quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Em resposta ao Leonardo Rosado: Eu acho que a cultura do Carnaval é bonita, sim. Acho que os desfiles das escolas de samba são primorosos, a pesquisa histórica é louvável e o espírito de alegria verdadeira algo admirável. Nesse aspecto, considero o Carnaval, sim, um grande evento cultural, admirado por poucos que sabem respeitar as coisas dessa forma pacífica e ordeira. Uma minoria. Pois, paremos por aqui.

Porque, não venham me dizer que "cultura de carnaval" era aquela bagunça reinante que existia pelas ruas de Santiago, onde a bebedeira estava espalhada, onde a droga corria solta entre essa juventude e as ocorrências policiais se multiplicavam e o desrespeito era reinante. Todos sabem disso e é pura hipocrisia ficar falando essas coisas de "cultural de carnaval" para justificar a degeneração humana, como se fosse arte.

A "cultura de carnaval" que tínhamos era a prostituição que ocorria dentro dos blocos "carnavalescos". Eram os menores sendo corrompidos. Era o "movimento no comércio" resultante da venda de bebidas, ensejando o alcoolismo. Eram os crimes que ocorriam. Era a droga que era vendida. Eram os filhos que eram concebidos, aos olhos de todos. É esse tipo de cidade que querem? É esse tipo de cultura que se referem? Perguntem para a Marisa Minussi que era conselheira tutelar nos tempos em que existiam blocos de Carnaval em cada esquina da cidade. Perguntem para o promotor Luiz Antônio Barbará Dias quais os motivos que o levaram a tomar ações incisivas contra o que ocorria por aqui. Houve uma morte num bloco de Carnaval próximo a Gaúcha, eu não sei se vocês lembram disso!!

Vocês querem isso de volta para a cidade? É essa a cultura que tanto querem? Então, meus amigos, abracem até com as pernas. Cada um faz a sua escolha. Não escondo que gosto da tranquilidade que temos visto nos últimos anos. É a minha posição e, vamos falar a verdade, grande porcaria o que eu penso ou deixo de pensar.

Todos que acessam blogs em busca de fofocas disso ou daquilo são uns grande idiotas, que ficam se importando com bobagens, com uma linhazinha que é dita aqui ou ali. Sinceramente. Eu escrevo em blogs há muito tempo e faço isso para me divertir, para dizer um pouco do que eu penso, para praticar a escrita, para me desenvolver, para me comunicar. Só que os blogs aqui tem virado uma guerra imbecil e inútil, um joguinho bobo.

A esses que querem destruir, eu queria ver primeiro construir algo. Por mim, podem me chamar até de veado que não estou me importando. Eu tenho nojo é da falsidade reinante que existe por aí.

Sou contra o Carnaval? Não, não sou. Sou contra a degeneração moral e a violência?? Sempre e sempre e sempre. Todo mundo que sai para a estrada deve saber que, naquele dia, milhares, milhões também estão saindo para a estrada e alguém não vai voltar. Porque vai morrer esmagado ou carbonizado.

Portanto, assumir qualquer coisa, tomar qualquer rumo é correr riscos. Querem o Carnaval de volta? Ótimo. Trabalhem por isso, empenhem seus esforços. É bonito. É cultura. Mas tem outras coisas no pacote, não esqueçam disso. Depois, não venham com cinismos "culturais".

2 comentários:

Anônimo disse...

Bicho véio, vou corrigir a informação, acho que não fui bem interpretado. A idéia não era essa. Agora entendi melhor então a sua posição. Valeu!

Abraço,

Leonardo Rosado.

Mario Câmara disse...

Nossa .. ficou nervoso o rapaz!
O que você pensa ou deixa de pensar, infelizmente, não é uma grande porcaria em razão do papel que você ocupa na nossa sociedade: formador de opinião.
E, é bom que você saiba, que algumas opiniões ficam mais interessantes se guardadas em foro íntimo. Lembra, imparcialidade é próprio de sua profissão.