terça-feira, 21 de agosto de 2007

Pesquisas blogueiras...

Outro dia, um amigo disse que acessa o meu blog. Em seguida, ele questionou o porquê de eu não falar mais sobre política, notícias e assuntos diversos e que, na maioria das vezes, apenas publico as crônicas que publico em minha coluna no jornal Expresso Ilustrado. Minha primeira atitude, com relação a esse amigo, foi de espanto. "Mas você acessa o meu blog? Achei que era só eu e minha mãe". Pois bem, ele acessava. Agora eu sei: eu, minha mãe e meu amigo acessamos o meu blog. Legal. Tenho três espectadores. O fato de eu ter pouca audiência me deixa tranquilo, sem sentir aquela pressão de saber que muita gente pode estar ligada às minhas mal-traçadas linhas. Deus me livre ter um blog como o do meu amigo Júlio Prates, que possui uma audiência monstruosa. Outro dia, ele inventou de comentar sobre o meu blog no dele e em poucas horas, dezenas de acessos choveram em minha página . Mas, tudo bem. O Júlio é o Júlio. Ele pode. É um jornalista astuto, tem o dom da palavra, sabe descobrir assuntos interessantes, sabe polemizar, debater. Tem um faro único para a notícia e sabe ir onde ela está. O interessante é que, quando ele não vai atrás da notícia, a notícia o procura. E eu tive provas disso que estou dizendo.

Outro dia, em Porto Alegre, estávamos eu, o Rodrigo Vontobel, o prefeito de Jaguari, Ivo Patias; o Júlio Prates e a Eliziane Mello, almoçando no Churrascaria Durhan. Nossa conversa animada chamou a atenção de dois senhores que também estavam no restaurante. Eles chegaram e se apresentaram: eram da Agência Nacional de Pesquisas e deduziram que nós éramos ligados à política. Vieram oferecer os seus serviços na área de pesquisas políticas. Perguntaram de onde éramos e revelamos que éramos de Jaguari e Santiago. Aí, um deles fez uma observação. "Santiago? Tem um vereador lá de Santiago, me parece que do PTB, encomendou uma pesquisa nossa". Nesse momento, olhei para o Júlio Prates e caí para trás na cadeira. "Não acredito. As notícias vêm atrás desse cara". Em poucas horas, ele dava em primeira mão em seu blog a notícia que o vereador Sandro Palma teria sondado a ANP para promover uma pesquisa política em Santiago.

Sobre essa viagem em Porto Alegre, lembrei de outros detalhes. O Vontobel e eu participamos de um evento promovido pela Uvergs, onde um dos painéis foi sobre a Reforma Política, com a participação do deputado federal Pompeo de Mattos, o qual abordou todos os tópicos relativos a Reforma. E ele garantiu que ela vai ocorrer e suas consequências (para o bem e para o mal) deverão contar já a partir da próxima eleição. Algumas delas são as seguintes:
- Não vai mais ocorrer coligações na proporcional, ou seja, os candidatos tem que alcançar coeficiente eletivo dentro de seus partidos, não mais numa coligação.
- A fidelidade partidária vai ocorrer. Trocou de partido, perde o cargo. Ou, quando muito, poderá trocar de partido, mas somente no último ano da legislatura. Se trocar, só poderá concorrer pelo novo partido depois de estar quatro anos filiados. Ou seja, melhor ser fiel do que pular a cerca e perder as bolas, digo o mandato...
- Não deverá ocorrer o financiamento público de campanha na proporcional. Talvez, na majoritária.
- Se o IBGE finalizar a contagem de habitantes em Santiago e se verificar que somos menos de 50 mil, vamos ficar em treze vagas na Câmara. Se ficar acima de 50, aí sim, vamos à quinze. Mas, até o presente momento, treze é o número mais certo...

Bom, tem vários outros aspectos que não cabem aqui falar, já que o assunto foi extenso. Durante o evento, conheci um vereador do PT da cidade de Derrubadas. Muito simpático, o homem parece ser um verdadeiro fenômeno de votos em sua cidade. Com a sua votação, ele ajudou a eleger outros dois vereadores. E, sozinho, só em seu município, conseguiu 50% dos votos que um candidato a deputado federal fez na última eleição em todo o RS. Claro que o candidato não se elegeu, mas o vereador mostrou a sua força. Bom, o que eu queria a falar a respeito desse vereador: ele me perguntou de que cidade eu era. Quando contei que era de Santiago, ele saltou. "Bah, tu é da cidade do Peixoto, né?". Eu respondi afirmativamente. "E tu viu o Jornal do Almoço de hoje? O Lasier detonou sobre as diárias dele. Diz que foi dos que mais tirou diárias". Não sabia dizer. Como também não tinha assistido ao Jornal do Almoço e nem ao Lasier. "Tem certeza disso, foi o Peixoto?".
Ele insistiu afirmativamente. Fiquei com aquela pulga atrás da orelha. Mais tarde, na Assembléia Legislativa, em conversa com o Jerônimo perguntei sobre essa história do Lasier, se era verdade. "Pois é, ficou meio chato isso", ele me respondeu. Em seguida, assuntei sobre a história dos leiteiros, que foi muito falado em Santiago, que teriam sido retirados de umas terras, que pertenciam ao Peixoto e tal. "Olha, vou te dar aí o endereço do blog do Júlio Prates e dos jornais lá da cidade e tu ver melhor do que eu te contar essa história. É muito longa". Anotei os endereços virtuais num cartão e passei para ele. Em seguida, foi a minha vez de perguntar ,mais uma vez. "E é verdade que ele vai para o Tribunal de Contas o ano que vem?". Ao passo que ele me respondeu. "Estão falando isso aí, mas não sei ao certo. Para desempenhar uma função no Tribunal, é necessário o notório saber jurídico. Não sei dizer se vai ou não vai. Não tenho essa informação", deu o seu palpite. Muito simpático o Jerônimo. Gente boa, mesmo.
Hmmm. Esse post já está muito grande. Acontece que eu não tenho tido muito tempo para postar nesse blog. Mas como só minha mãe e meu amigo lêem, não preciso ficar me preocupando muito com o tamanho dos textos. Bom, agora acho que vou dormir, talvez sonhar.

PS: o meu amigo disse que vai votar em mim na enquete que o meu outro blog, o Guia dos Blogs de Santiago está fazendo, a respeito dos blogs mais lidos. Ele me questionou como poderia eu, criador do blog e da enquete, ter só três votinhos naquela enquete. "Simples: o teu, o da minha mãe. Os três que votaram em mim". Meu amigo coçou a cabeça e perguntou. "Mas e o teu voto, não aparece?". Respondi que sim. "Aparece. Eu votei no do Júlio Prates..."

Nenhum comentário: