sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Feliz aniversário, Paola!


O Wendel quase estragou com tudo. Fazia uma semana que havíamos combinado de fazer uma festa-surpresa para a Paola. A idéia tinha sido da Tainã e na festa do Chico resolvemos planejar o que fazer e distribuir as tarefas. Tudo para que, quinta-feira, 11 de setembro, a Paola fosse surpreendida e tivesse realizado esse sonho. Os amigos organizariam tudo e ao Wendel sobraria, simplesmente, a tarefa de chegar em casa mais cedo, enquanto a Paola estaria fora (cortesia da Rita, que iria levar a filha para passear, enquanto enchiamos os balões e levámos a comida para o apartamento dela). Pois bem, os frios estavam encomendados, a torta estava comprada e os convidados estavam avisados. Estava tudo certo. O que poderia dar errado? O Wendel poderia estar com uma infecção intestinal e deixar a chave com a Paola. Ahhh, que droga!!! A Tainã queria matar o Wendel. Eu, mais delicado, só queria pisar no pescoço dele. Já o Chico queria puxar os cabelos dele. Mas, tudo bem. Cabeça foi feita para pensar. Apesar da Rita ter tirado a Paola de casa, ela queria voltar a todo custo, sabendo que o Wendel estava sem a chave, quase estragando tudo. Aí, restou ao Chico inventar uma história. Foi até a Paola e insistiu para que fossem até a casa dele para pegar as cadeiras da avó da Paola que estavam lá. O Chico inventou que o pai dele estava de cara e não queria saber mais daquelas cadeiras por lá. A Paola ainda tentou convencer o Chico de deixar as cadeiras para outro dia porque, poxa, era o aniversário dela. Ele não deu bola. “Ah, é teu aniversário. Legal. Parabéns. Mas eu não estaria insistindo se a coisa não fosse séria. O pai não quer aquelas cadeiras por lá. Diz que estão estorvando”. E assim, a Paola que tem um enorme coração e não sabe dizer não, aceitou carregar cadeiras às 9h da noite no dia do seu aniversário. Pobrezinha. Mas enquanto isso, eu a Tainã, o Gledson, Raysson, Maurício e Felipe corríamos para o AP da Paola.
A Rita estava lá embaixo nos esperando com a chave, já que a Paola tinha deixado ela de guardiã, caso o Wendel chegasse. Subimos e organizamos as coisas, enchemos balões, estouramos balões, comemos um pouco, rimos. Até que o Chico trouxe a Paola de volta. Pobrezinha, naquele dia ninguém dos amigos tinha lhe parabenizado ou lembrado de seu aniversário. Até que ela chegou até a porta e nós a surpreendemos com o parabéns a você, línguas de sogra, balões de coração e vela para soprar. A Paola ficou com o sorriso mais sincero que eu vi nos últimos tempos. Nossa correria durou uma semana. Nossa aflição durou uma hora. Mas a emoção da Paola vai durar a vida inteira. Não é preciso muita coisa para fazer uma pessoa feliz.

2 comentários:

Oraculo disse...

Obrigado pela visita ao meu blog Marcio, volte sim, está desde ja convidade, e se puder, vamos trocar o favor de colocar nossos links nos blog, me adiciona no seu que colocarei um link no meu, ok.

Cinema de HD estará sempre a disposição dos parceiros...

Obrigado e boa sorte.

melia kindler disse...

Adorei o visual novo XD Ficou lindo!

A Paola merecia ^^
E ainda bem q deu tudo certo =D

Bjoo