sábado, 30 de maio de 2009

Crepúsculo: pior que sopa de alho


Crepúsculo é o filme mais disputado nas locadoras de Santiago, o que reflete o próprio sucesso que a produção fez nos cinemas e repete também o monstruoso sucesso que faz a série de livros no qual é baseado. Além de Crepúsculo, há as continuações: Lua Nova, Eclipse e Amanhecer, ou seja, também vão virar filme.Segundo meu amigo Chico, que trabalha na locadora Stop, todo mundo que está assistindo está adorando o filme.
---
Pois bem. Eu gosto de filmes de vampiros como Entrevista com o Vampiro e Drácula de Bram Stoker, que são obras-primas. E talvez a minha relutância em ver esse novo filme fosse uma espécie de intuição para o que eu estava por ver: o pior filme que já assisti nesse ano, nessa década, nesse século!! Sempre procuro ser generoso ao falar de produções cinematográficas que assisto, mas nesse caso deixo de lado a educação. Crepúsculo é um megalixo.
----
Vejamos: vampiros que andam de dia, mas procuram evitar o sol porque "sua pele brilha como diamante". Vampiros que jogam basquete alegremente, como se estivessem jogando quadribol (vide Harry Potter). Vampiros que frequentam escola. Que cozinham. Que moram em casas de vidro nas montanhas. Vampiros apaixonados. O horror, o horror.
-----
O vampiro do filme, Edward Cullen, explica o tempo todo que ele é um monstro. E que não quer isso para a sua amada, Bella. Só que não se vê em momento algum onde está a monstruosidade de sua existência. Pelo contrário: tudo parece divertido. Ou seja: é um filme que conta a história de um vampiro feliz. A não ser, claro, pelas forçadas "caras-de-mau" que ele faz o tempo inteiro.
-----
Os diálogos do filme Crepúsculo só podem ter sido escritos por uma criança de tão simplórios que são. A impressão que dá é que se está assistindo um episódio de Malhação, de tão bobinho que é o filme. Num momento, Edward diz que precisa ficar longe de Bella. No outro, corre atrás dela só para dizer que é preciso ficarem longe um do outro (vai entender esse vampiro). Os vampiros não querem que as pessoas descubram sobre eles, mas ficam vivendo (estilosos) em meio aos humanos, frequentando aulas, trabalhando. Pifff.
----
Durante vários momentos, suspirei à espera do final, que não chegava nunca e se arrastava e as motivações dos personagens pareciam brincadeira de criança. Tá louco. Perdi duas horas vendo esse filme, mas resisti só para poder dar minha visão sobre ele: péssimo, tolo, sem cérebro, pior que sopa de alho. Não merece jamais ser comparado à obras de Bram Stoker ou de Anne Rice.
-----
Para arrematar: até agora estou sem entender onde é que se encaixa o infeliz título da obra: Crepúsculo. Afinal, trata-se de um filme onde os vampiros passeiam de dia, de noite, a qualquer hora. Juro que não vou rever esse filme e muito menos assistir as continuações.. Se um dia isso acontecer, tenho certeza de que vou acabar fincando uma estaca no meu coração. E se você é fã de Drácula, Nosferatu ou outros clássicos do gênero, faça como os vampiros mais tradicionais: fuja de Crepúsculo como eles fugiam da cruz.

5 comentários:

Diego Neves disse...

O título da obra serve mais para situar a sequência da história toda. E, caso leia o livro, dá pra perceber qual a motivação para isso.

Comprei o livro esses tempos sem saber nem que era a tal "sensação" da literatura.
No fim das contas, gostei do livro. É realmente bem simples quando se trata de linguagem. Mas se tratando de traduções, não dá pra querer falar muito, a não ser que leia-se a obra original. Assisti ao filme em inglês e sem as legendas para ver como realmente era essa parte, e a realidade é um pouco diferente.

Que o filme é uma porcaria, isso eu concordo. Nada fial ao livro.
Mas notei um equívoco na tua crítica.
A intenção não era fazer uma obra sobre vampiros, como o caso do Drácula, Entrevista Com o Vampiro e outros. Era simplesmente uma história de amor adolescente com um temperinho extra.
As características dos "vampiros" da história não passam de adaptações que a autora encontrou para poder tornar possível o tal romance.

É pura fantasia e voltada aos mais jovens e menos exigentes.
Pra mim, o livro, como entretenimento puro, não é ruim, não. Já como obra, como arte, nem se comenta.
Inclusive estou lendo a sequência.

Mas novamente devo dizer que concordo em relação ao filme. Como qualquer produção que tenta reproduzir um livro, é uma decepção.

Márcio Brasil disse...

Dae, Diego. Valeu por teu comentário, o qual apreciei bastante por contribuir com o objetivo deste post que era justamente debater sobre a ruindade do filme Crepúsculo. Não li o livro na qual se baseou a produção, mas alguns amigos leram e garantem que, assim como tu, se trata de uma obra que agrada. É comum a transposição de livros para o cinema e são diversos os casos em que o resultado final desagrada ao público-leitor, como é o caso de Código Da Vinci, que é um livro bastante engenhoso e que prende a atenção, mas que na versão cinematográfica parece pueril e discursivo demais. Há tantos casos de obras bem acabadas como O Senhor dos Anéis, Harry Potter, O Leitor e outras tantas.

De qualquer sorte, valeu o debate. Fui assistir esse filme (Crepúsculo) levando as minhas referências vampirescas e frustrei minhas expectativas. O último filme que assisti dentro dessa temática foi 30 Dias de Noite, que é muito bom

Um forte abraço para ti e obrigado por manifestar tua opinião!

Jaqueline Minuzzi disse...

oi Márcio!
estava lendo tua postagem sobre o filme Crepúsculo... as gatinhas d eplantão nao ficariam satisfeitas com sua crítica, pois elas acgham aquele romance o máximo, rsrsrsrs
Eu assisti ao filme, confesso que esperava bem mais, quem assistiu aos filmes tradicionais de vampiros como o que citas no blog de fato se decepciona, por outro lado, gostei da parte do romance, achei puro.
Pelo menos seviu para eu pegar para ver de novo o Drácula de Bram Stokler.
beijos amigao

Christian disse...

Concordo com o colocado


Adoro filmes de vampiro, infelizmente sou muito exigente e é raro gostar de algum de verdade. Minhas referências para bons filmes de vampiro são "Entrevista com o Vampiro" e "30 dias de noite" (excelente).

Gosto também do romance e não acho que seja impossivel fazer uma boa história de romance ente vampiro e humano (veja True Blood na HBO). O problema de crepúsculo é que a estória é ruim mesmo, ruim demais !!!!!!

E aquela história de não poderem sair no sol porque a pele brilha foi a gota dágua, deste ponto em diante minhas expectativas de que o filme pudesse melhorar acabaram.

Agora vamos esperar o Daybreakers, esse sim parece bom. Pois não vou gastar dinheiro vendo a sequencia de crepúsculo ... só adolescente para aguentar esse filme ...rs

Andrei disse...

tipo, eu gostei e muito do filme.

Pra começar, vampiros nem existem e sendo assim ninguém pode afirmar que eles morrem à luz do sol, ou que naum estudam, e blá blá blá...

Se você for ver o filme pensando nessas bobagens que "a tradição" impõe sobre vampiros e outros seres, eh claro que você naum vai gostar. Mas se você for analisar o romance em si, a história que o filme e que os livros querem nos passar, você se emociona e eh como se entrasse na história. Então é por isso que eu gostei e muito do filme e da hitória, porque como eu já disse, vampiros naum existem e ninguém sabe sobre eles.

E eu achei a Kristen (Bella) e o Robert Pattinson muito bons no filme. São bem talentosos e eu to loko pra ver os seguintes. Embora eu jah saiba oq vai acontecer eu quero e muito ver.