terça-feira, 18 de agosto de 2009

Conversa de borracho...

Não dá para dar vinho para o meu amigo Chico. Quando ele bebe, solta a língua além do necessário, ultrapassando os limites do bom senso e, pior, deixando mal os amigos.
Foi o que ele fez comigo. Acabou com minha vida.

Vou relatar o ocorrido, voltando um pouco no tempo. Nos anos de 2007 e 2008 (meses de janeiro) consecutivamente, nós e outros amigos (para constar: Alessandro Reiffer, Liziane, Wendel, Paola, Christian, Marcus Vinícius, Gracieli e Alberto Ritter) acampamos na gruta de Nova Esperança do Sul. Até aí, nada demais. Acontece que lá, os homens tomávamos banho em chuveiros de fronte um para o outro. Até aí, nada demais (fora que o Chico muito derrubava o sabonete).

Eram muito legais os nossos acampamentos. Muita diversão, muita risada. Pois bem, o tempo passa. Estamos nos dias atuais.

E lá, num dia qualquer, o Chico está no Posto Esso, junto de outras pessoas. Eu não estava por lá, mas soube de tudo. O Chico estava "mamado" de vinho e começou a ter umas lembranças meio escabrosas do passado. Sua mente foi dando voltas e mais voltas e, eis que num repente, ele se viu lá no acampamento na gruta, mais específicamente, enquanto tomávamos banho. E num instante de sabedoria que só quem tá borracho é capaz de ter, ele me sai com uma frase (que jamais será esquecida para quem ouviu e que rendeu boas risadas...)

- Eu tomei banho com o Márcio lá na gruta. E eu vi ele pelado. E quer saber? Não é por nada, mas eu ganho dele!!!

A Luana, esposa dele, não sabia onde enfiar a cara. Pior eu, que fui difamado. Ainda bem que eu não estava por lá....

Um comentário:

Tainã Steinmetz disse...

Ainda bem q tu não estava lá mesmo, senão era capaz do Chico querer mostrar... hauahauaaha