segunda-feira, 7 de julho de 2008

Juno e Luana


Estive meio açucarado nos últimos dias, e procurei assistir a alguns bons filmes (e esquecer do amargor do cotidiano. Eheheh). Em especial, Juno, que conta a história de uma garota de 16 anos que engravida e tem de lidar com a questão. O filme é leve, divertido e tem uma boa atuação do elenco, em especial, da Ellen Page, que faz a personagem-título. Já tinha assistido dois filmes com ela antes (X-Men: o Confronto Final e Menina Má.Com) e neste, ela se supera, demonstrando que foi bem merecida a sua indicação ao Oscar de Melhor Atriz que ela teve neste ano. Adorei a trilha sonora do filme (tanto que fiz o download. Yes, viva a liberação cultural via internet), que inclui belas canções de The Moldy Peaches, Mott The Hoople e- uau- Kimya Dawson. Outro filme que assisti foi PS: Eu te amo, com a Hilary Swank, que a cada filme confirma o seu talento, merecedor de dois Oscars de Melhor Atriz. O filme tem um quê de clichê na história de uma mulher que, após a morte de seu marido, misteriosamente recebe cartas dele, motivando-a a viver e ser feliz. Mas o filme é tão simpático e a presença de Hilary, aliada ao carisma de Gerard Butler (que interpreta o seu marido) contagia e deixa o espectador com uma ótima impressão. Tenho certeza de que na lista de muitas pessoas, o filme entrará como um dos favoritos, talvez - e felizmente, desbacando aquele clichezão sem sal chamado "Um amor para recordar", que assisti esses tempos e puá, detestei.

No domingo, aproveitei para passar várias horas ao lado de meu amigo Chico, que é sempre um porto-seguro para as minhas aflições. Grande amigo, que está faceiro (para usar uma palavra que minha avó diz) com o filho que terá com a Luana. A criança deve nascer em setembro e o Chico está todo bobo. Ontem, ele a Luana me mostraram os enxovais que tem comprado e ganhado, além de um pequeno estoque de fraldas, que já divide espaço no armário do Chico, ao lado de sua coleção da revista Set. Veja só: os dois amores da vida do Chico dividindo espaço: o cinema e o futuro filho (a). Mas tenho a impressão de que, em breve, as fraldas vão acabar ocupando um espaço maior, ainda mais, se depender da Paola e da Tainã que estarão promovendo um chá de fraldas para a Luana para os próximos dias. Interessante de ver isso, as pessoas se preparando para receber alguém que está por vir. O olhar da Luana, a namorada/noiva/esposa do Chico era algo fantástico de se ver. A Luana e o Chico também assistiram ao filme "Juno". Mas a Luana não gostou, porque a personagem principal trata o filho em seu ventre como "coisa" e tem algumas atitudes que ela desaprovou. Mas como eu não tô grávido e nem o Chico, nós adoramos o filme.

Eu, afinal, precisava me amansar um pouco, afinal, estive um tanto "contestatório" nos últimos dias e, afinal, isso não me apraz. Acho que sou meio pesado quando faço críticas, não sou muito meio termo, e considero um equívoco em ser tão contudente. Se bem que o contrário também é verdadeiro, pois quando elogio alguém, o faço em demasia. Quantos e tantos amigos me derreti em elogios e, mais tarde, verifiquei que não era para tanto. Enfim, deixe para lá. Estive estudando um pouco mais sobre o Partido Verde que, afinal, é um sigla que defende ideais humanitários e é extremamente engajada pela preservação do Meio Ambiente e também pelo respeito humano. Nos tempos em que vivemos, não existe luta mais justa e mais digna do que essa.

No domingo, o Chico me acompanhou ainda no meu trajeto. Fomos visitar duas pessoas maravilhosas. Primeiro, a Augusta, com que tivemos a satisfação de bater um bom papo e tomar um chimarrão amigo. Ela estava toda empolgada me contando sobre uma reportagem que leu na Superinteressante a respeito de Mensagens Subliminares e aí se aprofundou um pouco no assunto. Em seguida, a Bruna me contou que em filmes da Disney como o "Rei Leão" e a "Pequena Sereia" há várias mensagens sexuais, inclusive. Nunca tinha lido nada sobre isso, mas diante da pesquisa feita na Wipedia e em vários web sites que elas tinham impresso, pude ler alguma coisa e fiquei surpreso. Mas é bem possível que seja real. A Bruna ainda apontou para algumas características de alguns filmes antigos da Walt Disney, onde os personagens não tem mães. E é verdade. A Branca de Neve não tem. A Cinderella é orfã e desprezada pela madrasta. A mãe do Bambi morre. De fato, existe aí um padrão. Fiquei a pensar nisso. Antes de ir embora, a Augusta me recomendou a leitura de um livro sobre a vida de Benjamin Franklin, que ela leu e gostou muito. Fiquei interessado e nesta segunda pela manhã, até dei uma passada na Biblioteca, mas não encontrei o referido livro. Achei referências a ele na internet, mas não encontrei nada para baixar ainda. Vou seguir procurando.

Mais à noite, fomos na casa da professora Rosane Vontobel. Desta vez, com a companhia da Luana, que queria entregar alguns textos para ela. A Rosane estava super empolgada com as publicações a respeito do projeto "Santiago do Boqueirão, seus Poetas quem são", que saíram na Zero Hora e no Diário de Santa Maria. Tanto um, quanto o outro jornal deu um baita de um destaque para o projeto, numa matéria de uma página inteira e perfeitamente detalhada. (olha só o paradoxo: o maior jornal do Estado deu uma página inteira para o projeto, enquanto que um jornal produzido pela própria URI aqui de Santiago, cedeu duas linhas para o mesmo. Eu, se fosse diretor da URI, estaria envergonhado com essa falta de sensibilidade e, ao mesmo tempo, orgulhoso de ver o nome da Universidade tão bem destacado no Rio Grande do Sul). Mas a Rosane merece, afinal, o projeto "Santiago do Boqueirão, seus Poetas quem são" é o melhor projeto cultural já criado na nossa cidade. Aproveitei para me colocar totalmente à disposição dela, para colar cartazes, vender livros o que for. Quero ajudar da forma que puder ao projeto. A emoção que eu tive de ter um livro com meus contos publicados, quero que outros amigos a sintam. Quero muito ver um livro da Lígia Rosso, do Alessandro Reiffer, Froilan Oliveiram da Luana Motta, da Nívia Andres e de vários outros amigos escritores. Por fim, pude dar uma conversada com meu amigo Rodrigo Vontobel Rodrigues, que outro dia me telefonou para falar que precisava contratar alguém para ajudá-lo nas execuções fiscais da prefeitura de Capão do Cipó e me presenteou com uma boa notícia. Fora isso, também fizemos algumas considerações políticas a respeito dos atuais candidatos. Tanto eu, quanto ele, vamos nos manter meio que de fora dessa disputa eleitoral, auxiliando com idéias, alguns candidatos que julgarmos serem merecedores de nossa confiança e, afinal, valorizem o nosso pensamento (r) evolucionário. Foi ótimo também conversar com o seu Ery, que é uma pessoa fantástica e que tem um conhecimento de vida que sempre me contagia. Ele estava intrigado com a libertação da Ingrid Betancourt, a franco-colombiana que era prisioneira das Farc e que foi libertada numa mega-operação midiática. O seu Ery fez eco às idéias do colunista Paulo Sant’ana, da Zero Hora. "Essa libertação dela foi negociada pelo governo com as Farc e foi encenada". E faz todo o sentido, nessa nossa sociedade onde nada mais faz sentido. Or not.

Nenhum comentário: