terça-feira, 9 de outubro de 2007



Não, não tente se desculpar
Não volte a insistir
As desculpas já existiam antes de você

Não, não me olhe como antes
Não fale no plural
A retórica é sua arma mais letal

Vou te pedir que não volte mais
Sinto que você ainda me causa dor aqui
Por dentro

E que na sua idade já saiba bem o que é
Partir o coração de alguém assim

Não se pode viver com tanto veneno,
A esperança que me deu seu amor
Ninguém mais deu,
Te juro, não minto

Não se pode viver com tanto veneno
Não se pode dedicar a alma
A acumular tentativas
Pesa mais a raiva que o cimento.

Espero que não espere que eu te espere
Depois dos meus 26
A paciência já me esgotou.

E vou despetalando margaridas
E olhando sem olhar
Para ver se assim, você se irrita e se vai

Vou te pedir que não volte mais
Sinto que você ainda me causa dor aqui
Por dentro

E que na sua idade já saiba bem o que é
Partir o coração de alguém assim

Não se pode viver com tanto veneno,
A esperança que me deu seu amor
Ninguém mais deu,
Te juro, não minto

Não se pode morrer com tanto veneno
Não se pode dedicar a alma
A acumular tentativas
Pesa mais a raiva que o cimento

Um comentário:

tainã disse...

Adorei esse post!

* Perfect to thirty and five lines before me ;D *

Ah, e minha vizinha nem tem cachorro xD