segunda-feira, 13 de abril de 2009

Pareça inteligente: cite grandes pensadores em seus textos


Você escreve, escreve e escreve e as pessoas não conseguem prestar atenção no que está dizendo? Então, seus problemas acabaram!!! O método "Escritor Intelijente Tabajara", aprovado pelo seu Creysson, propõe o seguinte: que, sempre que você for escrever qualquer coisa e queira se destacar, basta citar algum escritor que morreu, no mínimo, 100 anos antes de você ganhar a corrida dos espermas (quando mais antigo, melhor. Significa que você lê livros empoeirados, dá mais respeitabilidade). Então, em qualquer texto que você for escrever, deve citar uma frase de algum grande pensador, com o propósito de fortalecer uma ideia que você mesmo esteja defendendo e lhe falte argumentos.

Pedrinho precisava fazer uma redação para passar de ano. E ele sempre foi péssimo em redações. Depois de conhecer o método "Escritor Intelijente Tabajara", ele conseguiu passar de ano. Veja um trecho da redação de Pedrinho.

"Estou aprendendo a tocar violão, porque um dia quero ser artista para poder ser admirado e pegar as mulheres. Pois, como dizia Nietzsche, "sem a música a vida seria um erro"...

Adivinhe? Pedrinho tirou 10, só porque usou de uma frase de Nietzsche. Eis uma lista dos dez escritores mais citados por quem gosta de parecer inteligente:

Jean-Paul Sartre
Friedrich Nietzsche
Arthur Rimbaud
Charles Darwin
Arthur Schopenhauer
Nicolau Copérnico
Platão
Karl Marx
Oscar Wilde
Dostoiévski

É bem fácil. É só pegar um frase qualquer aí, digitando no Google e enxertá-la no seu texto. A isso, você também pode somar umas palavrinhas difíceis ou dar dicas de Português ou de livros, citando os mais balados ou obscuros da lista dos 10 mais da Veja. Não precisa ler o livro, é só ler a resenha ou copiar de algum crítico. Em seguida, baixe a lenha nos escritores novos e os classifique como qualquer coisa de medíocre, colocando-se na condição de crítico. Quem se coloca na condição de crítico, já está se posicionando acima de quem está criticando, isentando-se de provar a sua intelectualidade, atestada por um grande pensador que tenha sido citado. Desta forma, fica sempre aquela dúvida. "Será que esse loko leu esses caras aí"? Na dúvida, tá ganha a parada. E você sai vitorioso, parecendo inteligente e vai que até fatura algumas fãs. Não tem problema que tu esteja escrevendo um texto para falar bem da Coca-Cola e use alguma frase de Marx para avalizar o que você está dizendo e nem que cite autores cujas obras sejam antagônicas entre si. Quanto mais gente citar, mais inteligente vai parecer.
-----
Esqueça o que escrevi acima. É ironia e deboche. É que está cada vez mais na moda o hábito de se encomendar trabalhos universitários ou citar pensadores para fazer bonito. Na boa, meu conhecimento sobre os pensadores acima, limita-se a frases soltas aqui e ali, com exceção de Oscar Wilde, que li "O Retrato de Dorian Gray". E evito citar alguém, como forma de disfarçar minhas limitações. Desta forma, se cometo erros, procuro não levar ninguém comigo. Deixa os caras quietos...

6 comentários:

Anônimo disse...

não publica isso. é a segunda vez que escreves excessão com dois ss. o correto é exceção com ç

Márcio Brasil disse...

Publiquei. E agradeço ao leitor por ter apontado esse meu erro. Já corrigi. Um forte abraço e obrigado pela dica! Não tinha me dado conta.

Celso Domiciano disse...

Esperto em? Gostei da jogada porém ainda aconselho aprofundar as leituras dos velhos pois no fim eles sempe tem razão. abr.

Marília L. Paixão disse...

Você pegou pesado mas que ficou engraçado o texto ficou. Vivendo e aprendendo! Parabéns!

Malu disse...

AH, Marcio, nunca parecerei inteligete, só sei escrever o que sinto. Abraços/oa tarde

Anônimo disse...

Resumindo você quis dizer assim como Nietzsche... "Torna - te o que és?!" Hahahaha...

Ana Lua