segunda-feira, 15 de setembro de 2008

O meu amor por ti...

... O meu amor por ti é mudo. Fica em silêncio, nada diz. É um grito sufocado, que incendeia minhas cordas vocais e faz crescer um câncer em minha garganta. São milhões de palavras que poderiam ser ditas, mas extraviam-se, desviam-se, transmutam-se, convertem-se. É uma implosão de sons e sensações, um big ben ao contrário. Uma anulação total. São milhões de palavras que calam e nada falam.
O meu amor por ti é cego. Não percebe defeitos, não inventa conceitos, não teoriza, não fantasia. Meu amor por ti enxerga além da visão, com os olhos do coração. Meu amor por ti só enxerga a ti. Ele tateia na escuridão, lê em braile, se orienta pelo deslocamento do ar por onde caminha, se guia por tua voz, por teu cheiro, pelo ritmo de teus passos rápidos, segue-te por instinto. Te vê ao longe. Morde os lábios.
Meu amor por ti surgiu junto com aquele friozinho na barriga quando te viu pela primeira vez. E esse friozinho sempre volta cada vez que te vê. Sempre e sempre e sempre.
Meu amor por ti é estúpido e inconseqüente. Meu amor por ti te vê invadir meus sonhos. Vem e vai. Sai e chega. Teu abraço não é de verdade, devaneio, ectoplasma, minha mente me sacaneando. Meu amor por ti são meus pulsos sangrando, gilete na veia, visão turva. Sacrifício fatal.
Meu amor por ti é saudade, sonho, desejo, beijo na boca. Meu amor por ti é contar as estrelas do céu mais estrelado. É piquenique à beira de uma cachoeira. Olha o arco-íris (e seu sorriso no final dele, as sete cores da tua íris). Meu amor por ti é um abraço apertado, não querer dizer adeus. É estar só no meio de tantos e ser tão só. É uma casa vazia, sons no chão. Noite fria. Noite quente. Meu amor por ti é o medo de te querer e de te perder (ninguém perde ninguém, seu tolo. Ninguém pertence a ninguém). Meu amor por ti é um prisioneiro, acorrentado nos porões dos medos mais imbecis que cristalizei. E é também livre como um cavalo selvagem. Sagitariano.
Meu amor por ti é aceitação e negação, total piração. Ele também é infantil, maçã do amor, mãozinhas dadas, bilhetinhos e tolices românticas. Meu amor por ti me faz forte e é a minha maior fraqueza. Meu amor por ti é bobo e me faz rir à toa e assoviar "eu sei que vou te amar". Ah, que raiva de confessar.
Meu amor por ti é infinito, vai além da carne e dos ossos, muito além dos suspiros, dos abraços, de um beijo roubado. Meu amor por ti supera a superfície, foge de mim, não cabe em si, alcança os céus, viaja pelas estrelas, toma carona pela via-láctea, explode com uma supernova, descobre outros mundos, ganha a imensidão. Meu amor por ti é insuportável, é dolorido. Meu amor por ti é fome e sede de ti. Meu amor é uma fênix, morre e ressurge mil vezes a cada vida. Meu amor por ti é assim, é tudo o que falo, vejo, penso, sinto, ouço, beijo, abraço. Meu amor por ti é um texto sem começo, devaneio, é sem fim...

2 comentários:

melia kindler disse...

Que lindo esse texto *-*

Lígia Rosso disse...

Márcio!!
Me emocionei lendo esse texto tão lindo, lindo mesmo que tu escreveu. Puxa vida...que ótimo te ver escrevendo sobre amor novamente. Eu romântica incurável como sou, me emocionei demais com tuas palavras. É...prefiro ser essa louca que ainda acredita em amor verdadeiro, embora esteja pagando o preço da solidão. Um beijo e vê se dá um sinal de vida, tô com saudades de ti!!!!