sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Dica de filme: Menina Má.Com

Uma boa dica de filme é esse aí, "Menina Má.Com", com Patrick Wilson e Ellen Page. Conta a história de uma menina de 14 anos, aparentemente ingênua, que dialoga via internet com um cara mais velho. Ambos marcam um encontro e depois vão para a casa dele. Os diálogos entre os dois, a sedução, tudo leva a crer que o cara vai se dar bem com a menininha e que está acostumado a ter esse tipo de relacionamento. Não dessa vez. Numa virada muito bem bolada da história, a menina abandona o seu lado "meigo" e parte para o ataque. Aplica um "boa noite cinderela", no cara e o amarra, passando a promover algumas sessões de tortura. Ela suspeita que ele seja um pedófilo que tenha molestado e matado uma amiga sua. Portanto, quer vingança.


Primeiro assisti o Menina, em 2006, num fim de tarde que foi um sofrimento. O filme é de uma crueldade ímpar, já tinha lido um monte a respeito, mas assitir tudo aquilo me deixou mais chocado ainda. E é tão bem filmado, a história toda é tão bem contada, que mesmo sabendo o que está acontecendo, mesmo não vendo o que está acontecendo, eu fiquei me mexendo na poltrona o tempo todo, sofrendo com o cara. O filme conta a história de uma menina de 14 anos de idade que conhece um cara pela internet (um cara mais velho, de uns 30 anos) e vai se encontrar com ele pra um sorvete que termina em uma ida à casa dele. A menina má do título revelador, já nos faz esperar alguma coisa dela, de sua carinha de anjo; e nem precisamos esperar muito porque ela já coloca um “boa noite cinderela” na água do cara e quando ele acorda, ele tá amarrado, bem preso, e a menina começa a dizer porque está lá, que ela quer vingar sua amiga, também de 14 anos, por ter sido molestada por esse cara, um suposto pedófilo. Só que a menina não tem provas e as procura, o cara passa o tempo todo neando o que aconteceu, até que a menina com um método infalível de confissão, muda toda a história. A partir de então, o filme vira uma tortura pra quem assiste, no melhor dos sentidos, se é que exista um bom sentido nisso. A mão leve do diretor faz com que não apenas o espectador sofra muito, mas sofra sem ver um único detalhe do que está acontecendo.

Nas mãos de um Tarantino ou de um Scorcese, o filme não seria a mesma coisa, pelo prazer pelo gráfico, pelo explícito. Na verdade o filme seria outro, bem diferente. Mas o bacana é a sutileza da direção mesmo, apesar do tema e do enfoque. A atriz do filme é bacana, não tem tanto a cara de uma menina de 14 anos, parece mais madura do que deveria, isso me incommodou um pouco. Imagino a dificuldade de conseguir uma atriz mais nova , menos experiente pra um papel desses, mas acho que assim o filme seria perfeito, uma menina má com cara de menininha mesmo. Mas isso não atrapalha tanto quando as coisas relamnete acontecem.

E quem rouba a cena é mesmo Patrick Wilson, o suposto molestador, acuado por uma garota que o faz sofrer e que mesmo assim tenta manipulá-la de alguma forma. A gama de interpretação de Wilson é impressionante. Ele não só é convincente como nos faz ter pena de um cara que em princípio estuprou e matou uma menininha. Isso pra mim é ser fodão, mérito do ator e claro do diretor e roteiro e tal. Mas com um ator mais canastra, mais querendo aparecer, isso iria por água abaixo. Wilson se segura e dá show, não quer aparecer e acaba se destacando.O filme é curto, como devem ser os filmes, ou a maioria deles, pelo menos. E na minha opoinião isso se deve ao bom senso de uns poucos e bons diretores, que sabem a hora de parar.

Nenhum comentário: