quarta-feira, 4 de março de 2009

Quem quer ser milionário?


Sou fã do diretor Danny Boyle. O engraçado é que eu só fui perceber isso um pouco antes de assistir ao seu mais recente filme, o premiadíssimo "Quem Quer Ser Milionário"? E não afirmo isso simplesmente porque esse diretor inglês está na moda depois de ganhado oito oscar (inclusive o de melhor diretor). Afinal, assisti quase todos os filmes que ele dirigiu, que foram Cova Rasa, Trainspotting, Por uma Vida Menos Ordinária, A Praia, Extermínio e Sunshine-Alerta Solar (uma ficção científica existencial e que faz um alerta ambiental) e esse último. A excessão foi "Caiu do Céu", que não foi comprado por nenhuma videolocadora de Santiago. Uma pena. Mas Danny Boyle é daqueles diretores que fogem do óbvio e conduzem o espectador num desafio narrativo. Em Trainspotting, ele mostrava quatro jovens sem perspectivas mergulhando no submundo para manter seu vício pela heroína. Foi nesse filme que ele apresentou a clássica cena de Ewan McGregor, , (que ele dirigiu em três filmes) mergulhando dentro de um vaso sanitário imundo para recuperar uma pílula. (cena abaixo)


Já em Extermínio, quer cena mais impactante do que aquela quando Cyllian Murphy desperta de um coma de 28 dias e vaga por uma Londres com as ruas completamente vazias e descobre, logo depois, que a população foi contaminada por um terrível vírus que os transformou em zumbis?

Pois bem: o desafio de Boyle em "Quem Quer Ser Milionário?" foi criar uma história de amor onde os dois personagens não trocam um beijo sequer. Uma história de miséria e superação ambientada na Índia (por favor, nada de comparar com as ridículas novelas da Globo) e que emociona a cada segundo. A história, como outras contadas por Boyle é simples: Um jovem que serve chá participa do programa de TV chamado "Quem Quer Ser um Milionário?". E surpreende o público (e revolta os produtores do programa) ao ter a capacidade de responder cada uma das perguntas que o levam a um prêmio nunca antes conquistado por ninguém. Ainda mais por um favelado e sem estudos. As respostas de cada pergunta encontram-se no passado de Jamal Malik, que concorre a 20 milhões de rúpias, um prêmio que não desperta a cobiça do jovem, que só quer chamar a atenção de sua amada que é fã do programa e de quem perdeu o contato.

Assim, o filme mostra passado e presente e ficamos durante 120 minutos ansiando pelo futuro do jovem indiano ao lado de sua amada, de quem foi separado pelo próprio irmão. Em alguns momentos, o filme usa de uma estética "Cidade de Deus", seja pelas tomadas de câmera, seja pela história dos dois irmãos, sendo que um, Jamal, demonstra uma doçura que contrasta com a vida amarga. O outro é Salim, que descobre que para sobreviver (e às vezes até proteger seu irmão) precisa tomar ásperas decisões. Sofrimento não falta na vida de ambos, que perdem a sua mãe durante um ataque aos muçulmanos e se vêem jogados à própria sorte e marginalizados.

"Quem Quer Ser Milionário?" é um filme raro e encantador e que vale cada segundo. A certa altura do filme, Latika, a amada proibida de Jamal, tenta dissuadi-lo a desistir do amor que eles sentem um pelo outro, sabendo que a vida de ambos seria difícil num mundo dominado pelo poder e o fascínio do dinheiro.
- De que vamos viver, Jamal?- Ela pergunta.
- De amor...
Ele responde com toda a sua sinceridade. E, apesar de Latika não acreditar no que ele diz, o público acredita. E torce por um final feliz.

Nenhum comentário: