quarta-feira, 25 de março de 2009

Reflexões sem nexo

A vida é breve. É um flashzinho. É o tempo de abrir os olhos ao nascer e fechar ao morrer. Só que, em meio a isso a inúmeros momentos que podem ser ou aproveitados ou desperdiçados, depende de cada um. Mas é certo que, ao final de tudo, fica aquela sensação de brevidade. Penso que a mesma que eu sinto hoje olhando para trás. Está sendo tudo muito rápido. Portanto, acredito que não há tempo a perder com coisas vãs, pequenas, feridinhas. Não guardo mágoa de nada e não me preocupo se fulano é ou não meu amigo, se fala mal de mim ou não, se deixa de ser meu amigo ou não, pouco importa. A natureza de cada um, é de cada um.

Acho que esperar que os outros tenham pela gente a mesma consideração que temos para com os outros, é se preocupar com algo impossível de ser dimensionado. “Olha, eu te admiro, eu te gosto, eu te amo”. Ok, mas como demonstrar isso? Com palavras? Palavras podem ser articuladas, manipuladas, proferidas. Os atos (mesmo quando pensamos que ninguém está vendo) é que constroem o que somos. Ninguém é um anjo e ninguém é um demônio. Cada um carrega o céu e o inferno dentro de si. É tudo uma questão de escolha de cada um. A consciência é de cada um e é ela que nos julga na mesma medida em que somos julgadores.

Não sou perfeito. Em verdade, tenho incontáveis defeitos e problemas e ninguém tem culpa disso. E ninguém merece ser culpado por isso. Tem coisas que me arrependo? É claro que tem. Mas também não posso culpar os outros por isso ou ignorar o peso de minhas decisões. Vou arcar com as consequências. A vida é uma só e se há tempo de consertar alguma coisa, mãos à obra. Ficar patinando em volta do próprio cuspe é ridículo. Ficar nadando em autopiedadade não leva a nada.

Ficar se preocupando com a vida alheia, com coisinhas disso e daquilo é admitir a insignificância da própria vida, onde aquilo que o outro transpira se torna mais importante do que o nosso suor. Posso atravessar a minha existência sem ser nada, mas espero sinceramente que Deus (ou qualquer outra energia superior) não deixe que eu me torne uma pedra no caminho dos outros. Senão, minha existência terá sido tempo perdido para mim mesmo. E no fim ninguém engana a sua própria natureza.

Nenhum comentário: