banda, acessando o http://www.myspace.com/caais

A saber: a festa de níver de nossa cidade vai ser grande, no dia 03. Vai ter show com o Negro José Valdir, Grupo Candieiro e musical Terceira Dimensão. Vai ser servido um bolo de 26 metros (Eba). E vai ter show de fogos de artifício. No mínimo, umas cinco mil pessoas vão estar na praça.

Cenas da festa de Natal

0 comentários

Dois momentos da festa de Natal na casa do Giovani e da Karla Pasini. A convite de nossos queridos anfitriões, a turma combinou de se encontrar na casa deles logo após a meia-noite. Lá estivemos, então, a Tainã, eu, a Lígia, o César, o Maurício e também a Mariana. Lá estavam o Pasini, a Karla e seus pais. Foi um prazer rever os amigos para mais algumas horas de diversão. Além de que é o maior privilégio conversar com a Elizabete, mãe da Karla que, fiquei sabendo, é professora lá na minha escola do coração, o Sílvio Aquino, onde estudei até a 8ª série.

Na foto acima, a Lígia e os rapazes (ela adora estar no meio do macharedo, essa guria). Em seguida, o Maurício e eu, fazendo uma dupla. Olha que sonoridade: Maurício e Márcio. Tiramos 89 no Karaokê cantando uma música dos Mamonas Assassinas. Viva nós!

Forum de Literatura em Santiago

0 comentários

De 22 a 24 de janeiro, acontecerá na Câmara de Vereadores de Santiago, o I Fórum Latino-Americano de Literatura / II Encontro de Escritores do Mercosul. O evento é uma promoção da Casa do Poeta de Santiago, em parceria com o Centro de Integração Latino-Americano (CILAM). Haverá debates sobre literatura, palestras, painéis e estandes com venda e lançamento de livros. Serão apenas 90 vagas para os três dias, sendo que os participantes receberão certificado de 25 horas. O valor da inscrição é de R$ 20,00, para cobrir custos.
Informações: secretaria@casadopoetadesantiago.com.br ou na Livraria Santiago (do Tide Lima), na Rua dos Poetas. Ou ainda pelo site http://www.casadopoetadesantiago.com.br

Hossen Minussi: o santiaguense que faz TV, teatro e cinema

1 comentários

Os santiaguenses que assistiram ao Na Geral.com do último domingo tiveram uma surpresa. É que o programa, que vai ao ar perto meio-dia na Globo, teve a participação do ator Hossen Minussi, que é de Santiago, e vai permanecer no programa pelos próximos episódios. Para quem não sabe, ele é filho da dona Helena (proprietária da loja Helena Noivas) e sua fanzona. Atualmente, o ator faz parte do elenco da peça Decameron e há poucos dias apareceu no Cilada, do Multishow. Ele também participa do quadro Os Pulhas, que é exibido no programa Tarja Preta, do Canal Brasil, e que é apresentado por seu amigo Selton Mello.

Essa amizade começou em 1989, no teatro, e se estendeu para o cinema. No currículo do santiaguense constam os filmes O Cheiro do Ralo, Meu Nome Não é Johnny, Feliz Natal e A Mulher Invisível, em que ele trabalhou ao lado de Selton. A parceria seguirá em 2010 com Filme de Estrada, que será dirigido por Selton Mello e mostrará como é a vida no circo. No filme, Hossein vai interpretar um palhaço. O ator também vai aparecer em Reis e Ratos, ao lado de Rodrigo Santoro. Hossen aproveitou as festas de final de ano para visitar Santiago e matar a saudade da família e dos amigos.

domingo, 27 de dezembro de 2009

Avatar, de James Cameron

1 comentários


Em março de 1998, o diretor James Cameron foi receber o Oscar de Melhor Diretor por Titanic e gritou "Eu Sou o Rei do Mundo", repetindo a mesma frase dita pelo personagem de Leonardo Di Caprio em seu filme. Onze anos depois, Cameron lança Avatar que deverá ser a atração no Oscar 2010. Se depois de receber vários prêmios (e vai) o diretor resolver gritar dessa vez "Eu sou Deus do mundo", não será um exagero.



Afinal, com Avatar, ele criou o planeta Pandora, que é habitado pelos Na'vi, com toda uma vasta cultura e dialeto próprio. Além deles, há todo um ecossistema diferente de tudo o que já se viu no cinema. Há plantas, flores, animais e toda uma geografia única.

Neste sábado, 26 de dezembro, junto com a Tainã e o Sidi, fui ver Avatar no cinema. E quero dizer o seguinte: quando as luzes se apagam na sala, é possível esquecer onde você está. Confesso: eu viajei ao planeta Pandora. E estou de volta para contar o que vi.

O filme é absurdamente perfeito. São as cenas mais incríveis, maravilhosas e milimétricamente bem concebidas. Assim como é impossível comer um só Ruflles, é impossível assimilar Avatar assistindo uma única vez. É preciso mais. É preciso ver quantas vezes forem possíveis para absorver tanta riqueza de detalhes que preenche a tela e ilumina nossos olhos.

Avatar se passa uns 200 anos no futuro, quando a fauna e a flora terrestre já não existe mais e os seres humanos possuem tecnologia para explorar outros planetas. Como não podia deixar de ser, lá vamos nós em busca de riquezas minerais, não importando se, para isso, seja preciso destruir a natureza de um planeta que não é o "nosso".

Conhecemos o mundo de Avatar, através dos olhos de Jake Sully (Sam Worthington), um fuzileiro naval paraplégico que substitui o seu falecido irmão gêmeo numa missão. Ele é um dos participantes do projeto Avatar, que insere seres humanos no planeta Pandora para contatar os Na'vi. Para isso, usam de um corpo semelhante ao dos nativos, porém, controlado através de uma ligação mental. Jake vai até o planeta acompanhado de Grace (Sigorney Weaver), que é uma cientista fascinada pela biodiversidade do planeta. Jake acaba conhecendo Neytiri (Zöe Saldana, ótima) e se envolve com o resto da tribo, que o reconhece como um dos "homens do céu".

Avatar pode afetar o espectador de duas formas. A primeira é deixá-lo boquiaberto com tudo o que se está vendo em tela. A segunda é....descobrir que a história não é nada demais. O roteiro é uma mistura de Pocahontas, Dança com Lobos e O Último Samurai. Não traz nenhuma novidade nesse aspecto. Em muitos momentos, os diálogos também soam previsíveis. É o cara que se vê num ambiente hostil, luta para sobreviver, encontra ajuda entre aqueles que deveria dominar e acaba respeitando-os a ponto de lutar ao lado deles. Neste filme, os seres humanos são os vilões.

Com Titanic, James Cameron faturou muito dinheiro. Não tanto pela tecnologia que reconstruiu o imenso navio. Mas, sim, pelo romance entre Leonardo Di Caprio e Kate Winslet. Neste Avatar, ele parece querer seguir a fórmula e cria um romance entre os seus protagonistas. Só que é um romance que em nenhum momento chega a empolgar. Não se vê uma emoção verdadeira por parte de Jake com relação a Neytiri. E quando ele justifica o respeito pelos Na'vi por causa de sua amada, a sensação que tive foi de indignação. Afinal, seria muito mais interessante se ele dissesse que os admirava por conta de sua cultura e integração com a natureza do que por um simples interesse romântico.

Como roteirista, James Cameron sempre cria heróis maiores que a vida, íntegros e idealistas. O mesmo cuidado, porém, ele não dedica aos vilões, quase sempre maniqueístas. Novamente cito Titanic. Lembram do personagem de Billy Zane, o noivo de Kate Winslet? Era cínico, egoísta, inescrupuloso e ambicioso. Tais características são as mesmas que Cameron empresta para os vilões de Avatar. Não há meio termo. E isso incomoda. Pois a gente sempre sabe quem vai sobreviver e quem vai se dar mal.

Avatar é um espetáculo tecnológico. É um filme grandioso como o cinema nunca viu. Mas, ao contrário do que dizem por aí, ele não surpreende tanto assim. Pelo menos, não como fizeram Jurassic Park, Titanic e também O Senhor dos Anéis, em seus respectivos momentos.

Acontece que, hoje em dia, a gente sabe que é possível fazer de tudo com computação gráfica. É por isso que tudo o que aparece em Avatar é tão perfeito. Porque a tecnologia chegou a um nível de perfeição incrível. Porém, isso já está se tornando comum no cinema. É um espetáculo, sim. Porém, soa como clichê em diversos pontos do roteiro. De qualquer forma, é imperdível.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Consumismo: o verdadeiro sentido do Natal

1 comentários

Feliz Natal, em primeiro lugar, caro leitor. Antes de prosseguir na leitura deste texto, saiba que não pretendo criticar o consumismo característico do Natal e dar lições de moral de que essa data é especial, porque significa o nascimento do menino Jesus e blá, blá, blá. Não, esse texto não é para falar mal do consumismo natalino. Pelo contrário. Eu acredito que o verdadeiro sentido do Natal é mesmo o consumismo. O ato de comprar, lotar as lojas, encher o carrinho do supermercado e dar presente para quem a gente gosta. Essa é a verdadeira razão de ser do Natal e o resto é conto da carochinha. Pela internet você vai encontrar inúmeros textos dizendo o contrário. "O Natal significa a paz no coração de todos. O amor. A alegria. O cantar dos pássaros. O coachar dos sapos. Os abraços. O menininho Jesus na manjedora, porque seus pais não conseguiram hospedar-se em nenhum outro lugar. E os reis magos magicamente foram guiados por uma estrela e foram até lá presenteá-lo com incenso, mirra e ouro".


Somos bobos em pensar dessa maneira. Bobinhos, para ser menos drástico. Da mesma forma que mantemos a ilusão das crianças na existência de um Papai Noel, também nos equivocamos a respeito do verdadeiro sentido do Natal.
- Olha, estou enchendo o meu carrinho aqui no supermercado, mas o que importa é o nascimento de Jesus.

Tal pensamento é de uma ingenuidade que chega a ser graciosa. Durante o ano todo a humanidade se comporta mal (vamos colocar dessa forma) e, no final do ano, acredita que o menininho Jesus, lá da manjedoura vai nascer e tudo vai ser lindo. E dê-lhe churrascadas e cervejadas em nome do menininho da estrebaria.

Hoje em dia, o Papai Noel criado pela Coca-Cola é o maior símbolo do Natal e, portanto, sintetiza muito bem esse raciocínio. O Natal é puramente comercial. Nada mais que isso. Meramente isso. O resto, é conto da carochinha. Querer acreditar no menininho que nasce no coração de todo mundo é um direito que todo mundo tem e que bom que as pessoas ainda preservam essa ingenuidade.

Mas o Natal é comprar peru, litros de cerveja, cozinhar para um monte de gente e trocar presentes. O Natal aquece o comércio e incentiva o turismo. Esse é o verdadeiro espírito e é uma sacada inteligente do comércio em dizer o contrário.
- Olha, aceitamos o seu 13º como entrada, mas o que importa é o verdadeiro sentido do Natal.
- Dá para fazer em 24 vezes. Leva um jurinho de 5%, mas o que importa é que Jesus nascerá para salvar todo mundo.

Essa história de reflexão, amor, paz e não sei mais o que, é a cerejinha do bolo, é um enfeitezinho, um lacinho vermelho que deixa todo o resto mais bonitinho. E meigo.

Quando eu digo "Feliz Natal", o que realmente isso significa? Ter um Feliz Natal é ter uma boa ceia? Ou receber bons presentes? Fico em dúvida. Porque aquela história do menino nascendo na manjedoura é apenas uma fábula, como é a dos Três Porquinhos. Ou a da Cinderela.

Dito isso, justifico: acredito em Jesus Cristo. Acredito que houve um grande líder que trouxe um ensinamento verdadeiro e profundo aos homens. Mas desacredito nessa origem aí de manjedourazinha, de reis magos guiados pela estrela, essa coisa toda. Se Natal significasse o nascimento de Cristo, como reza a lenda, é certo que teríamos então de comer muito pouco (afinal, se José e Maria estavam alojados junto dos cavalos, não teriam peru e champanhe à disposição). O verdadeiro sentido do Natal é na verdade o consumismo, é gastar, é fazer o dinheiro circular, é comer bem, é estar com os amigos, é divertir-se. Coisas que são legais de fazer. E nesse sentido, o Natal é bacana.

Durante muitos anos, eu ficava encucado com essa data e até era vítima da "depressão natalina", pois entrava naquelas de "poxa, o Natal não é nada disso, é o nascimento de Cristo". Pensei, repensei e percebi: não é. O menininho é um adereço. É um enfeito. É uma guirlanda.

O Natal é mesmo comprar presente e gastar no mercado. O resto, meus amigos, é uma história pueril que merece continuar sendo propagada por sua inventividade. A fantasia e a ilusão são instrumentos poderosos para o despertar da criatividade. Papai Noel, coelhinho da Páscoa e menininho que nasce na manjedoura e ganha presentes dos três "magrãos" que seguiram a estrela são folclores que tem o seu valor e que mostram, afinal, que nem tudo está perdido e que o ser humano é capaz de acreditar em algo que não pode ser tocado ou comprovado. É um resquício de fé e de ingenuidade que, por sua vez, mostra um lampejo de inocência. E isso faz renascer em mim a esperança na humanidade. E Natal não significa, então, renascimento?

Então, espero que a sua mesa esteja farta e que tenha aproveitado os melhores preços das lojas. E que ganhe muitos presentes.

Resumindo: um Feliz Natal.

(Republicação)

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Mais de 100 mil acessos. (E sem mulher pelada...)

2 comentários

Só notei ontem: meu blog ultrapassou os 100 mil acessos. Aliás, tá quase em 100500. Para relembrar minha trajetória blogueirística: (inventei essa palavra agora. Copyright now) criei meu primeiro blog lá em 2003. Não tivesse o servidor do Weblogger saído fora, meu blog existiria por aí como esses ossos de dinossauros que os cientistas encontram.

Acredito que o primeiro blog criado na minha cidade foi da turma do Café Bem Doce, mas acho que o meu devia estar entre os 10 primeiros de Santiago, talvez. Depois daquele, criei mais uns 20 blogs. Não fosse mudar tanto, talvez já tivesse conquistado uns 500 mil acessos. Mas isso deve representar apenas um dia de acessos nos blogs de mulher pelada ou no site da Playboy.

Meu blog é uma salada: tem contos, crônicas, críticas, notícias, fotos, críticas de cinema, música etc. Só não tem mulher pelada.

Mas acho que vou começar a postar umas aqui para aumentar a audiência. Vai que dê dinheiro...

(Tá. É brincadeira)

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Essa é a minha garota...

2 comentários

Eu tava olhando a página do Formspring.me da minha namorada, onde fizeram a seguinte pergunta para ela: "Hétero, Bissexual ou Homo?". Olha só a resposta da Tainã:

"Acho que essa coisa de hetero, bissexual ou homossexual não passa de um rótulo. Quem que disse que o homem tem que ficar com uma mulher, e vice-versa? Não importa se eu estou apaixonada por uma mulher ou por um homem, o que importa é o "ser humano" pelo qual estou apaixonada. Sinceramente não saberia dizer qual o meu "rótulo". Tenho namorado, mas se eu me apaixonasse por uma mulher, não veria o menor problema em ficar com ela, se fosse correspondida, claro."


Concordo em gênero, número e grau com a Tainã. Ela disse exatamente o que eu penso. Quanto mais a gente cria divisões e subdivisões sexuais, mais contribui para ampliar ainda mais o leque de pré-conceitos. Adorei a resposta dela e considerei inteligente. Essa é a minha garota...

Quer fazer alguma pergunta para a ela? Clique aqui! E se quiser me perguntar qualquer coisa, inclusive se vai chover, clique aqui.

Churrasco na casa do Pasini

3 comentários
As garotas reunidas: Karla, Mariana, Kamilla e Tainã.

Karla Pasini e Tainã Steinmetz.

Giovani Pasini, Márcio Brasil (por acaso, eu) e Janice Trombini. Altos papos.

Acima, eu e a prenda. Abaixo: Giovani, Alessandro, César e Luis Paulo.

Karla e sua irmã Kamilla.

Mariana e Karla: dupla sertaneja.

Até eu tentei a sorte no Karaokê com a Karla, campeã em pontuação

No último final de semana, experimentei momentos especiais ao lado de bons amigos durante uma confraternização na casa do amigo Giovani Pasini. A Tainã e eu fomos recebidos por ele e por sua esposa Karla, muito atenciosos. Além de um notável escritor (presidente da Casa do Poeta de Santiago), o Giovani demonstrou ser um grande assador e preparou à capricho as coxinhas de galinha e a linguiça. Enquanto isso, a Karla estava muito animada e nos contava a história de quando ela e o Giovani se conheceram.

E ela também fazia questão de ouvir de mim e da Tainã sobre nossas histórias. O Pasini me presenteou com um pacote com todos os seus livros até então lançados. E me fez o convite de escrever a apresentação de seu próximo livro, que será lançado durante o Fórum Latino Americano de Literatura que vai acontecer agora em janeiro.

A confraternização foi maravilhosa e me senti muito à vontade. Afinal, bons amigos marcaram presença como o Marcus Vinícius, Alessandro Reiffer, Luis Paulo, César Braga, Janice, Júlia, Ruth, Mariana, Maurício, Kamilla, Elizabete e vários outros. Tudo num clima muito amistoso. Teve música, cerveja, refri, conversa, karaokê e até jogo de xadrez. Os filhos do Pasini e da Karla, o Eduardo e Amanda brincavam por ali e estavam muito felizes também. Uma pena que a tratante da Lígia Rosso não apareceu por lá. Mas sexta-feira vai ter outra reuniãozinha nossa e ela prometeu aparecer por lá dessa vez. Vamos ver.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Brittany Murphy: 1977-2009

2 comentários

Ontem eu acessei a net e fiquei sabendo da morte da atriz Brittany Murphy, que sofreu um ataque cardíaco. Sei que a vida é assim mesmo, a morte chega para todos, cada um tem a sua hora, há um fim pra tudo, ninguém é dono de ninguém etc. Mesmo assim, lamentei a morte dela. Assisti diversos filmes em que ela atuou, como o divertidíssimo Recém Casados, o Grande Menina, Pequena Mulher, 8 Mille, Sin City, Os Garotos de Minha Vida, Patricinhas de Beverly Hills e outros. Eu gostava dela e a achava linda. Lamentei sua morte, aos 32 anos (completados no dia 10 de dezembro. Sagitariana como eu). E também lamento a morte de qualquer pessoa que morra tão jovem e com uma vida tão promissora. O cinema perde sem aquele seu sorriso de uma grande e talentosa menina.

O que o Lula enxerga em Dilma Roussef?

4 comentários

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, é a aposta de Lula para sucedê-lo na presidência do Brasil. Há alguns dias, ela anunciou que deverá se exonerar do cargo em fevereiro e se preparar para disputar as eleições do ano que vem. Não fosse ela ter sido alçada por Lula à condição de ministra e apadrinhada para ser sua sucessora, o resto do país não saberia quem é essa mulher. Sempre considerei antidemocrático (mas humanamente compreensível) que o presidente demonstrasse abertamente toda a sua paixão pelo Corinthians. Mas agora me causa asco ver o seu descaramento promovendo a candidatura de Dilma. Para isso, a leva como chaveiro para tudo quanto são as inaugurações, solenidades etc. Procurando colocá-la nos holofotes, tornando-a uma figura conhecida. Uma amiga dos brasileiros.

Mas que descaramento, meu. Fico puto com essas figuras oportunistas como a Dilma. E ainda mais com um descarado como o Lula. Prá que fazer esse tipo de coisa? Já não basta o povo não saber votar e ser levado por marqueteiros? Que sede de poder é essa que esse cara tem de querer se perpetuar no poder colocando uma figura decorativa lá para garantir seu terceiro mandato? Afinal, é essa a função de Dilma Rousseff. Outro dia tive a oportunidade de conversar com o ex-prefeito de Santa Maria, o Valdeci Oliveira, do PT.

E disse a ele que via essa pré-candidatura da Dilma como um grande erro, apesar do Lula e seus seguidores estarem catequizados (e catequizando). Disse ao Valdeci que essa pré-candidata não iria decolar, a não ser entre a classe despolitizada e que engole qualquer coisa. Ainda comentei que o nome do senador Paulo Pahim é que deveria ser lembrado para presidente por sua trajetória política. O Valdeci "tirou do bolso" a seguinte resposta:

- Acontece que a ministra Dilma está num bom momento e ela é muito conhecida em todo o Brasil, enquanto que o senador Pahim, que é um excelente nome, não tem a mesma visibilidade.

Mas que visibilidade, tchê? Ela é tão conhecida quanto o Kléber Bam-Bam que ganhou o Big Brother. Ou tão conhecida quanto qualquer outra celebridade de 15 minutos que esteja diante das câmeras de todo o Brasil. Como é que essa mulher não vai ser conhecida? E outra: ela não tem metade, da metade, da metade da trajetória política do Pahim. E sequer algum dia exerceu um cargo eletivo. Nunca passou pelo importante crivo das urnas. Nunca foi vereadora, prefeita, governadora, deputada nem porra nenhuma. Ela está sendo enfiada guela abaixo dos brasileiros, isso sim. Está numa posição de privilegiada e é um contraste contra tantos políticos honestos e de trajetória admirável que existem no Brasil (eles até que existem).

O que temos é uma candidata de ocasião, da qual se desconhece a conduta. Ah, fora que ela também está lutando contra um câncer (isso ninguém merece) e suas sessões de quimioterapia já são motivo de reportagens e propagandas políticas veladas (isso a gente não merece), com intenção de torná-la uma vencedora na luta pela vida.

Acredito que o governo do PT está sendo bom para o país. Há muitos méritos, sim. Mas a Dilma vai se caracterizar numa burrice histórica.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Perguntas & respostas

0 comentários
Faça a pergunta que quiser, que respondo se puder.



Leia as respostas aqui

Crepúsculo: versão pornô

1 comentários

Como já escrevi várias vezes aqui no blog, não sou nenhum pouco fã da saga Crepúsculo, a qual considero uma tosqueira oportunista e recheada de clichês. O motivo de não gostar? Poderia citar inúmeros, mas cito apenas o respeito pelas obras de Bram Stoker e Anne Rice, nada mais. Em termos de conteúdo e originalidade, essa Stephenie Meyer (autora da saga) não tá com nada. E o incrível é que tem muita gente que fala mal dos textos do Paulo Coelho. Comparando com a Meyer, o Coelho é um Stephen King. Mas, chega de falar mal de Crepúsculo. Quero dizer que outro dia descobri que existe uma versão pornô da história. Pesquisei, encontrei e tive que assistir um pouco. Então, foi uma das melhores comédias que assisti esse ano. Lá estão os personagens de Edward e Bella passeando por uma floresta.

Ele comenta que não pode ficar com ela e tal e, em seguida, sai fugindo como um morcego assustado. Mas acaba voltando para a Bella (que é feia). Daí, os dois deitam na grama e começam de amasso. Em seguida, vão para a casa do vampiro. E lá começam a sessão de tchaca-tchaca na butiaca. É de rir muito.

As interpretações são mais falsas possíveis. A atriz faz umas caras e bocas (mais bocas do que caras) engraçadíssimas, enquanto o ator pensa que tá interpretando alguma coisa. E a sessão de sexo é incrível. A garota faz sexo oral no cara e fica dizendo "está gelado, está gelado". (Os inteligentes do filme concluíram que, se o cara é um vampiro e está morto, só poderia ter o pênis gelado. Eheheheh). E assim eles ficam transando. A cena hilária é quando a "Bella" resolve aplicar um sexo oral no "Edward" até se lambuzar com o esperma vampírico dele. A câmera tá ali focando os dois, a cara toda gozada da Bella e o Edward lasca a pérola:

- Você quer conhecer os meus pais?

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk! Foi o diálogo mais "expontâneo" e honesto da saga Crepúsculo, mesmo que em um filme "não-oficial". Depois disso, se seguem cenas de sexo com versões de outros personagens. É muito tosco. Só eu mesmo para me prestar de ver uma coisa dessas..

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Acontece por aí...

0 comentários
Na rua alguém acena. E você, sorridente, acena de volta. Mas era para outra pessoa. Nessa hora, o sorriso fica sem graça...
*******
O pão sempre despenca com o lado que tem a manteiga pra baixo, sujando tudo. Resultado da Física ou da bocabertisse?
*******
Sempre que você enxergar um Fusca conte até 20 e logo verá outro. Eles nunca estão sós. Dessa forma, perpetuam a 'espécie'.
*******
Onde esteja uma pessoa que não suporta cigarro, sempre tem por perto um fumante mal-educado enfumaçando o ambiente.
*******
Sair num dia de chuva e pisar numa laje solta. A água molha sapato e calça. Aí, cruza um carro na poça e termina o serviço.
*******
Quando chove quem mais anda embaixo de marquises é quem tem guarda-chuva. Quem tá sem, se molha ou leva barbatanada no olho
*******
Motoristas dirigem com uma mão no volante e com a outra tiram tatu do nariz. Ficam tão à vontade que pensam que ninguém vê.

Animal Planet

0 comentários

É isso que acontece quando falta luz na redação do jornal, como aconteceu na tarde desta quarta-feira. Não dá para usar computador, sobra a câmara digital. O Tonho foi fumar. O Sidi foi tomar um ar. E eu fui fotografar os gatos da vizinha...

Teatro Liberdade

0 comentários
Esse pessoal aí posando na frente da porta do estúdio de gravações da Rádio Santiago faz parte do elenco do espetáculo "A Paixão de Cristo", que será encenadado na semana que vem em Santiago. O retardado sorridente que está no meio é o diretor do grupo, meu amigo Jones Diniz.

Escola Apolinário Porto Alegre

0 comentários
Na semana passada fui convidado pelas professoras Marta Kinzel e Ruth Elis a participar da exibição de vídeos produzidos por alunos do Ensino Médio da escola Apolinário. O desafio proposto a eles era o de criar um telejornal bem aos moldes daqueles que vemos na TV. Era preciso ter apresentadores, repórteres, entrevistas, previsão do tempo, vinhetas e tudo o mais que se vê em tais produções. Assim, os alunos dividiram-se em grupos e saíram para cumprir a missão. Durante algumas horas, tive o privilégio de estar ao lado das amigas Tatiana e Lisandra para apreciar os trabalhos e cumprir a ingrata tarefa de apontar os três melhores. Tarefa ingrata porque em cada um dos trabalhos se notava o esforço, a criatividade e a dedicação dos alunos, que foram exitosos em sua primeira incursão nesse universo. E ter a responsabilidade de dizer que este ou aquele grupo merecia mais destaque do que outro era um peso.
*******
Acredito que todo aquele que tente fazer um trabalho já tem méritos só em tentar. E vai somando pontos a medida que evolui durante o trabalho e ainda muito mais quando conclui. Para mim, todos os alunos estão de parabéns. Notei, em cada grupo, a vontade de fazer a diferença. E cada um cumpriu com louvores a tarefa justamente por ela representar uma inovação na escola. Uma tarefa que excedeu os limites da sala de aula e colocou os alunos em contato com diversos setores da sociedade. E que valorizou o trabalho em grupo. Afinal, não há estrela que brilhe só no céu. Numa época em que todos sabemos ser difícil despertar o interesse do aluno, as professoras Marta e Ruth mostraram que isso é possível. Basta fazer diferente. Isso é (r) evolução.

Ulbra debate com escritores

1 comentários

Nesta quarta-feira, 16, a Ulbra Pólo Regional de Santiago, promoveu um encontro entre as acadêmicas do curso de Letras com alguns escritores santiaguenses. Os alunos selecionaram textos de autores de Santiago e região e fizeram uma análise e apresentação de seus trabalhos. Depois, houve debates. Foram apresentados trabalhos sobre Froilan Oliveira, Lígia Rosso, Wilma Frizzo e Renan Machado Guerra e também coisas minhas (milagre que eu não estivesse por lá de enfiado). Também participaram os escritores Giovani Pasini e Erilaine Perez. A diretora da Ulbra, professora Cleonice Azevedo, disse que a instituição pretende interagir mais com os escritores de Santiago e parabenizou as acadêmicas pelo esforço.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Dieta de Legião Urbana

1 comentários

Faz mais de uma semana que só tenho ouvido músicas da banda Legião Urbana. Estou numa dieta musical à base das letras de Renato Russo. E quando não estou ouvindo Legião Urbana, estou pensando em Legião Urbana (Cheguei a conclusão que não foi só o Renato Russo e a Legião Urbana que morreram em 1996. Foi o rock brasileiro. Foi a própria música brasileira. Taí os "Dejavus", "Calypsus" e "Fresnos" que não me deixam mentir). E assim, fico meditando sobre Legião Urbana. Suspirando por causa da Legião Urbana. Lembrando da Legião Urbana. Outro dia cheguei até sonhar com as músicas da Legião Urbana. Mas isso teve uma explicação: é que eu dormi ouvindo Legião Urbana. E agora, me deu vontade de atualizar o blog só com trechos de algumas músicas da Legião Urbana. Eis:


"Quando se aprende a amar,o mundo passa a ser seu." (Sereníssima)
****
"Triste coisa é querer bem a quem não sabe perdoar..." (L'aventura)
****
"É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, porque se você parar para pensar, na verdade não há."
****
"Quantas chances desperdicei quando o que eu mais queria era provar pra todo o mundo wue eu não precisava provar nada pra ninguém." (Sereníssima)
****
"Quando não estás aqui sinto falta de mim mesmo. E sinto falta do meu corpo junto ao teu." (Sete Cidades)
****
"Como um anjo caído fiz questão de esquecer que mentir pra si mesmo e sempre a pior mentira" (Sereníssima)
****
Tão correto e tão bonito. O infinito é realmente um dos deuses mais lindos". (Sereníssima)
"Até bem pouco tempo atrás poderíamos mudar o mundo. Quem roubou nossa coragem? Tudo é dor. E toda dor, vem do desejo de não sentir-mos dor..." (Quando o sol bater na janela do teu quarto)
****
"Sei que às vezes uso palavras repetidas, mas quais são as palavras que nunca são ditas?" (Sereníssima)
****
"E mesmo sem te ver, acho até que estou indo bem." (Giz)
****
"Já não me preocupo se eu não sei por que às vezes o que eu vejo quase ninguém vê." (Sereníssima)
****
Se lembra quando a gente chegou um dia a acreditar que tudo era pra sempre, sem saber que o pra sempre, sempre acaba." (Por Enquanto)
****
"Quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer que não existe razão?" (Eduardo e Mônica)
****
"Se o mundo é mesmo parecido com o que vejo, prefiro acreditar no mundo do meu jeito." (Eu era um Lobisomen Juvenil)
****
"Me disseram que você estava chorando. E foi então que eu percebi como lhe quero tanto..." (Quase sem Querer)
****
" Quem me dera ao menos uma vez... Provar que quem tem mais do que precisa ter, quase sempre se convence que não tem o bastante... e fala demais por não ter nada a dizer!" (Índios)
****
"Quem insiste em julgar os outros sempre tem alguma coisa pra esconder." (Uma Outra Estação)
****
"Nos deram espelhos e vimos um mundo doente." (Índios)

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Só sei que nada sei

2 comentários
Nos últimos dias, deixei o blog atirado às traças. Uma, porque tava ocupadíssimo com o trabalho no jornal. Outra, porque tava sem tesão para escrever. E também porque na semana passada me envolvi bastante com diversos outros afazeres. Entre alguns afazeres prazerosos, escrevi um texto, assim de última hora, para o Rodrigo Neres, do Departamento de Cultura da SMEC. É para o teatro Liberdade, grupo do amigo Jones Diniz, fazer uma encenação do Auto de Natal na pracinha de brinquedos. Também tive a grata satisfação de conhecer a Maira, que é acadêmica da Ulbra em Santiago e resolveu conversar comigo sobre literatura para um trabalho lá da Ulbra. Ela me convidou para participar agora, quarta-feira, de um evento cultural que a Ulbra está organizando. Na sexta-feira, fui no colégio Apolinário Porto Alegre, atendendo a convite da professora Marta Kinzel, para avaliar os vídeos que os alunos do Ensino Médio produziram. Os estudantes produziram telejornais, com direito a entrevistas, previsão do tempo, comentaristas e muito mais. Trabalho muito bacana coordenado também pela professora Rute Elis. Muito bacana.
*********
Mas voltando ao assunto da Maira. Achei graça que, inicialmente, ela conversou comigo cheia de dedos, me considerando "o" jornalista. Achando que eu era formado nisso e naquilo e naquilo outro. Mas eu esclareci: não sou formado em nada. Concluí o Ensino Médio fazendo Supletivo e não entendo nada de Gramática. Nada mesmo. Não sei o que é oxítona, paroxítona, proparoxítona, orações adverbiais, adjetivas ou subordinadas etc. Não sei MESMO. Não entendo de regras de Português. Apenas escrevo, porque li bastante. O que sei escrever é apenas por praticar, não por entender. Não sei nada disso. Ou melhor: só sei que nada sei.
*********
Mas como disse para ela, admiro quem estude e busque a sua formação universitária. Admiro muito quem busque evoluir dessa forma. Eu só não fiz isso porque não tive oportunidade. Em determinado momento da minha vida, por falta de pa(i)trocinador, tive que optar por estudar ou trabalhar, por não poder conciliar as duas coisas. E optei por trabalhar. E também comentei o seguinte com a Maira: logo que seja possível, talvez no ano que vem, eu quero estudar, sim. Mas o tempo novamente seria determinante para mim e não poderia, jamais, fazer uma faculdade presencial. Uma, porque não teria como conciliar com o trabalho. Outra, porque dormiria nas aulas. Então, vou optar por uma universidade virtual, talvez a Ulbra mesmo. Entre os cursos que gostaria de fazer: Filosofia ou Sociologia. De duas, uma. Ou, se possível, as duas.


segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

2012 é o fim do mundo

4 comentários

Há poucos dias assisti ao mega-propagandeado filme "2012" que, confesso, estava curioso para ver. Bem, sabe quando sua expectativa com relação a alguma coisa é frustrada? Assim, dá para resumir minha opinião com relação ao filme. De qualquer forma, vou falar sobre ele começando pelas coisas que gostei:

Pontos positivos de 2012

- John Cusack e Woody Harrelson. Dois excelentes atores. O primeiro interpreta o protagonista da história, um pai separado que faz de tudo para defender sua prole e a ex-mulher, por quem ainda é apaixonado. O segundo faz um pesquisador e divulgador de teorias de conspiração, que mantém uma rádio pirata em que fala sobre o fim do mundo.

- Os efeitos especiais são inacreditáveis, mas nada que você já não tenha visto em filmes como "Guerra dos Mundos". De qualquer forma, é curioso de ver cidades inteiras sendo arrasadas. É o fime-catástrofe definitivo.

Pontos negativos de 2012

O diretor Roland Emmerich é fascinado por destruição e já dirigiu filmes como Independence Day, Godzilla e O Dia Depois de Amanhã, que atraíram o público justo por essa proposta de mostrar imagens impossíveis de destruição. O novo filme, 2012, foi propagandeado à exaustão como se aprofundasse sobre a profecia dos Maias sobre o fim da era dos humanos. Só que isso é dito num diálogo perdido por um figurante que você esquece dois segundos depois. Só o que fica sabendo é que o mundo vai acabar, porque a radiação do sol está mais intensa e, como consequência, o núcleo da Terra está esquentando.

Esse fiapo de roteiro serve como desculpa para toda a destruição sem sentido. John Cusack repete o papel de Tom Cruise em Guerra dos Mundos. É pai separado e fica responsável por cuidar dos dois filhos. E é apaixonado pela ex-mulher. Só que, enquanto está desempenhando esse papel, descobre que há mais coisas entre o céu e a Terra do que o Governo nos deixa saber. E ele começa a fazer de tudo para manter a sua família à salvo (exatamente como em Guerra dos Mundos).

Mas o filme também empresta ao personagem de Cusack outra característica de filmes de Tom Cruise. Como em Missão Impossível, Cusak consegue se safar das situações mais perigosas e implausíveis, demonstrando um fôlego e tanto para correr, saltar ou dirigir em meio a prédios desabando. Só que o personagem de Cruise tinha a desculpa de ser um bem treinado agente secreto. E o de Cusack é apenas um escritor fracassado.

Em tempos de Barack Obama, Danny Glover interpreta um presidente negro. Só que é o presidente mais bonzinho de todos os tempos. Um vovô compreensivo que, quando descobre sobre o fim do mundo, abdica de ser levado para um local de segurança. Decide ficar para trás só para contar a verdade para a humanidade o que está acontecendo com o planeta. E ainda que haja terremotos, erupções e tsnumanis por toda a parte, ainda há quem esteja assistindo televisão. Ainda que tudo esteja desmorando, ainda há energia elétrica e telefonia celular. É nesse momento do filme que você começa a ter vontade de vomitar.

É simplesmente impossível se identificar com as emoções falsas apresentadas. Tudo soa clichê. Todo diálogo é banal, mal escrito e piegas ao extremo. A gente fica mais é torcendo para que morra todo mundo (exceto um cachorrinho que, em determinada cena, confesso: fiquei na expectativa para que se salvasse...)

Acho que se o Zé do Caixão dirigisse um filme desse conseguiria fazer algo melhor, mais interessante. Porque a sensação que fica é justamente essa: a de que o filme poderia ter sido bom, mas desperdiçou a chance de sê-lo. E se você não sabe nada sobre a profecia dos Maias sobre o fim da raça humana, tenha a certeza de que não será assistindo a esse filme que vai saber. Esse filme é, sem dúvida, o fim do mundo. E da paciência.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Música do Dia: Everybody's Fool

3 comentários


Evanescence

Todo Mundo é Idiota

Perfeita por natureza
Ícones da auto indulgência
Exatamente o que todos nós precisamos,
Mais mentiras sobre um mundo que

Nunca foi e nunca irá ser
Você não tem vergonha, você não me vê
Você sabe que tem feito todo mundo de idiota

Veja, aí vem ela agora
Curvando-se e com os olhos pensativos
Oh! Como nós a amamos.
sem defeitos quando você está fingindo
Mas agora eu sei que ela

Nunca foi e nunca irá ser
Você não sabe o quanto me traiu
De alguma forma você faz todo mundo de idiota

Sem a máscara
Onde é que você vai se esconder?
Não consegue encontrar a si mesma,
Perdida em suas próprias mentiras

Eu sei a verdade agora
Eu sei quem você é
E eu não te amo mais

Nunca foi e nunca será
Você não sabe o quanto me traiu
Você sabe que fez todo mundo de idiota

Ela nunca foi e nunca será
Você não é real e não pode me salvar
De alguma forma agora você é a tola de todos

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Geleiras polares podem derreter totalmente até 2012

4 comentários


Cientistas da Nasa afirmam que o degelo total da calota polar poderá ocorrer até o verão de 2012, em função do aquecimento global. A previsão anterior para que isso acontecesse era 2050. Reportagem do Jornal Nacional. Confira.

Só lembrando: eis uma coincidência catastrófica, pois a previsão dos Maias é que a humanidade vá para as cucuias em 21 de dezembro de 2012.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Vende-se um estilo de vida. E é isso que a gente compra...

2 comentários

Nunca antes as empresas investiram tanto em propaganda (afinal, elas são a arma do negócio). Prova disso é que as agências de publicidade engordam o mercado e as universidades formam mais e mais profissionais dessa área. Dizem que a propaganda é a alma do negócio. Mas como é um negócio que envolve alma, há muitos empresários que até vendem a sua pro diabo para obter sucesso. Ou, usando uma linguagem de mercado, "investem" sua alma. Assim, o que mais se vê nas propagandas televisivas ou de revistas de grande circulação não são empresas anunciando os seus produtos. São empresas anunciando um estilo de vida. Porque isso é muito mais fácil de comprar, do que o produto que eles querem te vender. Você compra a ilusão e segue comprando sistemáticamente aquele mesmo produto, porque se acostumou com ele, porque também comprou um sonho.

Cada spot de 40 segundos ou páginas coloridas procura encaixar o seu produto no contexto, mas não o centraliza.Ou seja, quando você vê a propaganda de uma família feliz em volta da mesa de um café da manhã, surge lá a margarina Doriana (ou Delícia Cremosa) como um coadjuvante na propaganda. Ela se torna o centro das atenções daquela família feliz, que começa bem o seu dia após passar a margarina num pão quentinho, fazendo-a derreter-se aos pouquinhos e ser saboreada. "Hmmm", sempre diz algum dos personagens. Ali está um estilo de vida. E é isso que faz com que o consumidor opte por aquela determinada marca lá no freezer do supermercado. Mesmo que ela não perceba, foi o desejo de conquistar aquele estilo de vida que determinou a sua escolha. E assim vamos determinando nossas escolhas na hora de comprar ou de desejar tal ou qual produto. Não pelo que oferece, mas pelo que pode proporcionar. Ah, não é assim? Você não concorda? Tá bom. Vamos ao intervalo comercial.

- Um guri de 10 anos está na porta do mercado. Para cada um que passa, ele pede um trocado. Até que confere suas moedinhas e entra no mercado. Compra um pão e um pote de margarina. Passa pelo caixa do supermercado muito contente. Vai para sua casa, num bairro pobre, onde encontra seu pai e sua mãe batendo boca. Ele senta-se na mesa da cozinha, abre o pote de margarina e passa no pão. E come, sorrindo. Ele diz: "Comer margarina é a melhor coisa do meu dia". Encerra a propaganda.

- Um casal chega na loja e escolhe uma bela TV de plasma. Chegam em casa e a colocam no melhor lugar da sala, combinando com a decoração. Assistem um pouco de TV e depois vão dormir. Apagam as luzes. Minutos depois, dois homens aparecem abrindo a janela da casa. Entram. E saem com a TV. Um dos homens volta para pegar o controle remoto. Encerra com a frase: "Semp Toshiba. Não há quem resista a uma televisão dessas".

- Uma mulher aparece belíssima e provocante, vestindo uma lingerie. Se olha no espelho. Caminha, com os cabelos envoaçantes e uma música sensual e vai até o seu homem, que está deitado na cama. Olha para ele e pergunta. "E aí, o que achou da minha Vitória´s Secrets?". O cara olha para ela, abobado. "Está linda". A mulher se atira em seus braços. "Já que gostou, pode tirar", ela diz. Ele responde. "Não precisa. Só arreda para o ladinho...". Encerra a propaganda com a frase: "Victoria Secrets, ele vai fazer questão de vê-la usando".

- Um homem está no hospital, com toda a dificuldade de respirar. Sua família está em volta, aflita. Tem um padre ali na cena também. O homem tira o aparelho de respiração. Ele quer dizer alguma coisa. "O que você quer, meu amor?", pergunta a sua esposa. "Bateu uma vontade de fumar Marlboro". O padre pega uma carteira de cigarro do bolso de sua batina (?) e dá ao homem. Encerra com ele fumando e a frase: "Marlboro. Nem morto você vai querer parar de fumar".

- Aparece um guri pobre, vendendo picolé. Surge um homem num carrão e pára do seu lado. O moleque oferece um picolé. O cara esnoba e segue embora. Os anos passam. O guri não vende mais picolé. ELe é agora um traficante bem sucedido. E vende drogas para o filho do cara que o esnobou lá no começo. Termina entrando com uma maleta de dinheiro numa concessionária para comprar um carrão. E paga à vista. "Sempre quis ter um carro assim", ele diz. Encerra a propaganda. "Mitshubishi: o carro que todo mundo quer."


Você nunca verá propagandas assim. Mas eu pergunto o seguinte: você compraria produtos que fossem divulgados dessa forma? Não? Agora, pense: o problema está no produto anunciado ou no estilo de vida propagado?

Voltar à página inicial.