segunda-feira, 27 de julho de 2009

Visões (invernais) de Santiago

O cusquinho vê a paisagem alva ao seu redor.

Meu pé, quebrando geada de manhã cedo.

A pobre vaquinha, desanimada, percebe que terá de esperar para beber da água congelada.

Um passeio pela paisagem gélida, em busca de pasto.

No domingo passado, 26 de julho, eu tive a coragem de levantar às 6h30 da manhã. (Para mim que geralmente durmo até mais ou menos às 10h todos os dias, é um ato de coragem extrema). Qual o motivo? Fotografar a geada em Santiago, claro. Assim, percorri alguns lugares próximos aos trilhos e registrei algumas imagens. Aqui, deixo um vislumbre para quem estava dormindo. Antes de sair, tomei um capuccino, acompanhado de torradas e ovos fritos (tá, é uma mistura pouco convencional). E depois, saí quebrando geada e respirando o maravilhoso ar abaixo de zero. Fez bem para os meus pulmões e fez bem para o meu coração. Espero que faça bem também para quem ler esse blog.

Dedico esse post para os amigos Nívia Andres, César Dors, Jorge Bittencourt e Giovani Pasini.

Uma visão de um bairro da cidade. Abaixo, os trilhos.


3 comentários:

helo flores disse...

Fotos muito boas, Márcio!
De certeza que valeu a pena o teu "madrugar".
Dá saudade...
Beijão.

Belo trabalho.

Helô

Nivia Andres disse...

Obrigada, Márcio, pelo carinho. As fotos são lindas. A área da antiga Estação Ferroviária me traz belas recordações. Quando éramos crianças (eu e meus irmãos), na época áurea da ferrovia, era nosso ponto preferido para passeios, principalmente ao açude. Até pesquei lá!

Espero que este espaço ganhe vida e gente, muita gente, em breve...

Um grande abraço.

Cristiano Freitas disse...

Que beleza cara! passei minhas férias em Santiago, esperando por esse fenômeno, e não tive essa sorte.
De volta a Goiás, tive a felicidade de ver tuas fotos. Grato por essa pequena lembrança desses "pagos".
Abraços.
Ps. Podes ter certeza de que essas fotos estão armazenadas no meu HD.