quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Atividade Paranormal


Que 2012, que nada. O filme do momento chama-se Atividade Paranormal. Trata-se de um filme simples, quase caseiro, mas que se transformou no maior fenômeno do cinema em todos os tempos. Por que? Porque é supersimples e muito eficiente ao proporcionar emoções para a plateia.

Dá para resumir a história do filme em um twitt, de 140 caracteres: "jovem casal investiga fenômenos paranormais na casa onde moram, usando uma câmera. Aos poucos, descobrem coisas terríveis e assustadoras".

Simples assim. Numa época em que o cinema gasta valores absurdos (Avatar, por exemplo, vai custar U$ 500 milhões), Atividade Paranormal custou míseros U$ 11 mil dólares, mas já faturou mais de U$ 100 milhões só nos EUA. Eu assisti o filme duas vezes. Uma com o Sidi que, assim como eu, considerou o filme muito tenso. Na segunda vez, assisti com a Tainã que também se abalou em alguns momentos (especialmente, quando dei a volta na casa e bati na janela só para contribuir com o "clima" de terror. Resultado: ahhhhhhhhhh. Mas essa é outra história...)

Mas voltando à questão do custo de Atividade Paranormal. Como disse antes, A produção gastou U$ 11 mil (R$ 24 mil, para nós). No orçamento do diretor Oren Pali, os gastos foram divididos assim: U$ 500 para cada um dos atores principais, os desconhecidos Micah Sloat e Katie Featherston (que usam os próprios nomes no filme); U$ 3 mil numa câmera Sony; U$ 500 dólares em comida; U$ 400 para comprar dois uniformes policiais e U$ 4 mil em edição, entre outros investimentos, totalizando U$ 11 mil.

Além disso, as filmagens aconteceram na própria casa do diretor (onde ele afirma ter presenciado algumas "coisas", que inspiraram sua história). O filme foi rodado em uma semana, todo na base do improviso. O diretor dizia aos atores a ideia das cenas e eles improvisavam os diálogos, tudo de forma muito natural. Para isso, eles dormiram e conviveram juntos durante uma semana, sempre gravando tudo. O resultado: um filme desenvolvido de forma realista e que tem cenas realmente assustadoras, que quebram essa rotina. E é justamente por isso que a plateia se identifica e se assusta. Vai estrear nos cinemas brasileiros em dezembro. Recomendo muito. Vale a pena.
Confira o trailer:


7 comentários:

Tainã Steinmetz disse...

2º melhor filme que eu vi esse ano!

Anônimo disse...

Deu a volta na casa para fazer barulho? Então assistiu em casa? Baixar filmes é crime

Márcio Brasil disse...

Olá. Eu baixo filmes para assistir, sim. Já disse isso várias vezes abertamente aqui no blog.

Não escondo isso e não poso de bom moço. Baixo filmes, sim. Desse crime, sou culpado. E, aliás, essa é uma prática muito comum.

E, na verdade, conheço muitas pessoas que fazem o mesmo e admitem da mesma forma.

Mais criminoso que baixar um filme ou um álbum musical é a indústria cobrar o absurdo que cobra por um DVD ou CD.

Cristiano Contreiras disse...

Marcio, meu caro.

Andei fuçando este seu espaço aqui TODO...acho que já tem meia hora que estou aqui.

Gostei da diversidade temática dos posts, além da proposta do seu espaço!

Cativou me!

Além disso, tem musica e cinema, isso muito me interessa...gosto e aprecio!

parabéns pela proposta do blog!
sou novo seguidor e gostarei de manter uma troca contigo, informaçoes são sempre valida! abraço

Tainã Steinmetz disse...

Baixar filmes é crime? Nossa! Pelo jeito 85% da população mundial vai pra cadeia então.

Anônimo disse...

Good post and this mail helped me alot in my college assignement. Thanks you on your information.

Anônimo disse...

Easily I agree but I contemplate the brief should have more info then it has.