quarta-feira, 10 de junho de 2009

Um museu com o nome do Barbela


É isso aí, o lendário santiaguense Antonio Manoel Gomes Palmeiro, o Barbela, vai virar nome de um espaço inédito em nossa região. É que no dia 16 de junho o curso de Letras da URI fará a inauguração do Museu das Comunicações, que levará o nome dele. No espaço há 160 aparelhos de rádio doados pelo Barbela, além de jornais e outros atrativos. No mesmo dia acontece também a abertura da 1ª Mostra de Vídeos e Curtas e abertura da exposição fotográfica "Santiago 360º".
*******
Semana passada, o Barbela chegou na redação do jornal e perguntou se eu havia assistido ao filme “A Troca”. Como não tinha visto, ele fez questão de pagar a locação para mim.

- Vai assistir e depois a gente conversa.

Bom, logo depois que assisti (e gostei do filme) ele veio comentar sobre a história comigo.

Parabenizei-o pela homenagem que o curso de Letras estará lhe prestando. Honraria, aliás, que já existe na família do Barbela, já que o Museu Municipal de Santiago leva o nome de seu pai, o Pedro Palmeiro.

O Barbela passa me inticando que o livro dele, do projeto Santiago do Boqueirão, seus Poetas quem São, foi muito mais vendido que o meu. Ele sempre diz que eu vendi só uns 17. Outro dia, para devolver a provocação, eu disse que tinha conseguido vender mais um, justamente para a esposa do seu Barbela. Ele me retrucou:

- Ela comprou foi de pena, porque ela te quer bem.

Antes de me despedir do amigo, recomendei-lhe que desse um abraço na dona Inês por mim. A resposta do Barbela:

- Ora, se vou estar mandando abraço de macho para a minha esposa!

Foto acima: Eu e Barbela. Crédito da foto: Ânderson Taborda

Um comentário:

Weimar Donini disse...

Outra louvável iniciativa da família Palmeiro. Despreendimento e universalização cultural de seus bens que (imagino)foram colecionados com carinho e atenção. Oxalá continuem bem preservados. É o mínimo com que a comunidade deve retribuir, penso.