sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Ela não foi a primeira a vir... mas será a última a partir.

"Quando a primeira coisa viva existiu, eu estava lá esperando... Quando a última coisa viva morrer, meu trabalho estará terminado... Então, eu colocarei as cadeiras sobre as mesas, apagarei as luzes, e fecharei as portas do universo, enquanto o deixo para trás..."

disse ela a seu irmão Morpheus. A cada século ela vive um dia entre nós. "Uma vez, a cada cem anos, a Morte prova o amargo sabor da mortalidade para compreender melhor sua missão. Este é o preço por ser a divisora entre todos os vivos que já foram e os que ainda irão." Estas são suas próprias palavras sobre o assunto. Morte acompanha a cada mortal duas vezes na vida: no nascimento, ela fala nos fala, mas não lembramos o que ela diz, não se sabe o porquê, e na morte, ela nos guia ao descanso eterno ...

Nenhum comentário: