terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Carnaval de Santiago

Santiago vive o Carnaval dos meus sonhos. Nada de blocos fazendo bagunça pela madrugada. Nada de bebedeiras pela madrugada. Nada de playzinhos passeando de carro jogando garrafas de cerveja pela janela. Nada de lixeiras transformadas em churrasqueiras. Nada de menores se prostituindo aos olhos de todo mundo, desafiando a nossa inércia de não fazer nada. Nada de gente dormindo pelas calçadas. Nada de vômitos pelas calçadas. Nada de sangue pelas calçadas. A cidade está uma tranquilidade e tanto. Nem na Páscoa (período que os "antigos" tiravam para reflexões) tem tanta tranquilidade aí na cidade (até porque inventam as tais boates de Páscoa: eba, vamos celebrar a crucificação de Jesus). Vai aí, então, a minha sugestão para o Carnaval de Santiago: por favor, deixem tudo como está. O Carnaval está ótimo.

4 comentários:

pedro disse...

é cada um com sua opinião, mas pergunte aos comerciantes se gostam desta calma, ou se eles prefeririam umas 15 mil pessoas gastando em hoteis, restaurantes, farmacias, etc...
organização e responsabilidade sim, ruas vazias e desertas vc pode ter certeza poucas gente quer.

Rui César disse...

olha, Márcio. Eu concordo mesmo contigo pois não dá para aturar a bagunça reinante do carnaval, porque as pessoas não sabem ter liberdade e essa estória de gastar com comércio é relativa, porque é melhor "pagar" para ter paz de espírito do que bagunças e violencias pelas ruas com os filhinhos de papai nos seus carros e som alto e os marginaledo fazendo a festa. abrações

Anônimo disse...

ruas vazias, calmaria, melhor morar em itacurubi....hehehehe
santiago precisa crescer e com isso vem junto barulho, festas...

Mario Câmara disse...

É isso aí ... opinião muito bem embasada, própria daqueles que só conseguem enxergar o próprio umbigo, sem visão do todo.
Sua retórica faz-me agradecer a Deus por você não ter optado por ser médico, pois se o fosse, levado pela mesma linha de raciocínio, extirparia o malefício de um moribundo dando-lhe o golpe fatal. Pronto, fecha-se o caixão, problema resolvido, menos mau sem carnaval.
Meu caro amigo, os senões do carnaval, tais como: baderna, excessos e outros se resolve com fiscalização, educação e, se for o caso, punição.
Tudo bem, pensamentos tacanhos levam a realizações tacanhas. Diferentemente de Santiago, lendo a Zero Hora de Domingo, vemos Uruguaiana a todo vapor fazendo a cidade acontecer. Não indo tão longe, vemos Jaguari, Manoel Viana e Jacaquá ganhando alguns tostões dos Santiaguenses que não são "doentes do pé".
Em contrapartida, como se já não bastasse os tempos de crise, desabastecemos o nosso comércio formal e informal. Pergunte ao vendedor de cachorro quente da praça o que ele achou do carnaval. Ou, para poupar-lhe o trabalho, consulte a tiragem do Jornal Expresso no feriado.
Carnaval em Santiago, é isso aí: sonho para uns e pesadelo para outros.
Pra frente Santiago!!!