quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Quando surge o caos...


O que nos torna elegantes, finos, requintados, educados, racionais? O quão tênues podem ser as amarras que nos prendem à civilidade? O ser humano, nada mais que um mero animal equivocadamente chamado de homem, está sujeito às intempéries e cada vez mais dependente das comodidades proporcionadas por uma vida moderna. Hoje, acessamos os nossos e-mails em nossos notebooks, ipods ou moderníssimos celulares. Viajamos de metrô, em carro próprio, usamos fornos de microondas, televisões de plasma, home theathers, câmeras digitais. Ok, mas isso é tecnologia de ponta, adaptações do hoje e ainda é possível não depender tanto disso. Mas e o que dizer de não ter um fogão à gás, uma geladeira, um chuveiro elétrico ou, simplesmente, água encanada? Ou isqueiros, fósforos? Ou uma cama? Ou um banheiro? Ou, ainda, uma panela? O homem moderno cria cada vez mais aparatos para melhorar a sua qualidade de vida, adaptando a sua sobrevivência a esses instrumentos. No entanto, quão tênue pode ser a nossa civilidade? Desprovido disso tudo, o que surge? Desprovido de um teto sobre a sua cabeça ou meias secas ou bife empanado ou água mineral ou mesmo um calçado, que tipo de ser humano surge? Um homem ou algo mais próximo a um animal, que obedece a lei do estômago?É esta a análise feita no filme "Náufrago", estrelado por Tom Hanks que, numa ilha deserta, reaprende a viver.

Longe da ficção, os moradores de Itajaí, no litoral norte de Santa Catarina, descobrem que o homem, tão senhor do mundo, culto e intelecto, pode ter sua estrutura física, moral e psíquica abalada pelas intempéries (de qualquer tipo). A cidade foi tomada por uma grande enchente que desalojou milhares e implantou o caos na cidade. Lojas, supermercados e residências estão sendo saqueados pelos próprios moradores, que há uma semana viviam a ilusão da civilidade e do requinte. Agora, a lei é o caos, é a desordem. Cidadãos, antes tão normais, tornam-se saqueadores de vitrines e de gôndolas. Está acontecendo lá, em Santa Catarina, mas poderia ter sido em Santiago, Santa Maria ou qualquer outra cidade do mundo, sob quaisquer condições, onde a gravata e o chinelo de dedos teriam a mesma importância.

No filme "Batman: O Cavaleiro das Trevas" (que deverá concorrer ao Oscar de Melhor Filme), há uma cena em que o Coringa desafia a população: se um homem não for assassinado em 16 minutos, ele irá explodir um hospital, o que gera um caos entre as pessoas que têm seus familiares naquele local. Em outro momento, desafia a sanidade de dois grandes grupos de pessoas que precisam escolher entre a sua vida e a morte do outro. Tudo para provar a sua teoria de que, para ser louco, basta um empurrãozinho. E até mesmo o mais equilbrado dos seres é capaz de mostrar o seu lado oculto, quando desprovido de sua civilidade. Ele próprio, o vilão, se declara um agente do caos, a descerrar as máscaras sociais.

Os protocolos, as finesses, as mesuras, as cortesias, enfim são meramente ilusões criadas pelo homem moderno para tornar mais pacífica a sua convivência em meio às tribos urbanas. Mas a natureza cíclica revela a verdadeira natureza psíquica do ser humano: um animal, equivocadamente chamado de homem.

4 comentários:

MisterBoris disse...

BELEZA ,VALEU!!PARABÉNS!!

Débora Souza disse...

Parabéns!!

Sarah Simon disse...

Márcio, gostei de ler tuas idéias, sempre penso nisso, no que se esconde abaixo do verniz de cultura e condicionamentos sociais. Todo mundo tem um lado obscuro q só se revela em determinadas situações, é fácil ser educado e certinho qdo se almoça todos os dias. Acho que desde os tempos das cavernas, e nós descendemos deles todos, mudamos muito pouco, só avançou mesmo a tecnologia. É meio cínico pensar assim, mas as evidências estão aí a toda hora no planeta inteiro. Um abraço! E um sorriso!

Fada Sininho disse...

moro no nordeste do Brasil, onde alguns ainda teimam em dizer é norte!, Morei em Bh, conheço boa parte do pais, menos o sul, o qual sempre disse na brincadeira que nao é Brasil... e lendo o q escreveu vejo um pouquinho do que existe aqui diariamente e ja virou "normalidade" uma vez que ninguem se digna a pedir ajuda aos necessitados ou tem minimas condiçoes de rever o proprio voto... vc me mostrou que além de muito inteligente é sensivel ás questões humanas tao relevantes nos tempos atuais... sem esquecer que o que é civilidade pra uns é animalesco pra outros... parabens, eu adorei!!