quarta-feira, 31 de outubro de 2007

O vendedor de sonhos

3 comentários

Era um homem bem vivido, de cabelos de prata. Aliás, esse era o seu apelido: "cabelo-de-prata". No entanto, era mais conhecido por seu ofício de vendedor de sonhos, deliciosos sonhos, irresistíveis sonhos. Dos quais, só ele tinha a receita. Nenhum sonho se igualava aos dele, vendidos numa carrocinha ambulante, extremamente saborosos. Lá vinha o vendedor de sonhos. As crianças devoravam despreocupadas de etiqueta e os adultos não resistiam a vondade de provar, ainda que receosos de lambuzarem-se. E ele vendia os seus sonhos. Os quais, além de massa, doce de leite e açúcar eram permeados de uma estranha magia. Uma mistura de idealismo, amor e perseverança.Quem provava daqueles sonhos via-se envolvido, extasiado com uma sensação de poder.


De poder fazer algo, de poder contribuir, de poder somar, de poder realizar. Sentia-se grandioso, irmão das estrelas, galáxias e constelações. Também sentia-se em sintonia com as particulas atômicas de uma pétala dourada num imenso jardim. Via-se em consonância com as formigas ou com as aves livres no céu. Na esquina, o vendedor oferecia os seus sonhos. A cada mordida, a possibilidade de mudar o mundo. Em cada grão de açúcar, um segredo do universo. Não se sabe se os sonhos teriam perdido o gosto ou se os clientes tenham perdido o desejo. Hoje é mais difícil de provar daqueles sonhos, o vendedor sumiu. Ele e suas frases enigmáticas ao anunciar seus produtos pela vizinhança: "Sonhos. Sonhos transformam o mundo"; "A grandiosidade de um homem pode ser medida por seus sonhos"; "Sonhos, dão sabor à vida", ele dizia, enquanto apertava uma buzina...

terça-feira, 30 de outubro de 2007

1 comentários
Legal!! Nem terminou o ano de 2007 e eu já tenho uma agenda de 2008. Ganhei da irmã Gecy, da escola Medianeira. Uma linda, informativa e útil agenda que, certamente, irá me acompanhar pelos próximos meses. Agradeço pelo presente de todo o meu coração.
-------
Também fiquei muito contente com um pingente que ganhei da minha amiga Lígia Rosso, onde está escrita a palavra "Paz". Já estou usando o pingente. Achei 10. Tinha que ser coisa da Lígia...
-------
Tive a satisfação de ter visitado a escola Medianeira na tarde chuvosa desta terça-feira, à convite da Lígia, para fazer uma pequena palestra para os seus alunos da 5ª. Éramos eu e o vereador Nelson Abreu, autor da lei que institui o slogan de "Santiago-Terra dos Poetas". O Nelson falou primeiro, a respeito da importância desse slongan, visto que em nossa cidade existem muitos escritores, talentos locais e citou alguns, como Caio Fernando Abreu. Falou a respeito de cultura e educação e incentivou os jovens a lerem. Ao final, declarou-se emocionado em estar ali, em meio aos estudantes.
---------
E, sem dúvida, o referido projeto ganhará fronteiras. Principalmente, após o projeto "Santiago do Boqueirão, seus Poetas quem são?", do curso de Letras da URI, ter abraçado o slogan e desenvolvido o seu maravilhoso projeto cultural....
--------
"Essa é a primeira vez, desde que foi aprovada a lei da "Terra dos Poetas" há cerca de oito anos, que tenho a oportunidade de falar em público sobre ela e explicar os motivos que me levaram a criá-la. É a primeira vez que alguém me pede para palestrar sobre isso", disse Nelson Abreu, agradecendo para a professora Lígia Rosso pela oportunidade.
--------
Já eu, fui questionado sobre o meu trabalho como colunista do jornal Expresso Ilustrado, a importância da leitura e da escrita e, enfim, sobre o meu trabalho e minha trajetória de vida. Em determinado momento, lembrei que lá pelos 10 anos eu vendia picolé. Ao final da palestra, um aluno quis saber detalhes sobre isso. Contei que vendi picole, sorvete, sanduíche, fui office-boy, enfim, desde pequeno sempre trabalhei. Detalhe: quase todo o dinheiro que ganhava era gasto para comprar livros ou revistas em quadrinhos, além de calçados e roupas...
--------
Quando Caio Fernando Abreu ganhará uma homenagem de maior vulto em Santiago? O seu nome em uma praça, em uma avenida, uma biblioteca ou um Auditório Cultural? Por enquanto, só há a foto na galeria de escritores do Centro Cultural e o troféu Caio Fernando Abreu, autoria do vereador Nelson.
--------
Inauguração do prédio novo da Câmara Municipal de Vereadores ocorerá no dia 30 de novembro. O presidente Diniz Cogo já convidou e teve confirmadas presença de diversas autoridades municipais e estaduais. Deputados do PMDB virão participar do evento.
---------
Juventude do PMDB está cheia de projetos. E está trabalhando neles.
---------
Agradeço pelos e-mails recebidos. Teve gente preocupada com a minha unha quebrada em função do meu jogo de futebol do último domingo. Que dó...
--------
Vocês viram o cartaz do segundo filme do Batman na postagem anterior? Muito massa. Estou louco para assistir. Estréia no ano que vem...
--------
Vem aí a 1ª Feira da Arte Santiaguense- Ilha Bella Shopping Center. Um evento que reunirá todos os segmentos culturais e artísticos de nossa cidade. Será uma verdadeira vitrine dos talentos da terra dos poetas. Um evento que vai dar o que falar, reunindo centenas de pessoas, dezenas de expositores e gastando nenhum real em sua estruturação. Isso é possível? Aguarde e confie...

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

The Dark Knight

1 comentários

Um cartaz apócrifo de Batman - O Cavaleiro das Trevas (The Dark Knight) está na rede. O suposto teaser poster do filme apareceu no site Deviousnoise e mostra o Morcego - e seus morceguinhos - encarando uma carta do Coringa. Acima do título, a frase "Quando a escuridão cai, o cavaleiro ergue-se".
0 comentários
O meu amigo Rodrigo Vontobel ficou muito contente com a publicação a respeito dele, feita no último final de semana pelo jornal Expresso Ilustrado. Nas entrelinhas, ele mostra a sua satisfação com o jornal, em função da imparcialidade ao noticiar quaisquer fatos. Em especial, a respeito de um aponte feito pelo Tribunal de Contas do Estado a respeito da contratação dele como Procurador Jurídico da Câmara. Acesse o blog do meu amigo Rodrigo, pelo endereço http://www.rodrigovontobel.blogspot.com/

domingo, 28 de outubro de 2007

0 comentários
Então, tá. Sexta-feira, nossa turma vai ir lá na Convexo comer umas pizzas...

Marquei cinco gols

1 comentários
Quebrei uma unha de um dedo do pé esquerdo jogando futsal. Mas não dá nada. Pelo menos, marque cinco gols e dei passe para mais dois. No total, fizemos dez gols. Não deu para comemorar muito, pois empatamos com o outro time. Saímos no prejuízo e começamos a nos recuperar. No início, fiquei jogando atrás, na zaga. Mas sou desastroso na zaga. Não sei desarmar, não enfio a cabeça na bola, pois erro. Me atrapalho. Odeio jogar na zaga. Pior ainda se jogar como goleiro. É frango atrás de frango. Lá pelas tantas, o Divaldo deu a dica, sabendo que o meu forte é jogar na frente. Trocamos de lugar e fui para a frente. Aí, começamos a marcar. Cinco gols meus, três do Chico e dois do Divaldo. O outro time era muito entrosado, mas conseguimos equilibrar a partida. Fui o artilheiro e uns jogadores novos ficaram surpresos com meu desempenho futebolístico. Hoje, de fato, me baixou o espírito do Garrincha, acredite se quiser. No entanto, tenho uma explicação para o meu desempenho no placar: jogo mal que é um peixe, no entanto, o meu forte é que eu tenho mira. Consigo chutar em direção ao gol com facilidade. Quando não vai na rede ou vai na trave ou vai na mão do goleiro. Para fora, é difícil eu mandar. Legal, cara. Odeio assistir jogos de futebol, mas gosto de jogar. Só para suar e me exercitar. O jogo foi ótimo e domingo que vem, tem mais. Quem quiser ir lá nos assistir, fique à vontade. Viva o Chicão por ter construído o ginásio da Belizário.
0 comentários
-----------
Tinha planejado caminhar no asfalto nesse domingo. Ia sair lá para os lados da AABB, entrar por uma estradinha de terra que vai até os trilhos. E, de lá, caminhar uns cinco quilômetros de estrada de ferro e ir até o cachoeirão, onde eu e minha turma muito tomávamos banho aos finais de semana. Ia fazer isso, mas não deu. Dei uma voltinha pela cidade e fui parar lá na casa da Marcela Lima, onde conversamos um monte, matamos as saudades, tomamos chimarrão e combinamos uma janta. Adoro a Marcela, é uma amiga sincera que diz o que pensa, critica na hora, não esconde o que não gosta, mas também não fala pelas costas. A Marcela é 10!.
----------
Olha só a coincidência. Na hora em que cheguei na casa da Marcela, ela estava ouvindo o DVD da Shakira. Parecia que estava me esperando, porque eu sou fanzaço da Shakira. Aliás, talvez seja uma doença contagiosa, pois passei isso para muitos amigos. Ela, inclusive.
---------
Coisa boa: ficamos ali, sentados na grama, sob a sombra e comendo pitangas. Na nossa pauta de conversas, comentamos sobre nossos amigos: o Cristiano, que assumiu suas funções na agência do Banco do Brasil, em São Borja, e o Divaldo, que quer marcar uma ida na pizzaria Convexo. (Em tempo: a Marcela trabalha na Pizzaria Ponto X). Ela me questionou: por que não lá no Ponto X? Que guriazinha. Nem no dia de folga dela, não desgruda do Ponto X...
-------
Sobre o Divaldo. Logo mais à noite, vamos jogar futebol. Eu, ele, o Chico e mais uma galera. Lá no Ginásio da Belizário. Esse é o nosso programa quase que todos os domingos. Quem queira ir lá está convidado. Eu até faço gol...
-------
Na última sexta-feira, a Mayara e eu passamos a tarde em função de nosso projeto, que vamos desenvolver agora no mês de novembro e que, temos certeza, vai bombar. Na esteira desse, tem outros. Nenhum deles envolve dinheiro. O que é melhor ainda. Somos ousados...
--------
Certo dia, o prefeito Ivo Patias de Jaguari me saiu com uma frase que achei 10. Ele disse assim: "À força, não quero ir nem no pro céu. Por bem, me levam até para o inferno". Achei muito interessante essa filosofia do prefeito jaguariense, o que transparece um pouco do seu caráter de homem público responsável e honesto. É uma filosofia que passei a adotar...
--------
Não sou de ala nenhuma. Sou é de Alah.
-------
Recebi um convite para ser "cortador de pedra". Me senti honrado com a lembrança de meu nome, mas não irei aceitar o convite. Sou seguidor do Cristianismo Primitivo...
-------
Vou assistir Heroes mais tarde. Segunda temporada.
-------
Falando em Heroes, o Bactéria está gravando para mim. Ia pedir para o Raisson, mas o Bac gentilmente se ofereceu. E ele está adorando a série...
-------
Detesto tomar coca-cola sem gás. Mas melhor tomar isso do que Pepsi.
------
Eheheheh. Tinha gente que me debochava por eu só tomar leite de vaca. Costumo comprar aquelas garrafas pet com dois litro de leite. Com essa história das caixinhas com soda caustica e água oxigenada é que não compro leite de caixa mesmo...
------

sábado, 27 de outubro de 2007

Tatiana Vier ganha primeiro lugar no Concurso Literário "Mário Quintana"

2 comentários

Uma ótima notícia para Santiago. A multitalentosa jornalista Tatiana Vier conquistou o primeiro lugar no Concurso Literário Mário Quintana, com a crônica "Lição Cutânea". O concurso contou com trabalhos de escritores de todo o Estado e quem levou a melhor foi a Tati, que é a jornalista do Centro Empresarial de Santiago e correspondente da Rede Vida de Televisão. Além de Crônicas, o Concurso também tinha premiação para as categorias de Conto, Poesia e Fotografia. De minha parte, fiquei muito feliz com essa notícia, pois a Tati é uma amiga que aprendi a conhecer e admirar pelo seu talento, suas idéias e seu dinamismo. A premiação do concurso ocorreu ontem, no "Café da Oca", em Porto Alegre. Parabéns, Tatiana!!!

Pato Donald dança "La Tortura", de Shakira

1 comentários


O Pato Donald dança a música "La Tortura", de Shakira, com uma bailarina. Um sarro!

Pato Donald canta "My Heart Will Go On"

2 comentários

Um vídeo antológicio e raro. Pato Donald canta a canção-tema do filme "Titanic". É de rolar de rir...

Reportagem sobre a Terra dos Poetas

1 comentários

Para quem não viu, eis uma belíssima reportagem produzida pelo Jornal do Almoço, da RBS TV, sobre o projeto "Santiago do Boqueirão, seus Poetas quem são?". Vale a pena assistir...

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Para quem quiser saber...

0 comentários
Ok. Não tenho atualizado muito o meu blog, eu sei disso. Também não estou nem um pouco me importando em perder a audiência desse espaço. Prefiro escrever meus contos, minhas crônicas, postar meus vídeos e escrever algumas bobagens

O Velho Pai

1 comentários

Parado em frente a janela de sua Seu rancho, o Velho observa o crepúsculo, enquanto saboreia uma caneca fumegante de café. Lá fora, o sol começa a ganhar intensidade afugentando a brisa que acompanhou a madrugada. A luminosidade resplandece no grande lago. Já as nuvens, mais parecem algodão-doce passeando por um céu absolutamente azul. As árvores se agitam timidamente, resquícios da brisa retirante, como que rendendo mesuras ao astro-rei. O Velho, claro, perdeu as contas de quantas alvoradas já vislumbrou. Mesmo assim, não deixa de se emocionar com o nascer de mais um dia. Um lindo dia. Não importaria se, no céu, despontassem nuvens negras, bradando trovoadas e fazendo cair uma chuva torrencial. Seria mais uma demonstração perfeita e funcional dos ciclos da natureza. O Velho está só e, como em todo amanhecer, Seus primeiros pensamentos se voltam para os filhos. Eles estão longe, absortos em suas histórias, seus objetivos, suas convicções. Deram o seu grito de liberdade (sem saber que estavam se emaranhando ainda mais nas ilusões da vida) e partiram para concretizar os seus sonhos. São capazes de passar dias sem dedicar um segundo de seus pensamentos para a figura do Velho e solitário Pai. Ele, ao contrário, não deixa de pensar nos rebentos que, mesmo em meio a multidões, se sentem sozinhos e desamparados.
O Velho vai até a varanda e senta em Sua cadeira de balançar, enquanto ajeita o fumo no interior de seu cachimbo. Ele se põe a fumar e a brincar com a fumaça, ao mesmo tempo em que alisa a sua barba.
Os anéis de fumaça soltos no ar parecem lhe trazer reminiscências de muito tempo. O Velho lembra de cada segundo de sua existência, de coisas tão remotas, que dão a impressão de que o que vivenciou era como filmes do cinema mudo. Outras, mais remotas ainda, surgem na memória como se fossem antigas fotos em preto e branco. O velho sente saudades. Dos filhos, claro. Por vezes, ao olhar através da vidraça da vida pensa que poderia ter feito diferente, que pode ter errado em alguma parte de sua Obra e que se houvesse se detido em um ou outro detalhe, hoje teria os filhos mais próximos. Um pensamento fugaz que Ele logo trata de afugentar. O que está feito não deve ser mudado. Ele lhes deu o pleno direito de escolherem os seus caminhos.
As horas passam rapidamente, enquanto o Velho divaga sobre a existência e não percebe quando é tomado pelo sono. Mesmo Ele, do alto de sua sabedoria, preserva a Sua capacidade de sonhar. E, em Seus sonhos, não contém a felicidade de recepcionar um a um dos Seus filhos, batendo a porta do Velho Pai e fazendo de sua casa o seu lar, o lar que é de muitas moradas.
Quisera Ele que esse sonho se tornasse real e que Seus filhos lembrassem que tudo o que o Velho Pai fez foi em nome do Amor. Que a eles dedicou toda a Sua Obra. E que eles também tomassem esse exemplo e não tivessem medo de amar ou deixassem de não querer amar. O Velho Pai sorri na cadeira de balanço e anseia pelo momento em que abraçará cada um de Seus filhos, revendo a imagem e semelhança que há milhares de Eras ele criou.

Piez Descalços

1 comentários

Você pertence a uma raça antiga
De pés descalços
E de sonhos brancos
Foi poeira e a poeira volta
O ferro exposto ao calor é brando

Você mordeu a maçã
E renunciou ao paraíso
E condenou a tal serpente
Isso é o que você quiz

Por milênios e milênios
Vem correndo pelo mundo
Enfrentando dinossauros
Sem um teto e sem escudo

E agora está aqui
Querendo ser feliz
Chorando como um menino
O seu destino

Você pertence a uma raça antiga
De pés descalços
E de sonhos brancos
Foi poeira e a poeira volta
O ferro exposto ao calor é brando

Construiu un mundo exato
Acabado e perfeito
Cada coisa calculada
No espaço e no tempo
Eu que sou um caos completo
Uma entrada uma saída
Uma regra e uma medida
São conceitos que não entendo

E agora está aqui
Querendo ser feliz
Chorando como um menino
O seu destino

Você pertence a uma raça antiga
De pés descalços
E de sonhos brancos
Foi poeira e a poeira volta
O ferro exposto ao calor é brando

Você pertence a uma raça antiga
De pés descalços
E de sonhos brancos
Foi poeira e a poeira volta
O ferro exposto ao calor é brando

Saudar o vizinho
Acordar uma hora
Trabalhar cada dia
Para viver a vida
Contestar mais aquilo
E sentir menos isto
E que Deus nos ampare
Desses maus pensamentos

Cumprir com as tarefas
Freqüentar o colégio
Que diria a família
Se fosse um fracassado?

Calce sempre sapatos
Sem barulho na mesa
Só com meias palavras e
Gravata nas festas

As mulheres se casam
Sempre antes dos trinta
Se acreditam que é pouco
E ainda assim não te aceitam
No baile dos quinze anos

Não deixe de comprar
Uma fina champanha
E uma valsa dançar
E uma valsa dançar

The One, Shakira

1 comentários

Então eu encontrei a razão
Para depilar minhas pernas
Toda santa manhã
Então eu conto com alguém
Pra me levar ao baile nas sextas de noite
E daí à igreja no Domingo (casamento)
Para fazer mais planos
E algum dia pensar em filhos
Ou talvez só guardar um pouco de grana

Refrão:
Você é o único que eu preciso
O caminho pra voltar para casa é sempre longo
Mas se você estiver junto e mim eu agüento
Você é o único que eu preciso
A minha vida de verdade
Começou apenas agora
Porque não há nada mais bonito
Que o seu sorriso feito de sol

Em um mundo cheio de estranhos
Você é o único que eu conheço.

Então eu aprendi a cozinhar
E finalmente perdi meu medo da cozinha
E eu tenho os braços para me confortar
Quando há um fantasma ou uma nova idéia
Que me tragam insônia;
Comprar mais fitas
E compor mais canções felizes
Isso sempre requer uma ajudinha de "alguém"

Você é o único que eu preciso
O caminho de volta para casa é sempre longo
Mas se você estiver junto a mim eu agüento
Você é o único que eu preciso
A minha vida de verdade
Começou apenas agora
Porque não há nada mais bonito
Que o seu sorriso feito de sol

Você é o único que eu preciso
O caminho de volta para casa é sempre longo
Mas se você estiver junto a mim eu agüento
Você é o único que eu preciso
A minha vida de verdade
Começou apenas agora
Porque não há nada mais bonito
Que o seu sorriso feito de sol

(Você é o único que eu preciso)
(Você é o único que eu preciso)
Com você minha vida de verdade só começou
(Você é o único que eu preciso)
(Você é o único que eu preciso)
Nada como seu sorriso feito de sol

Nada como seu amor
Nada como seu amor
Ahh ahhh
Nada como seu amor

Avril Lavigne - My Happy Ending

1 comentários

A minha querida Avril, nos bons tempos do disco Under My Skin, quando ela era uma Bad Girl e lembro que a Rebeca e eu conversamos muito sobre o som da Avril, que tanto eu quanto e ela curtíamos. Em seu novo disco, Girlfriend, ela parece ter ficado um pouco Patricinha. A Rebeca deixou de gostar. Eu comprei o CD..

Tu....

1 comentários

Marcela Mosqueda interpreta "Tu", de Shakira

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Sonata ao Luar

0 comentários

A vizinhança toda espiava pelas frestas. Alguns, passavam diversas vezes em frente a casa. Outros, mais ousados, estavam próximos ouvindo a conversa. E, alguns poucos, legítimamente estavam preocupados com o destino daquele jovem viúvo. Sua irmã amparava a filha dele, Thaís, de apenas oito anos, que chorava a ausência do pai. A tia a consolava com "shsss" e "está tudo bem". Não. A menina sabia que não estava tudo bem. E chorava a doída ausência do pai, sentindo-se sozinha, sentindo-se culpada. Mesmo sem ter culpa de nada. Um policial surge do quarto de Thaís com uma caixinha de música nas mãos. "Encontrei algo", ele diz, abrindo a caixinha, fazendo com que o som de "Sonata ao Luar" invada o ambiente, ao mesmo tempo que uma delicada bailarina de plástico dança ao redor de si mesma. Na tampa, uma carta grudada com duréx, dobrada e com um nome escrito com caneta colorida. "Thaís", sendo que o desenho de uma flor ocupava o lugar do pingo no "i". Sua irmã suspira.
- Uma carta de despedida? Ele se suicidou mesmo?
Ela desabafa, ignorando por um instante -e se arrependendo em seguida- a presença de Thaís. A menina corre para pegar a carta, mas o policial intervém.
- É uma evidência. Vamos analisar primeiro.
Um dos vizinhos que sai da casa logo conta para outro.
- Ele se matou. Deixou uma carta de despedida para a filha...
Logo, a história era repetida. Pobre rapaz, viúvo há poucas semanas, não tinha aguentado o peso sob seus ombros e, covarde, largou a filha à própria sorte, tornando-se órfã em poucos dias. A madrinha da menina tenta lhe dar algum calmante. Ela rejeita.
- Quero ler a carta. Ela é minha
Diz afrontando o policial. Seu superior consente com a cabeça. Thaís abre a carta que, em cujo interior, encontrava-se acomodada as alianças de seu pai e de sua mãe. Sua tia começa a chorar, imaginando o pior. Com sua voz de anjo, a menina começa a ler.

"Thaís, eu te amo, minha filha. Quero que saiba disso, em primeiro lugar. E, sim, sou um covarde. Os últimos dias foram piores do que imaginei que seriam. Eu achei que estava preparado para eles, mas foram mais pesados do que qualquer fardo que eu jamais suportei. Sua mãe foi a mulher da minha vida e perdê-la foi como perder a minha própria vida. Não posso olhar para o seu lugar na mesa, seu travesseiro, sua parte no guarda-roupa, seus shampoos. Tudo que era tão simples e tão singular, hoje se tornou algo doloroso. O cheiro dela nas suas roupas é torturante. Desculpe, minha filha, eu chorei tanto durante esses meses. Achei que tinha chorado tudo, que as lágrimas cessariam e que seria capaz de me reconstruir. Mas não dá. Achei que o pior dia da minha vida tinha sido aquele, em que os médicos disseram que ela teria apenas seis meses de vida. Desde aquele dia, cada dia era menos um dia ao lado dela. E eu comecei a pensar em coisas que jamais quis pensar. Planejar como seria o seu velório, o seu enterro, que pessoas compareceriam. Sua mãe, na maioria das vezes, estava resignada, forte e isso me destruia porque eu só sabia chorar, cada vez que ela me olhava com aqueles seus olhos meigos e cheios de amor. Mas tinha vezes em que ela acordava chorando, aninhada em meus braços, dizendo que não queria morrer. E eu ali incapaz de qualquer coisa a não ser chorar junto e me prender a cada som de sua respiração, contar cada batida do seu coração, gravar a textura de sua pele na ponta de meus dedos. Mas quando amanhecia, lá estava ela, sorrindo para mim. Sorrindo para você. Lembro as vezes em que ela telefonava para alguém, pedindo desculpas por alguma coisa que tenha ocorrido no passado. Coisas bobas. Ela chegou a ligar para colegas de aula de muito tempo, desculpando-se por coisas de criança. Sua mãe dizia que não queria deixar nada pendente e que era agradecida por todos que tinham feito parte de sua vida e que todos tinham sido importantes para ela. Sua mãe era assim: só amor. Essa caixinha de jóias foi o primeiro presente que eu dei a ela e ela tem um grande significado para a nossa história. Por isso, deixei essa carta aqui, me despedindo de você, me despedindo de todo o resto, porque não consigo aguentar mais a ausência dela. Sei que você ficará bem com sua tia. Preciso de um tempo para pensar. Papai te ama".

Ela termina de ler, chorando. Olha para a sua tia, também com os olhos em lágrimas.
- Eu quero o meu pai
Thaís, joga-se nos braços da tia. Os policiais comentam entre si.
- Infelizmente, parece que o sumiço dele pode indicar isso: suicídio. Resta descobrir onde está o corpo.
O delegado começa a dar orientações de diligências a serem feitas, contatos a serem estabelecidos. O murmurinho dos vizinhos aumenta. Thaís limpa as lágrimas e abre a caixinha de música para depositar as alianças. Todos silenciam e, em meio a esse silêncio, a pequena multidão vai abrindo espaço para alguém que entrava na casa: o pai de Thaís. Ao vê-lo, ela larga a caixa em cima do sofá e corre para abraçá-lo, chorando muito.
- Me perdoe, meu anjo. Papai teve um instante de covardia. Mas já passou. Me perdõe por isso. Eu te amo muito, muito, muito. E você é a prova vida de nosso amor, meu e de sua mãe. Me perdoe por ter esquecido disso e feito o seu coraçãozinho doer mais uma vez. Eu te amo...
A menina abraça o pai com toda a força, ao mesmo tempo em que a bailarina dança ao redor dela mesma ao som de "Sonata ao Luar"...

Marcela Mosqueda

0 comentários


Uma belíssima interpretação de Marcela Mosqueda, com a música "Si tu no estas aqui", de Rosana. Vale a pena assistir...

Um blog para o Caio...

0 comentários

Vasculhando a internet atrás de textos do melhor escritor nascido em Santiago, o Caio Fernando Abreu, encontrei esse maravilhoso blog, intitulado "Caio Fernando Abreu- Sem Amor, Só a Loucura" criado pela Lu e pela Carla, duas grandes admiradoras da obra do Caio. O blog apresenta textos de várias obras do autor. Vale a pena conhecer, desvendar, ler, acessar. Um belíssimo e delicado registro. Acesse http://semamorsoaloucura.blogspot.com/

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Se tu no estás aqui...

0 comentários
Sábado, após reunião com a Maiara, o César e a galera da juventude recebi o afável convite do Froilan Oliveira para participar da janta do troféu Premium, organizado pela empresa Estillus, especializada em organização de festas e eventos. O convite do Froilan, aliás, foi uma confirmação de um convite anterior feito por sua esposa, Gislaine, durante a ExpoSantiago. O evento estava legal, bem organizado, de bom gosto. Gostei da recepção, do saboroso buffet, um ambiente descontraído, enfim. Teve uma apresentação da amiga Lígia Rosso e de sua aluna Dieniffer Souza e, depois, a entrega dos troféu. Mais tarde, apresentação da maravilhosa Analise Severo e do talentoso Diogo Bonato. Aproveitei a noite para conversar com alguns amigos, como o Júlio Prates e a Eliziane, o Sadi e o Claudinho Gioda, o Alan de Sá, a Nara Belmonte, o Diniz Cogo, o Diego e, claro, o Froilan. Parabéns a Gislaine pelo evento.
---------
Deixa eu ver, só para deixar registrado: durante a festa, o locutor Éden de Paula fez uma menção A Analise, se referindo a ela como "futura vereadora". Realmente, a Analise é uma das apostas do PMDB de Santiago e, acredita-se, pode ser um fenômeno de votos.
-------
Assisti ao filme "Tropa de Elite". Não foi no cinema. Foi piratão mesmo. Um amigo me emprestou e assisti ao filme. Ah, estou fazendo apologia a pirataria, alguém deve me dizer. Aí eu respondo o seguinte: "O Lula assistiu 2 filhos de Francisco confortávelmente em seu avião, quando o filme ainda estava nos cinemas" e ainda contou para todo o Brasil. Que deslize. Ehehehe.
-----
Não dá nada.
-----
Sobre o filme, abre uma importante discussão sobre a crescente violência urbana e mostra a realidade do "Batalhão de Operações Especiais" do Rio de Janeiro, o Bope, um esquadrão especializado em subir as favelas e meter bala na bandidagem.
-----
"Dadinho o caralho, o meu nome é Zé Pequeno", frase célebre do bandidão do filme "Cidade de Deus".
----
Tropa de Elite parece ser ambientada no mesmo universo. Parece que a qualquer momento, podem aparecer personagens do filme de Fernando Meirelles (Cidade de Deus...)
----
Uh. Não comentei aqui sobre o Santiago Encena. Estive viajando aquase que toda a semana passada e só pude assistir a primeira noite do Santiago Encena e devo dizer que foi 10 em termos de organização. Hoje encontrei a Denise Cardoso, secretária de Educação do município e ela me disse que também esteve fora, mas me garantiu que a qualidade do festival foi equivalente a da noite de abertura. Legal. Méritos da SMEC e do meu padrinho Noé Machado.
-----
O mesmo que, vez por outra, me chama de "filho ingrato". Somos grandes amigos.
-----
Ah, tem mais um xingamento no repertório do Noé. Ele me chamou de "Rainha do Baile"..
----
Isso porque ele tinha me convidado para fazer uma leitura interpretativa de uma crônica do Caio Fernando Abreu na abertura do Santiago Encena, chamada "A Raiz no Pampa". Com a máxima satisfação atendi ao pedido do Noé. No entanto, aproveitei as luzes da ribalta, após o monólogo e lasquei um pequeno discurso:
"Caio Fernando Abreu foi, sem dúvida, o maior escritor já nascido neste solo santiaguense. E, sem dúvida, uma das pessoas que mais lutou para ver a sua obra valorizada na terra-natal de Caio, foi uma grande amiga minha e, tenho certeza, de muitos que estão aqui: a jornalista Ieda Beltrão. Infelizmente, ela não mora mais em Santiago e não pôde ver esse sonho ser realizado, de ver o nome de Caio recebendo a merecida atenção. Então, lembrando de minha amiga Ieda Beltrão, quero dizer para vocês que descubram Caio Fernando Abreu, conheçam Caio Fernando Abreu, leiam Caio Fernando Abreu e sintam Caio Fernando Abreu. E, que após termos assistido as belas encenações que vimos nessa noite, só tenho a dizer mais uma coisa: viva o teatro, viva a dança, viva a cultura, viva a arte, viva o Santiago Encena".
-----
Devo dizer que proferi a última frase a plenos pulmões. Gritando, entusiasmado. (para não dizer fiasquento...)
------
Por isso, o Noé me chamou de "Rainha do Baile"...
-----
Durante a abertura foi entregue o troféu Caio Fernando Abreu para Froilan Oliveira, pela Literatura; para Valdir Amaral Pinto, pela Cultura e para a professora Mara Rebello, pela Educação. Parabéns aos homenageados. Só lamentei que esqueceram de citar o vereador Nelson Abreu, como criador do troféu Caio Fernando Abreu. Uma indelicadeza.
-----
Ontem, após jogarmos um futebolzinho amigo (muito coice, muitos hematomas, bola na cara...), o Divaldo me comentou que um grupo de Ijuí papou a maioria dos troféus do Encena, mas que o grupo da Angela Genro, o Dom de Semblantes, havia conquistado alguns prêmios importantes para Santiago. Fiquei feliz. Adoro a Ângela e o grupo dela está muito bem estruturado.
-----
Fora que tenho grandes amigos que atuam no grupo.
-----
Sobre o futebolzinho amigo: eu fiz dois gols. Sério.
----
...E não foram contra, tá?

sábado, 20 de outubro de 2007

Instrumento de Deus

1 comentários
O bip do Dr.Santiago o despertou naquela madrugada fria. Urgência no hospital. Uma paciente sua, portadora de HIV, estava sofrendo de insuficiência respiratória. Antes, havia vomitado sangue. Em poucos minutos, o médico atravessava apressado os corredores do hospital.
- Como ela está?
Ele pergunta aos enfermeiros assim que entrou na UTI.
- Eu diria que nas mãos de Deus. Ela piorou muito, doutor. Santiago franziu a testa. Era cético. E em tantos anos de medicina nunca havia presenciado algum milagre, portanto, não tinha motivos para acreditar em intervenções divinas.
- Então, eu diria que nós somos deuses. E se ela se salvar, será por nossas mãos.
As horas passaram rapidamente para os médicos, lutando para salvar Ana, a paciente. Por um instante, ela abriu os olhos olhou para o vazio, sorriu e disse: "Oi, você". Em seguida, fechou os olhos. "Delírio", justificou o dr.Santiago. Aos poucos, o quadro se estabilizava. Ana ganharia, pelo menos, mais um dia de vida.

Instantes depois, o dr. Santiago saia da sala. Precisava descansar, tomar um café. Aproveitou para telefonar para a sua esposa e dizer que, em seguida, retornaria para o lar. Antes, daria uma última olhada em sua paciente. Ao entrar na UTI, um homem ao lado de Ana.
- Desculpe, senhor. Mas o hospital não permite visitas nesse setor. Peço que se retire.
O homem, que passava a mão suavemente pelos cabelos de Ana, virou-se para o médico e disse.
- Ela é minha esposa.
Santiago bebe um gole de café e se aproxima.
- Julguei que ela fosse divorciada. Sua filha não mencionou nada sobre o senhor.
O homem sorri.
- Não somos divorciados. Apenas estamos dando um tempo, eu diria. E como ela está?
- A paciente?
- Não. Ela vai se curar. Eu digo a minha filha...
- Bem, creio que esteja...olha, senhor. Não quero ser rude, mas as chances de sua esposa...
- Doutor, ela está nas mãos de Deus...
Santiago sorri, irônicamente.
- Que assim seja...mas, agora eu lhe peço que...
- Certo, eu vou me retirar.
Antes de sair, o homem beija a fronte de Ana e sussurra algo em seu ouvido. Para o médico as palavras haviam soado como "eu te perdôo", algo assim. Em seguida, o homem aperta a mão do dr.Santiago.E se retira.

Três dias depois, Ana abre os olhos e a primeira coisa que vê é o sorriso de sua filha, segurando um buquê de flores e, em seguida, caindo em seus braços.
- Mãe, os médicos ainda estão fazendo alguns exames, mas logo você vai poder ir para casa. É incrível, mas seus sintomas todos sumiram de uma hora para outra. Suas defesas estão normais, tudo está normal.
Ana abraça forte a filha e diz:
- Eu sei disso, minha querida. A doença se foi...
Dr.Santiago entra na sala, cumprimenta a paciente e pede um instante da atenção da filha dela.
- Peço que deixe sua mãe descansar um pouco e vá até a recepção assinar alguns papéis. Creio que ela deva ser liberada em breve...
A garota acompanha o médico, alegremente. Ver sua mãe curada lhe deu novo ânimo.
- Obrigada, doutor. O senhor é uma pessoa iluminada. Tenho certeza de que foi um instrumento de Deus...
- Hum. Bem, eu diria que foi somente após a visita de seu pai que ela teve essa recuperação...milagrosa.
A garota fica em silêncio por um instante.
- Como disse?
- Seu pai. Ele a visitou há cerca de uns três dias. Perguntou de você. Conversou com ela. A partir daí, sua mãe se recuperou...
- Doutor...meu pai morreu há dois anos.

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Mais um vídeo da ExpoSantiago...

0 comentários

Estrelando: Lígia Rosso, Dhienifer Gonçalves, Tatiana Vier e Arami Fumaco...

Vídeo: um passeio pela ExpoSantiago

0 comentários
Uma imagem vale mais do que mil palavras, certo? Então, acompanhe a minha trajetória com a câmera, fazendo um tour por alguns dos corredores da ExpoSantiago. Veja só quanta gente...

...E sem Photoshop!

0 comentários
Não teve quem não elogiasse a beleza da princesa da ExpoSantiago, Daniela Ronsani. Além de bela, naturalmente simpática. Durante os 04 dias de feira e, ao lado da outra princesa, Fernanda, e da rainha Lílian, Daniela aguentou o ritmo incessante. Visitou todos os estandes e se mostrou bastante carismática com o público. Claro que elas tiveram uma boa preparação, já que a organização da feira vem de meses e incluíram diversas viagens para várias cidades do Estado. E, como disse anteriormente, a beleza de Daniela era algo notável e elogiável. E, não pense que essa foto consegue fazer jus ao seu belo rosto. Ela é mais bonita ainda ao vivo....

Centro da Beleza

0 comentários
Esse aí é o empreendedor Marco Malheiros, grande amigo lá no Centro da Beleza, uma empresa que investe no fornecimento de produtos de beleza e equipamentos, sendo o referencial na região dentro deste segmento. No seu estande, o Marco apresentou uma nova tecnologia que permite fazer uma análise capilar e definir o tipo de tratamento ideal para cada cabelo.

Uma grande artista

0 comentários

A artista plástica Adriana foi, sem dúvida, um grande atrativo da ExpoSantiago, mostrando a sua arte através de suas criativas telas. A Adriana é esposa do Marcelo e ministra aulas de arte na Oficina de Artes Madrid, localizada na rua Silveira Martins, 2194. Fone 3251-9391

Deu Grêmio!!!

0 comentários

E no sábado, o estande da Sky se tornou o centro das atenções para os visitantes da ExpoSantiago. Especialmente, claro, para os gremistas, que ficaram de olho nas jogadas da partida entre Grêmio e Goiás, que finalizou em 2x1.

Vídeo: entrevista com as soberanas da ExpoSantiago

1 comentários


Confira uma pequena entrevista com as soberenas da ExpoSantiago, filmada durante o evento. Missão cumprida para as belas Lílian, Daniela e Fernanda.

A galera da Skill

0 comentários

Olha aí o pessoal da Skill mais uma vez. Na foto, a simpatissíma e multitalentosa Lígia Rosso posa ao lado do Mauro Maronez, da Rumy Yamada e do filhinho do casal. Como já disse antes, o estande da Skill foi um dos mais frequentados, tudo por conta da simpatia da galera da Skill, divulgando os seus cursos. Aproveito para mostrar para o pessoal um e-mail cheio de energia positiva que eu recebi da Lígia Rosso. Veja só:


"Olá Márcio!!!
Hoje li a nova versão do teu blog! Parabéns Márcio, que bom saber que teu blog voltará a ser um espaço onde teremos novamente a oportunidade de ler tudo o que tu escreve e as matérias pra lá de criativas que tu produz. Não quero dizer que não é bom dar nossa opinião crítica sobre os fatos, mas, creio que nós poetas, precisamos estar sempre de mãos dadas com o lado mais sensível da vida...afinal, é justamente isso que está se perdendo atualmente: a sensibilidade. Precisamos resgatar o sentimento, os valores, o amor na sua forma mais pura e a poesia, o conto, a escrita nos ajuda nessa missão!
Quero te agradecer de TODO CORAÇÃO pelas duas matérias que tu registrou no teu blog: eu recebendo o livro do meu querido amigo Froilam e o clic e tão carinhoso comentário da gente lá na Skill.Valeu, Márcio. Sem dúvidas, minha sexta-feira lá na ExpoSantiago não foi só de trabalho. A nossa reunião cultural no estande da Skill foi um momento mágico que iluminou aquele dia tão chuvoso! Encontrar meus amigos tão queridos e especiais foi uma imensa alegria. Os pés doendo no final da tarde, pois passei odia inteiro em pé, foram compensados por um coração que voltou pracasa muito feliz!
Se tu puder, me manda todas as fotos que tirou da galera da Skill lána ExpoSantiago na sexta, ok? Pode mandar por e-mail. Márcio, tu aceitas palestrar para meus alunos da 5ª série do Medianeira, em data a combinar, sobre a arte de escrever?Ah! Esqueci de comentar contigo que meu projeto do livro está 'em pé', só vou aguardar para continuá-lo em 2008. Será mais direcionado a crônicas, pois as poesias ficarão para o projeto do "Santiago doBoqueirão, seus poetas quem são?"vou ficando por aqui...Tenha um ótimo dia!Visite meu blog quando puder. Com carinho, Lígia Rosso."


PS: O blog da Lígia é http://www.ligiarosso.blogspot.com/. Visite ela você também!!!

Rita e Renata

0 comentários

Essas aí são as minhas amigas Rita e Renata Prestes, que estavam abrilhantando o estande da Persianas & Cia na ExpoSantiago. A Rita, minha grande amiga desde os tempos em que ela era recepcionista do jornal Expresso Ilustrado, estava elegante no evento, recebendo os visitantes ao lado da irmã, a Renata, que é muito querida e, atualmente, trabalha na Requinte Modas.

domingo, 14 de outubro de 2007

Gracieli e Isadora

1 comentários
Duas amigas que marcaram presença em quase todos os momentos da ExpoSantiago foram a Gracieli e a Isadora, sempre com o astral em alta, esbanjando simpatia.

Bug Bug Bye Bye...

1 comentários

Uma pequena aventura para agitar o domingão. O Júlio Prates e eu havíamos sido convidados para saborear um delicioso almoço na casa do nosso amigo Rodrigo Vontobel. Lá, fomos muito bem recebidos pela querida professora Rosane Vontobel e por seu esposo Eri Rodrigues. Logo que chegamos, ela me ofereceu a cuia de chimarrão. Conversamos um pouco sobre tudo: cultura, educação, política etc. Em seguida, passamos à mesa para saborear o almoço, dando continuidade a conversa. Depois do almoço, o Itacir Flores chegou à casa do Rodrigo e aí passamos à segunda parte de nossa reunião que foi falar sobre - biiiiiiiiiiiiiiiip-. O Itacir também nos falou bastante sobre o movimento que ele está liderando em todo o Estado contra a prova da OAB. Ele está demontrando grande liderança à frente desse movimento e nesta semana foi tema de reportagem do jornal Zero Hora. Também nos contou que já concedeu entrevista para mais de 20 emissoras de rádio no Estado e já marcou para dar entrevista para a TV Bandeirantes.
Mais tarde, logo depois que o Itacir se foi, o Rodrigo e o Júlio começaram a conversar sobre a moto nova que o Rodrigo comprou. Em seguida, ele inventou de comentar que tinha um Bugue ra vender. Pronto. O Júlio se declarou um apaixonado por Bugues, ao passo que o Rodrigo emprestou-lhe a chave para que fossemos dar uma volta. E saímos pelas ruas da cidade, cabelos ao vento, quase não chamando a atenção num bug amarelo. Em nossas voltas, cruzamos em frente ao Ginasião, onde estava ocorrendo a ExpoSantiago e inventei de gritar para a Rebeca, a blogueira-sensação de Santiago. Não deu outra: a menina-maluquinha (minha amiga há vários anos) saltou para dentro do bug. E, assim, saímos pela rua de Santiago. Só faltou cantar a musiquinha da Ivete Sangalo: "Bug, Bug, Bye, Bye, Bug, bug, Bye...". Mas, claro que se eu fizesse isso, a Rebeca me jogaria de cima do Bug. Então, não arrisquei...

sábado, 13 de outubro de 2007

As trigêmeas visitam a ExpoSantiago

0 comentários
Todo jornalista gosta de estar no lugar certo e na hora certa. No meu caso, esse momento aconteceu quando eu e o Froilan fomos tomar um shake. Na fila, encontramos essas meninas bonitas aí, as trigêmeas Mônica, Mariana e Maira, moradoras da localidade de Pinheiro Bonito. Elas tem 14 anos e estudam na escola do Toroquá, interior de São Francisco, e estavam aproveitando o feriado para visitar a feira ao lado do pai, Pedro, chamando a atenção de todos não só por serem idênticas, mas por serem realmente belas e muito simpáticas.

A máfia dos Gioda

0 comentários

Eles começaram como uma gangue. Foram ganhando força, conquistando território e, em pouco tempo, e muito trabalho eles se tornaram uma máfia. Então, apresento aí a "Máfia dos Gioda", meus amigos dessa criativa empresa do ramo da Comunicação e do Design. Uma empresa que mostra talento e qualidade a cada trabalho que faz, responsáveis por toda a arte da ExpoSantiago. Na foto, posa a equipe comandada pelo Sadi e pelo Claudinho "Dom Corleone" Gioda.

Eri e Rosane

0 comentários

Não podia deixar de falar da querida professora Rosane Vontobel Rodrigues e de seu esposo, Eri Rodrigues. Eles estão no estande do projeto "Santiago do Boqueirão, seus poetas quem são?", divulgando o trabalho dos escritores de Santiago, através do projeto elaborado pelo curso de Letras da URI.

Caio Abreu e as beldades da URI

0 comentários

Não, esse estande aí não é de nenhuma empresa que comercialize produtos de beleza. Eu sei, difícil de acreditar quando você observa quatro mulheres bonitas e elegantes juntas. Elas são as professoras Mara Rúbia, Silvana Colaço, Sandra Oliveira e Nelci Brum, divulgando o estande da URI-Santiago, a nossa universidade. E elas posaram ao lado de um banner com uma poesia do Caio Fernando Abreu, o maior escritor já nascido nessa terra.

Um estande mais do que disputado

0 comentários

E esse aí é um dos estandes mais disputados pelas mulheres na ExpoSantiago. É o estande da empresa "O Boticário", que comercializa perfumes e cosméticos. Como você pode perceber na foto, as funcionárias da empresa estão se desdobrando para agradar a clientela da feira, fazendo a demonstração gratuita de seus produtos...

Ong Casulo

0 comentários

Eis a amiga Ana Cláudia Marques Horácio, presidente da Ong Casulo, que está presente na ExpoSantiago, mostrando o trabalho dos integrantes da Ong, que visa o amparo aos menores e adolescentes em conflito com a Lei. No estande podem ser encontrados livros, canetas, artesanato e, principalmente, o contato com as pessoas que fazem o dia-a-dia da Ong Casulo.

Farmácia Fronteira no clima da poesia

0 comentários

Olha aí o Froilan Oliveira e eu tendo a satisfação de posar ao lado da equipe da Farmácia Fronteira, empresa da talentosa e dinâmica Giovana Bochi. Como a Farmácia Fronteira fica logo na esquina da Rua dos Poetas, ela tratou de colocar a sua empresa "no clima" da poesia e da cultura. Em seu estande na Fecoarti, ela criou jogos interativos para o público, fazendo uso da "terra dos poetas". Costumo brincar com a Giovana dizendo que ela é Bioquímica com especialização em Marketing Empresarial, porque ela é uma empresária realmente moderna, inteligente e visionária.

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Paola Nicola e a Ong Casulo

1 comentários

E, para finalizar os posts de hoje, apresento aí a minha querida amiga Paola, namorada do meu camarada Wendel, com quem gosto de conversar bastante sobre assuntos místicos (o que a deixa meio que "P" da vida). A Paola é uma das voluntárias da Ong Casulo e na foto acima, ela estava de prontidão representando a entidade durante da ExpoSantiago. A Paola é dessas pessoas verdadeiras, sinceras e carismáticas, dona de uma energia positiva contagiante. Um grande abraço para ela e o Wendel. É isso, aí, pessoal. Amanhã coloco mais flashs da ExpoSantiago aqui, nesse mesmo batblog. Só não sei em que bat-hora...

Polo da Moda e a barriguinha da Aline...

1 comentários

Não podia deixar de fora as profissionais da loja Polo da Moda e da Heliantus, ambas da empresária Sara Gaviolli, que presidiu a feira anterior. Ela se faz acompanhar de suas funcionárias. Logo depois que registrei o encontro, a minha querida amiga Aline, minha ex-colega de Teatro Liberdade, perguntou se não havia ocupado toda a foto, mostrando orgulhosa a sua barriguinha. Mamãe coruja desde já....

Precisou de dinheiro? O Amilton empresta...

0 comentários

Quem precisar de dinheiro na feira, é só procurar pela Amilton Empréstimos. Antes de entrar para a praça de alimentação estão ali o Amilton e a Joelma mostrando a empresa e oferecendo os seus produtos. Eu mesmo ganhei um dinheiro do Amilton ali mesmo, na bucha, para comprar um cachorro-quente.

Tapados de barro...

0 comentários

Essa foto aí é só para você ter uma idéia de como estava o estacionamento da ExpoSantiago, numa visão parcial, onde se percebe que os veículos estão "tapados" de barro...

Professor João Amélio

0 comentários

E foi bom rever na ExpoSantiago o meu ex-professor de Matemática, o João Amélio. Conversamos bastante sobre os tempos em que ele lecionava no Cristóvão Pereira, onde estudei. Tendo se aposentado há pouco, João Amélio continua sendo aquele mestre carismático e disposto a ajudar os seus semelhantes. Grande ser humano.

Loja Fatalle

0 comentários

E no estande da loja Fatalle os visitantes da ExpoSantiago encontram grandes marcas de roupas feminina e masculina a preço de custo. São mais de 200 peças, tendo marcas famosas como a TNG. Visite a Fatalle e seja bem recebido pela Francielli e pela Danielli.

A Gaúcha, de David Manzoni

0 comentários

Vale a pena visitar e se encantar com o estande da loja "A Gaúcha", do legendário David Manzoni. O estande possui tudo em decoração, presentes de bom gosto, listas de noivas, móveis, bazar e a satisfação de bem receber os clientes demonstrada pelas queridas Cláudia Espíndola e Noemia Portela. Passe por lá.

Proseando sobre cultura...

0 comentários

E lá na praça de alimentação da ExpoSantiago, encontrei e conversei com os amigos DJ, Diogo Bonato e Alan de Sá, o qual está sempre se fazendo acompanhar de suas inseparáveis cuia de chimarrão e de sua térmica. Bons amigos sempre rendem bons papos e trocamos grandes idéias a respeito da cultura santiaguense.

Farmácia Fronteira: valorizando a cultura

0 comentários

E é no estande da Farmácia Fronteira que os visitantes podem interagir e conhecer um pouco mais sobre os escritores santiaguenses. A empresa criativa Giovana Bochi criou alguns passatempos que estão sendo a diversão da garotada. Um gira-gira com fotos de escritores e algumas dicas. Quem souber o nome do artista, ganha um brinde. Tem também um jogo de argolas, espaço para desenhar e pintar e muitos poemas. E, claro, a alegria de bem receber a todos, a cargo dos profissionais da Farmácia Fronteira, cujo lema é "O Otimismo é o Nosso Melhor Remédio". Aliás, a Giovana, para quem não sabe, se formou como Bioquímica, tendo especialização em Marketing Empresarial.

O encontro dos poetas...

0 comentários

Eis aí o encontro dos poetas Froilan Oliveira e Lígia Rosso. Na ocasião, a Lígia estava felicíssima com um presente que ganhou do Froilan: um livro que ele organizou com trabalhos de autores catalogados pela Rua dos Poetas.

A simpatia de quem é Skill

1 comentários

Um dos estandes mais simpáticos da feira é, sem dúvida, da escola de idiomas Skill. Isso porque a equipe é realmente preparada para bem receber os visitantes. Aí estão as professoras Lígia Rosso (de chapéu inglês...), Adriana Parise e a Nara Andréia, grandes profissionais, grandes amigas. Pessoas maravilhosas engrandecendo a nossa feira. Vale a pena cruzar por lá e bater um papo com elas. Pode até ser em Inglês ou Espanhol que elas dominam o assunto.

L'aqua Di Fiori

0 comentários
E essas aí são as meninas da L'água Di Fiori, uma grande empresa no ramo da perfumaria, localizada no calçadão de Santiago. A empresa comercializa fragrâncias realmente envolventes e dão show em atendimento e simpatia. Na foto estão a Cleide Irion, a Aline Pes, a Bruna Salbego e a Carol Martins.

Barbará: um quase anônimo

0 comentários

Ele até que tentou passar despercebido, não quis que eu tirasse fotos dele e me passou a conversa. Mas, depois de andar um pouco mais, acabei flagrando o promotor Luiz Antônio Barbará Dias sentado na arquibancada do ginasião, onde ocorre a feira, se atualizando das notícias de Santiago, através dos jornais da cidade. Barbará deixou de ser promotor em Santiago e há alguns meses atua na comarca de São Francisco de Assis. Deixou saudades por seu estilo firme de trabalhar.

E no estande da Unimed...

0 comentários

E essas belas moças aí são uma atração no estande da Unimed. Muito simpáticas, a Simone, minha amiga dos tempos de teatro, e a Daniela recebem os visitantes da feira com muito carisma apresentando os produtos da Unimed e mostrando também o projeto das instalações do prédio que a empresa abrirá até o final desse ano, próximo ao Hospital de Caridade.

João Luiz Piber: esse é galo...

0 comentários

E aí está o meu amigo João Luiz Piber, irmão de outro grande camarada meu, o Gelson Piber. O João Luiz é especializado na montagem de estandes e há vários anos é ele e sua equipe que estruturam toda a parte interna da feira. Como você pode ver, ele está com a mão engessada. Me contou que esteve no mercado Guasso outro dia e escorregou, batendo com a mão no chão e quebrando-a. Mas o João é um homem forte e não chorou (muito...). Já está se recuperando e, mesmo lesionado, não pára de trabalhar.

O clã Bordinhão...

0 comentários

Dê uma licença para falar de meu pessoal. Aí estão o Juliano, a Clarissa, a Rose, a Jaque e o Bordinhão posando para a posteridade junto ao estande da Câmara de Vereadores de Santiago, onde também estou escalado para aparecer. Mas como ainda não chegou o meu dia de ficar pregado por ali (vai ser sábado), aproveito para ficar fuçando pela feira, conversando com amigos, fazendo novas amizades e revendo pessoas. Passe lá para tomar um café amanhã, quem queira. Então, na foto acima, você pode ver a fammília Bordinhão em peso, acompanhado da amiga Jaqueline e mais o Juliano, futuro "Rei do Pêssego" de Santiago"...

Leandra Dutra

0 comentários

Essa moça bonita e simpática aí, que está dando uma pausa para uma boquinha, é a minha "arquiteta preferida", como costumo chamá-la. É a minha amiga Leandra Dutra, responsável pelo projeto do novo prédio da Câmara de Vereadores. Muito talentosa, ela aproveita o agito da feira para se inspirar e ter novas idéias para seus belos projetos. Em breve ela estará inaugurando o seu escritório de arquitetura e interiores. Essa garota promete.

Lutando contra (o medo das) avestruzes...

0 comentários



É sso aí, meus amigos, foi uma aventura. Como não sou nada "campeiro", fiquei curioso de ver esses bichos aí, acompanhado de meu amigo, o fotógrafo veterano Arami Fumaco. Logo que chegamos diante das aves, perguntei para as biólogas do curso de biologia da URI "dá para tirar foto dessas galinhas?". Rarará. Só eu dei risada. Ok, foi uma piada. E os bichos não gostaram muito, pois vieram para cima de mim, como você pode ver nas fotos acima. Enquanto isso, o Arami aproveitou para fazer novas amizades. Já a acadêmica de biologia Clarissa mostrou que é valente e entrou no cercado para interagir com as aves, que pesam cerca de 100 quilos e são capazes de carregar uma pessoa nas costas.

Profissional até debaixo d'água...

0 comentários

Essa moça que você vê correndo na foto acima é uma grande profissional que atua no Centro Empresarial de Santiago, jornalista profissional e, atualmente, atriz de teatro, produtora cultural e roteirista de cinema. Que fôlego, não? Isso não é nada. Ela ainda consegue encontrar espaço para praticar a arte da dança do ventre e trabalhar em coberturas jornalísticas da Rede Vida. Durante a nossa ExpoSantiago você poderá vê-la assim mesmo, como a foto mostra: correndo de um lado para outro e não interessa que esteja caindo o maior toró. De quem estou falando? É claro que é a minha querida amiga Tatiana Vier.

E iniciou a ExpoSantiago...

0 comentários
Pois é pessoal. E desde a última quinta-feira está acontecendo em nossa cidade a ExpoSantiago, que é uma feira promovida pelo Centro Empresarial, Sindicato Rural, Prefeitura e URI e conta com o apoio de diversas entidades. A idéia é reunir todos os segmentos comerciais, industriais e agropecuários de nosso município, promovendo um grande balcão de negócios ou possibilitando uma vitrine comercial. Ah, sim. Paralelamente a esse evento, ocorre também o Festival da Música Crioula de Santiago. Então, conforme tinha prometido, nesses dias de feira vou fazer uma cobertura desse evento, especialmente aqui para esse blog que vos fala. Então, para iniciar falando deste grandioso evento de nossa cidade, nada melhor do que estampar a foto de nossas soberanas: a rainha Lilian Souto e as princesas Daniele Ronsani e Fernanda Martins, muito simpáticas elas são as embaixatrizes do evento e tem a responsabilidade de bem recepcionar os visitantantes.

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Mudanças....

2 comentários
Vc que vez por outra acessa o meu blog, deve ter notado que pouco tenho atualizado ele, certo? E isso que vinha fazendo atualizações diárias nesse espaço virtual. Devo dizer que motivado, principalmente, por uma sugestão da Tainã, deixarei de publicar certos comentários neste espaço. Ou, pelo menos, vou procurar moderar o conteúdo desse blog. Disse que o meu blog estava muito político, com críticas políticas e que não gostava disso. Em sendo assim, me despeço desse tipo de abordagem, pois respeito muito a opinião da Tainã . E pouco me importa que eu perca acessos. Até porque, como pode ser comprovado pelo contador ao lado, há acessos de pessoas de outros países ao meu blog, que gostam mais dos contos e crônicas que escrevo do que das críticas que faço. Não que eu vá me tornar omisso ao não emitir a minha opinião, só não vou mais fazê-lo sistemáticamente. Até porque já temos alguns blogs que cumprem bem essa função e não quero competir com eles e muito menos me indispor com eles. Quem quiser que acesse o blog do Júlio Prates, do João Lemes, ou do Cassal Brum. Vou direcionar esse meu espaço mais para o lado da notícia, da crônica, do conto e do entretenimento. Posso até publicar algumas críticas, mas sem magoar ninguém.

Ocorre que a gente precisa saber ter equilíbrio para fazer a crítica. E ela deve ser construtiva para que possa ter isenção. Para que possa ser respeitada e assimilada. E, uma vez que faço parte de uma agremiação partidária, o PMDB, não quero comprometer a minha liberdade crítica e a minha coerência, sendo confundida com tendencionismo. Assim, não me cai nenhum pedaço em dizer que esse blog mudará sua postura. Se a partir dessa data você quiser continuar acessando é porque encontrará outro tipo de conteúdo aqui.

Mas não apenas no blog mudarei os rumos de minha escrita. Em minha coluna semanal, no jornal Expresso Ilustrado, devo mudar o estilo já a partir da edição desta sexta-feira, com a devida autorização dos editores do jornal. Vou dar uma pausa na produção literária de contos e vou escrever mais crônicas (os contos vão continuar mais por aqui, no blog...). Principalmente, falando de pessoas comuns que dificilmente são vistas nas páginas dos jornais. Vou intular a coluna de "Gente Nossa" e mostrar um pouco da história de pessoas que circulam distante da coluna social, além de inserir uma foto do homenageado. Aceito sugestões para esse espaço. Conhece alguém que tem uma história de vida interessante que merecia ser publicada? Escreva para mim ou deixe sua dica com a Camila, secretária do Expresso, que ela me passa. Não vou revelar o nome da pessoa que iniciarei esse espaço, mas posso dizer que é alguém especial, um ser humano nobre e de muito valor e um amigo que tenho o máximo de admiração. Tenho certeza que vai agradar. Só é uma pena que, como tenho uma coluna delimitada em tantos caractéres, o espaço acaba sendo limitado para escrever tanta coisa. Mas ficará mais fácil escrever assim do que era para escrever os contos. Na maioria das vezes, eu criava uma história e tinha que ficar cortando palavras, frases inteiras para poder caber no espaço delimitado pela editoria. Eu sei, padrão é regra. E eu devo seguir. Mas não reclamo tanto, pois foi o Carlos Drummond de Andrade quem disse que "escrever é a arte de cortar palavras".

Ah, antes de terminar esse post, quero dizer que vou estar na Fecoarti, digo, ExpoSantiago (que saco, ainda não acostumei com o novo nome da feira) e pretendo exercer o meu lado jornalista, só para matar as saudades. Vou fazer uma grande cobertura da feira com publicação de fotos, textos e vídeos de todos os momentos dessa grande feira. Te encontro lá, na ExpoSantiago!!

terça-feira, 9 de outubro de 2007

1 comentários


Não, não tente se desculpar
Não volte a insistir
As desculpas já existiam antes de você

Não, não me olhe como antes
Não fale no plural
A retórica é sua arma mais letal

Vou te pedir que não volte mais
Sinto que você ainda me causa dor aqui
Por dentro

E que na sua idade já saiba bem o que é
Partir o coração de alguém assim

Não se pode viver com tanto veneno,
A esperança que me deu seu amor
Ninguém mais deu,
Te juro, não minto

Não se pode viver com tanto veneno
Não se pode dedicar a alma
A acumular tentativas
Pesa mais a raiva que o cimento.

Espero que não espere que eu te espere
Depois dos meus 26
A paciência já me esgotou.

E vou despetalando margaridas
E olhando sem olhar
Para ver se assim, você se irrita e se vai

Vou te pedir que não volte mais
Sinto que você ainda me causa dor aqui
Por dentro

E que na sua idade já saiba bem o que é
Partir o coração de alguém assim

Não se pode viver com tanto veneno,
A esperança que me deu seu amor
Ninguém mais deu,
Te juro, não minto

Não se pode morrer com tanto veneno
Não se pode dedicar a alma
A acumular tentativas
Pesa mais a raiva que o cimento

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Natureza humana

0 comentários
...E até aquele dia, eles viveram felizes. Um homem e uma mulher, numa ilha deserta, em algum lugar do oceano pacífico. Viviam em meio a adversidade da vida urbana. Um dia se encontram, se apaixonaram e resolveram deixar tudo para trás e viver o seu grande amor. Se casaram e foram morar naquela ilha. Com as próprias mãos construiram uma cabana para se abrigar das intempéries. Lá, em meio a uma terra inóspita tinham tudo o que precisavam para viver, longe de tudo e mais próximos emocionalmente do que nunca. Lá, só tinham um ao outro. Quando ele estava doente, ela o cuidava e vice versa. À noite, conversavam durante horas em volta do fogo, olhando para para um céu maravilhosamente cheio de estrelas, algo impossível de ser visto em uma área urbana. Plantavam, colhiam e viviam uma vida simples. Tinham planos de serem felizes para sempre. E foram. Até aquele dia...
******
Numa tarde qualquer, viram surgir um homem das águas. Descobriram que ele era sobrevivente de um naufrágio. Trataram de suas feridas e o ajudaram. Quando se curou, passou a ajudar na pequena lavoura, se integrando aquela micro-comunidade. Agora, o casal tinha um amigo com quem contar. E, assim, seguiam felizes. Agora, a mulher tinha sido dispensada de algumas atividades, como a pesca. Durante horas, os homens sumiam, voltavam rindo e com muitos peixes. Se tornaram grandes amigos. Mas algo havia mudado. Ela já não recebia mais a mesma atenção. E olhar as estrelas não tinha o mesmo encanto. O marido dava mais atenção ao novo amigo do que a esposa e isso causava tristeza para a mulher. Ao mesmo tempo, o intruso, como ela se referia intimamente, não só lhe dava atenção, como a cortejava. E o que é pior, ela começava a gostar. "Algo vai acontecer", em seu íntimo, ela previa o pior. À noite, tinha sonhos e imaginava-se nos braços dele, o intruso. Acordava sentindo-se culpada, pensando no marido. Numa noite, seu esposo não estava ao seu lado. Claro, só podia estar tagarelando com o intruso. E procurou-os. Não muito distante, encontrou-os. Os dois, beijando-se. À luz das estrelas.

...E temos uma "Rua dos Poetas!"

1 comentários

Só passei aqui para dizer que a inauguração da Rua dos Poetas, na noite desta terça-feira, foi um grande sucesso. O discurso do prefeito Chicão foi realmente emocionante e deu o tom da noite. Tudo bem organizado e de bom gosto: os recitais teatrais, a orquestra. Tudo muito bem. Tudo muito bom. A Rua dos Poetas é, sem dúvida, um grande empreendimento que valoriza a cidade e que foi muito bem recebida pela comunidade. Os méritos arquitetônicos são da arquiteta da prefeitura Ana Paula, dos empresários que contribuiram com o financiamento da obra e da visão futurista do prefeito Chicão que, certa feita disse que "Santiago é uma cidade que não possui prédios históricos. Portanto, precisa se tornar uma cidade moderna". É isso aí, concordo plenamente. O que é bom se elogia, o que é ruim se critica. No pesar da balança, o lado positivo ganha mais um ponto.
Um único fato negativo que faço questão de registrar com relação a Rua dos Poetas é que o monumento em frente a Compugraph infelizmente parece ter sido vandalizado. O busto em homenagem a um poeta parece ter sido arrancado. O que é extremamente lamentável, sendo que fazem poucas horas que a rua foi inaugurada. Então, é algo triste ver que a cultura e educação, infelizmente, não é um privilégio de todos. Claro que isso é coisa de gente de mente pequena, que não consegue compreender a importância de tais monumentos para história de nossa cidade e o fortalecimento do slogan de "Terra dos Poetas", cuja construção conta com a colaboração de muitos e nem sabe o que está fazendo. Cabe a cada um de nós, cidadãos santiaguenses, nos tornarmos vigilantes da preservação do patrimônio público.

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

De onde virá o grito?

2 comentários
Você também é mais um (ou uma) dos que preenchem seu tempo com ressentimentos passivos? Conhece gente assim? Pois é. O Brasil tem milhões de brasileiros que gastam sua energia distribuindo ressentimentos passivos. Olham o escândalo na televisão e exclamam "que horror". Sabem do roubo do político e falam "que vergonha". Vêem a fila de aposentados ao sol e comentam "que absurdo". Assistem a uma quase pornografia no programa dominical de televisão e dizem "que baixaria". Assustam-se com os ataques dos criminosos e choram "que medo". E pronto! Pois acho que precisamos de uma transição "neste país". Do ressentimento passivo à participação ativa. Pois recentemente estive em Porto Alegre , onde pude apreciar atitudes com as quais não estou acostumado, paulista/paulistano que sou. Um regionalismo que simplesmente não existe na São Paulo que, sendo de todos, não é de ninguém. No Rio Grande do Sul, palestrando num evento do Sindirádio, uma surpresa. Abriram com o Hino Nacional. Todos em pé, cantando. Em seguida, o apresentador anunciou o Hino do Estado do Rio Grande do Sul. Fiquei curioso. Como seria o hino? Começa a tocar e, para minha surpresa, todo mundo cantando a letra! "Como a aurora precursora / do farol da divindade, / foi o vinte de setembro / o precursor da liberdade" Em seguida um casal, sentado do meu lado, prepara um chimarrão. Com garrafa de água quente e tudo. E oferece aos que estão em volta. Durante o evento, a cuia passa de mão em mão, até para mim eles oferecem. E eu fico pasmo. Todos colocando a boca na bomba, mesmo pessoas que não se conhecem. Aquilo cria um espírito de comunidade ao qual eu, paulista, não estou acostumado. Desde que saí de Bauru, nos anos setenta, não sei mais o que é "comunidade". Fiquei imaginando quem é que sabe cantar o hino de São Paulo. Aliás, você sabia que São Paulo tem hino? Pois é... Foi então que me deu um estalo. Sabe como é que os "ressentimentos passivos" se transformarão em participação ativa? De onde virá o grito de "basta" contra os escândalos, a corrupção e o deboche que tomaram conta do Brasil? De São Paulo é que não será. Esse grito exige consciência coletiva, algo que há muito não existe em São Paulo. Os paulistas perderam a capacidade de mobilização. Não têm mais interesse por sair às ruas contra a corrupção. São Paulo é um grande campo de refugiados, sem personalidade, sem cultura própria, sem "liga". Cada um por si e o todo que se dane. E isso é até compreensível numa cidade com 12 milhões de habitantes. Penso que o grito - se vier - só poderá partir das comunidades que ainda têm essa "liga". A mesma que eu vi em Porto Alegre. Algo me diz que mais uma vez os gaúchos é que levantarão a bandeira. Que buscarão em suas raízes a indignação que não se encontra mais em São Paulo. Que venham, pois. Com orgulho me juntarei a eles. De minha parte, eu acrescentaria, ainda: "...Sirvam nossas façanhas, de modelo a toda terra.

Arnaldo Jabor