terça-feira, 15 de janeiro de 2008

A propósito

Só para não entrar ou criar polêmicas, ao ler o blog do amigo Júlio Prates, verifiquei que ele citou uma declaração minha dizendo que o repasse de verbas ao HCS, prometido pela Câmara, deveria ser feita pelo prefeito Chicão. Na forma como está, me parece meio solta a declaração, portanto vou situá-la num plano. No trecho do e-mail, onde comentei esse assunto, coloquei assim:
"O orçamento da Câmara até dezembro de 2007 era todo devolvido ao município, já que a Câmara não trabalhava com dinheiro (duodécimo). Ou seja, qualquer dinheiro a ser devolvido, fica a critério do prefeito aplicar onde ele quiser.
Basta lembrar que quando o Gildo foi presidente, ele alardeou que a sobra de mais de R$ 230 mil seriam destinados para a construção de creches. Onde é que estão as tais de creches mesmo? O prefeito recebeu apenas verba e não dinheiro. Aplica onde quiser, porque a verba é do município. Agora, a partir deste 2008, as coisas mudam. Uma vez que a câmara possui os setores de contabilidade e tesouraria, deverá ter o repasse do duodécimo, que é o orçamento da Câmara dividido por 12 em repasses mensais. Ao final do ano, o que sobrar, é dinheiro na conta. Aí, sim, poderá ser destinado para onde for. Mas jamais um repasse direto, porque o orçamento é municipal. Ou seja, se o Nelson quiser passar dinheiro ao hospital, terá de repassar o cheque para o prefeito. Aí, os dois juntos terão de posar para a foto segurando o cheque junto com o Sagrillo. Ou, melhor, o Ruderson.

Um grande abraço.

Márcio"

Nenhum comentário: